Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Pneus queimados

Vila Corbélia: moradores fecham entrada de invasão temendo ameaças

No local, os moradores afirmam que foi a Polícia Militar que começou a invadir e incendiar casas na noite deste domingo (6); entenda!

Autor: Redação RIC Mais
Durante a madrugada, moradores abriram um Boletim de Ocorrência pelo 190 pedindo a presença de um oficial da corporação (Foto: Paulo Fischer/RICTV Curitiba)
Durante a madrugada, moradores abriram um Boletim de Ocorrência pelo 190 pedindo a presença de um oficial da corporação (Foto: Paulo Fischer/RICTV Curitiba)

Um mês depois da morte do soldado Erick Norio na Vila Corbélia, em Curitiba, o local foi novamente palco de confusão. Na madrugada deste domingo (7), moradores fecharam a principal entrada da invasão com pneus queimados alegando que receberam ameaças da Polícia Militar.

Moradores fecham entrada da Vila Corbélia

No local, os moradores afirmam que foi a Polícia Militar que começou a invadir e incendiar casas na noite de domingo (6), em contrapartida, a PM trata as acusações como boatos, que teriam sido criados pelos próprios moradores nas redes sociais.

Durante a madrugada, moradores abriram um Boletim de Ocorrência pelo 190 pedindo a presença de um oficial da corporação. Depois de uma conversa entre eles, a rua foi liberada para a passagem de pedestres e veículos.

Incêndio destrói 300 casas na CIC

No dia oito de dezembro de 2018, moradores da Vila Corbélia viveram momentos de terror. De acordo com uma estimativa realizada pela Prefeitura de Curitiba na manhã de sábado, cerca de 100 residências foram queimadas em uma área de dez mil metros quadrados (veja imagens abaixo). Já o Corpo de Bombeiros (CB) afirmou que, aproximadamente, 300 casas foram atingidas pelas chamas.

Moradores viveram momento de pânico na região (Foto: Paulo Fischer/RICTV Curitiba)

Em coletiva de imprensa horas após o incêndio, o Tenente Nilvado afirmou que a Polícia Militar foi alvo de tiros de metralhadora e o incêndio foi uma retaliação do tráfico a ação da polícia. Já o Coronel Pericles, contou que um Uber foi morto dentro da comunidade depois do primeiro foco de incêndio. Em seguida, o primeiro cadáver foi encontrado. 

Polícia invade Vila Corbélia, em Curitiba, após PM ser assassinado

Após o policial militar Erick Norio ser assassinado na madrugada do dia sete de dezembro de 2018, a invasão conhecida como 'Vila Corbélia', em Curitiba, foi ocupada pela polícia. Policiais militares fizeram buscas na região, que é conhecida pelo alto índice de violência.

Soldado da PM é morto na Vila Corbélia

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), dois soldados -lotados do 23º Batalhão- checavam uma ocorrência de pertubação de sossego, via 190, quando o assassinato aconteceu. Quando os policiais chegavam perto do local indicado na denúncia, pela Estrada Velha do Barigui, avistaram um motociclista com atitude suspeita.

condutor da viatura realizava uma busca pela placa no momento que o soldado Norio desceu do automóvel. Segundo ele, foi tudo muito rápido. Poucos segundos após Neri descer do carro, ele ouviu disparos de arma de fogo. Em seguida, o condutor perguntou para o colega se ele estava bem e foi quando Norio afirmou que tinha sido atingido.

O soldado, que dirigia a viatura, desceu do automóvel e arrastou o colega baleado para a parte traseira do carro -em uma tentativa de se esconderem do atirador. Em seguida, após o motociclista fugir, o motorista conseguiu colocou Norio dentro da viatura e seguiu até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da CIC.

Apesar da chegada rápida e o esforço da equipe médica, o soldado Erick Norio não resistiu aos ferimentos e morreu no local.  De acordo com o Capitão Araújo, Norio agiu conforme as normas de abordagem da Polícia Militar. "Ele acabou sendo surpreendido com dois disparos. Um deles acertou o colete, e o outro um pouco acima do corte do colete. Tentaram por, aproximadamente, 45 minutos a reanimação. Todos os procedimentos médicos cabíveis foram realizados, mas o soldado não resistiu a esse ferimento", afirmou Araújo.

O solado Erick Norio deixou a mulher e um filho pequeno (Foto: Maurício Freire)
Suspeito de matar PM é preso

O homem suspeito de ter matado o policial militar Erick Norio na Cidade Industrial de Curitiba foi preso na madrugada do dia 11 de dezembro de 2018, de acordo com a Polícia Militar (PM). Antonio Francisco dos Prazeres Ferreira, de 33 anos. Segundo a PM, o homem foi preso após uma denúncia anônima. Ele estava escondido em uma casa no bairro Ganchinho, em Curitiba.

*Com informações do repórter Marcelo Borges, da RICTV Curitiba 

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 0,0

  • Comentário via facebook