Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

VERSÃO

Suspeito de estupro em Fazenda Rio Grande disse que foi vítima de armação

Homem alega que é vítima de armação porque pensou em demitir a jovem que o acusa de estupro

Autor: Redação RIC Mais
Comerciante suspeito de estuprar funcionária disse que foi alvo de armação por falar em demissão (Reprodução/RICTV)
Comerciante suspeito de estuprar funcionária disse que foi alvo de armação por falar em demissão (Reprodução/RICTV)

O comerciante suspeito de estuprar uma funcionária em Fazenda Rio Grande, na Grande Curitiba, disse que foi vítima de armação porque mandaria a susposta vítima embora. Ele teve o estabelecimento depredado e incendiado por moradores, que ficaram revoltados com o fato.

Suspeito de estupro em Fazenda Rio Grande

De acordo com suspeito, ele deu emprego para a menina de 14 anos a pedido da avó, pois a família devia R$ 300 de uma compra feita.

“Isso é uma montagem, cara”, disse o homem ao repórter Ricardo Vilches, da RICTV. O homem negou que tenha cometido o estupro contra a menina, que alega ter acordado na parte de cima da padaria, amarrada pelos braços e sangrando.

Em depoimento, o homem disse que foi à lotérica sozinho, porém, para a RICTV, disse outra versão. Ainda segundo o homem, ele teria visto a menina às 11 horas - mas, para a polícia, ele disse que não esteve com ela. Veja a reportagem abaixo!

Estupro em Fazenda Rio Grande

O homem foi preso em flagrante pela Polícia Civil com base nos relatos da vítima e do suspeito. De acordo com a delegada, a menina se lembra de ter tomado dois copos de uma mistura de refrigerante com álcool.

À polícia, a vítima do estupro em Fazenda Rio Grande disse que não se lembra de como foi parar na parte de cima da panificadora, onde ficava a casa do comerciante, e que acordou sem as roupas, amarrada pelos braços e sangrando nas partes íntimas. Ela também revelou ser virgem e ficou em estado de choque.

Depoimento de suspeito de estupro na RMC

Ao ser questionado pela delegada, o suspeito de estupro em Fazenda Rio Grande disse que a menina não tinha acesso à casa e que era evasivo nas resposta. Já a menina respondeu de maneira diferente, revelando contradições no depoimento do comerciante.

Uma ex-funcionária falou com a RICTV e revelou que não acredita que o comerciante tenha cometido o crime. “Pra mim, foi um choque”, disse a moça que não quis se identificar. “Trabalhei três anos com ele, nunca mexeu comigo”, completou.

Reveja a reportagem completa do caso envolvendo estupro em Fazenda Rio Grande:

 

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook