Curitiba

Mulher descobre conversa do marido com outra e divulga conteúdo

Com os prints das conversas em mãos, ela imprimiu e colou pela cidade, inclusive em frente ao emprego da rival

A conversa virou panfleto e deu confusão. Foto: Divulgação.

Quando se depara com uma traição, cada pessoa reage de uma forma. Em Apucarana, no Norte do Paraná, uma mulher imprimiu o que viu, transformou em panfletos e mostrou para todo mundo. A confusão foi parar na delegacia da cidade.

Segundo a Polícia Civil, a mulher pegou uma conversa do marido com a outra no whatsapp. Revoltada, ela decidiu se vingar. Com os prints das conversas em mãos, ela imprimiu e colou pela cidade, inclusive em frente ao emprego da rival.

Com a exposição, a “outra” procurou a polícia e registrou um boletim por difamação. A Polícia Civil, embora não possa resolver a situação das duas com o pretendente, deve investigar a denúncia.

Leia mais:

Mulher é assassinada pelo marido por desconfiar de traição com a irmã 

Jovem flagra namorada na cama com outro, faz selfie e ri da situação

Envie seu comentário

Comentários (0)

Desmantelada quadrilha de traficantes liderada por preso no Paraná

Um homem, preso na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), era o comandante que passava tudo para seu braço direito do lado de fora

O preso comandava, de dentro da cadeia, toda a ação criminosa. Foto: Divulgação/Sesp.

Uma pequena cidade do interior do Paraná amanheceu com dezenas de policiais civis e militares nas ruas atrás de uma quadrilha de traficantes de drogas, que é liderada por um preso, suspeito de ligação com uma facção criminosa. Onze pessoas são alvos da Operação Fênix, deflagrada nesta quarta-feira (26), pela Polícia Civil de Sengés, região dos Campos Gerais, com apoio da Polícia Militar (PM), do Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep) e do Grupamento de Operações Aéreas (GOA).
 
A ação policial reúne cerca de 50 policiais civis e militares e acontece também em Curitiba e em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Foram expedidos 11 mandados de prisão, 24 de busca e apreensão, três de internação provisória de adolescente e outros dois de condução coercitiva – quando a pessoa é levada para prestar depoimento.
 
As investigações começaram há seis meses, a partir da notícia de envolvimento de um servidor da prefeitura de Sengés com o tráfico de drogas no município. A suspeita era de que o funcionário, que também trabalha como mototaxista, realizava entregas de pequenas quantidades de drogas em toda a cidade. A droga vinha de São Paulo para depois ser distribuída em Sengés.
 
Durante o trabalho de investigação, os policiais descobriram que se tratava de uma rede do narcotráfico em Sengés, que contava com a participação de um homem preso na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP). O detento comandaria a distribuição da droga, contando com a participação da mulher e de um homem apontado como braço direito dele.
 
A Polícia Civil suspeita que a quadrilha seja responsável pelo furto de uma retroescavadeira da prefeitura de Sengés. Esta máquina estaria sendo negociada, assim como camionetes, para outros criminosos.
 
Os presos durante a Operação Fênix vão responder por tráfico de drogas, associação ao tráfico, organização criminosa, porte ilegal de arma de fogo e lavagem de dinheiro. A operação conta com policiais civis da Delegacia de Sengés, de Jaguariaíva, Ponta Grossa, Curitiba, além de policiais civis e militares da Força Tarefa do Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep) e do Choque da Polícia Militar.
 
Assista imagens da ação policial:
 
 
Leia mais:
 
'Septen': operação prende casal de traficantes e 760 quilos de maconha
 

Envie seu comentário

Comentários (0)

'Septen': operação prende casal de traficantes e 760 quilos de maconha

Além do casal e da maconha, foram apreendidos cerca de R$ 30 mil e dois carros na propriedade do casal

O nome “Septen” significa sete em latim e foi dada como nome da operação porque a primeira pessoa presa ao longo das investigações tinha o apelido de “Sete” (Foto: Divulgação/Policia Civil)

A operação foi realizada de forma simultânea nas cidades de Curitiba, Londrina, Matinhos e Umuarama (Foto: Divulgação/Policia Civil)

A operação foi realizada de forma simultânea nas cidades de Curitiba, Londrina, Matinhos e Umuarama (Foto: Divulgação/Policia Civil)
O nome “Septen” significa sete em latim e foi dada como nome da operação porque a primeira pessoa presa ao longo das investigações tinha o apelido de “Sete” (Foto: Divulgação/Policia Civil)
Um casal, de 39 e 40 anos, suspeito de ser um dos principais fornecedores de drogas no Litoral do Estado, foi preso na manhã desta terça-feira (25), durante a operação "Septen" (Foto: Divulgação/Policia Civil)
As investigações iniciaram há cerca de oito meses, depois que a Denarc constatou que o casal residente no Litoral do Estado, era responsável pelo fornecimento da droga aos menores traficantes da região de Londrina (Foto: Divulgação/Policia Civil)
Os suspeitos também possuiam propriedades no município de Umuarama, onde foram apreendidos mais de 31 quilos de maconha e uma carabina calibre 44 (Foto: Divulgação/Policia Civil)
Na casa foram apreendidos R$ 35 mil em dinheiro e dois carros, um Jeep/Renegade e um veículo Rural (Foto: Divulgação/Policia Civil)
Ao longo da ação policial cerca de 760 quilos de maconha, avaliados em torno de R$ 800 mil, foram apreendidos (Foto: Divulgação/Policia Civil)

Um casal suspeito de ser um dos principais fornecedores de drogas no Litoral do Paraná, foi preso na manhã desta terça-feira (25), durante a operação “Septen”, deflagada pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc). Ao longo da ação policial, 760 quilos de maconha, avaliados em R$ 800 mil, foram apreendidos. Com eles, a polícia apreendeu até um drone.

Além de Curitiba, a operação foi realizada de forma simultânea em Matinhos, no litoral, e em Londrina e Umuarama, interior do Estado. As investigações começaram há oito meses, depois que a Denarc constatou que o casal que morava no litoral era responsável pelo fornecimento de droga aos menores traficantes da região do Paraná.

Após uma série de investigações, os dois foram presos num apartamento situado no bairro Sertãozinho, em Matinhos, através de um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. Na casa, foram apreendidos R$ 35 mil em dinheiro e dois carros, um Jeep/Renegade e uma Rural. Em outra propriedade do casal, no mesmo bairro, os policiais apreenderam 730 quilos de maconha. A droga estava congelada, armazenada em dois freezers, pronta para a venda. 

Os suspeitos também tinham propriedades em Umuarama, onde foram apreendidos mais de 30 quilos de maconha e uma carabina calibre 44.  Em Londrina, um homem de 46 anos também foi preso por meio de um mandado de prisão preventiva. Segundo as investigações, o suspeito comprava drogas do casal para revender na região Norte do Estado. 

Os três suspeitos vão responder por tráfico de drogas e associação ao tráfico. O nome da operação, "Septen", significa sete em latim e foi dado porque a primeira pessoa presa ao longo das investigações tinha o apelido de “Sete”.

Leia mais: 

'Anopluta': operação cumpre mandados contra crimes de latrocínio

Operação investiga pagamento irregular de horas médicas em Foz

Envie seu comentário

Comentários (0)