Curitiba

Homens invadem casa, matam três e ferem adolescente e grávida

Suspeito de ser o alvo da ação tentou se esconder quando percebeu a chegada dos criminosos

Cinco pessoas da mesma família foram baleadas dentro de casa, três delas morreram na hora e outras duas ficaram gravemente feridas (Foto: RICTV/ Otoniel Silva)

Cinco pessoas da mesma família foram baleadas dentro de casa, três delas morreram na hora e outras duas ficaram gravemente feridas (Foto: RICTV/ Otoniel Silva)
Cinco pessoas da mesma família foram baleadas dentro de casa, três delas morreram na hora e outras duas ficaram gravemente feridas (Foto: RICTV/ Otoniel Silva)
Cinco pessoas da mesma família foram baleadas dentro de casa, três delas morreram na hora e outras duas ficaram gravemente feridas (Foto: RICTV/ Otoniel Silva)

A Rua Carlopolis, no bairro Pinheiro, em Curitiba, foi marcada por um crime extremamente violento na noite desta terça-feira (7). Cinco pessoas da mesma família foram baleadas dentro de casa - três delas morreram na hora e outras duas ficaram gravemente feridas.

Dois homens encapuzados invadiram a residência por volta das 20h30 e atiraram primeiramente em um homem com cerca de 35 anos que estava no quintal. Ele morreu na hora.

As outras vítimas foram atingidas dentro da casa. Um homem e uma mulher, que seria o suposto alvo e tentou se esconder quando percebeu a ação dos bandidos.

Uma jovem grávida de 22 semanas foi atingida na coxa e uma pré-adolescente foi ferida na pelve. As duas foram encaminhadas ao Hospital do Trabalhador.

Segundo o delegado que cuida do caso Leonardo Barreto a motivação do crime seria o tráfico de drogas, uma vez que a casa seria um ponto de venda. Os três mortos tem passagem pela polícia envolvendo o tráfico. 

A adolescente é filha da mulher que supostamente seria alvo do crime. O caso foi encaminhado para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que irá investigar o triplo homicídio.

Assista à reportagem da RICTV. 

Envie seu comentário

Comentários (0)

Suspeito de estelionato e lavagem de dinheiro é preso em Curitiba

A Polícia acredita que o suspeito tenha usado várias empresas de fachada para adquirir dinheiro ilícito

Foto: Eric Brito/RICTV Curitiba

Um homem de 41 anos, suspeito de estelionato e lavagem de dinheiro, foi preso durante uma operação deflagrada pela equipe do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). Com ele os policiais apreenderam diversos talões de cheques, cartões de crédito e débito em nomes de terceiros, além de aproximadamente R$ 71 mil em dinheiro. O suspeito foi apresentado pela Polícia nesta terça-feira (7).

O flagrante aconteceu na segunda-feira (6) em um quarto de hotel, no bairro Centro Cívico, em Curitiba. Um Hyundai Azera – com várias irregularidades – que estava com o suspeito também foi apreendido. Conforme investigações apuradas pela polícia, com a posse de documentos falsos e dados de pessoas físicas, ele abria empresas fantasmas e contas bancárias.

“Esse homem fraudava os registros contáveis das empresas e abria uma conta jurídica em uma agência bancária, provavelmente em conluio com algum funcionário de dentro da instituição. Aberta essa conta, e com o crédito ativo, o suspeito acabava fazendo saques de grandes volumes e depois abandonava a empresa”, explicou o delegado-titular do Cope, Rodrigo Brown.

A Polícia acredita que o suspeito tenha usado várias empresas de fachada para adquirir dinheiro ilícito. De acordo com o delegado, há suspeitas de que algumas vítimas – titulares dos documentos – consentiam que seu nome fosse usado pelo suspeito. “Agora as investigações seguem para verificar se há mais pessoas envolvidas no esquema”, concluiu Brown.

A prisão do suspeito aconteceu depois que polícia recebeu uma denúncia anônima informando que o homem estaria agindo no Centro de Curitiba.

Além do crime de estelionato, o suspeito vai responder por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Ele na carceragem do Cope à disposição da Justiça.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Após vídeo, assassinos de travesti são presos no Ceará

As cenas de selvageria mostram a travesti sendo agredida com socos, chutes e pauladas

Travesti foi espancada até a morte por quatro homens (Foto: Reprodução/YouTube)

Graças a um vídeo de 1 minuto e 20 segundos, que circula nas redes sociais, a polícia cearense identificou e capturou, nesta terça-feira (7), no bairro Bom Jardim, na periferia de Fortaleza, quatro envolvidos no assassinato da travesti Dandara dos Santos, de 42 anos. O secretário de Segurança, André Costa, participou pessoalmente da operação, atendendo a pedido do governador do Ceará, Camilo Santana (PT).

Dandara foi brutalmente espancada até a morte. O crime aconteceu no dia 15 de fevereiro. As cenas da agressão, com socos, chutes, chineladas, pauladas e pedradas, foram gravadas e divulgadas na sexta-feira (3) na internet. O fato gerou grande comoção nas redes sociais.

O caso foi investigado pelo 32º Distrito Policial. De acordo com o delegado titular, Bruno Ronchi, os envolvidos no crime são adolescentes já com passagem pela Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA).

"Todo atentado contra a vida é um crime hediondo, mas pior ainda quando é motivado pelo ódio e preconceito, por conta de orientação sexual, raça, cor, idade ou sexo", afirmou o secretário de Segurança.

Na filmagem, Dandara aparece ensanguentada e com as roupas rasgadas. Ao mesmo tempo em que seus algozes a espancam, dizem palavras ofensivas contra ela e a mandam subir em um carrinho de mão. "Suba, suba! Não vai subir, não?", gritam três homens, enquanto a vítima, sentada no chão, mal consegue se mover por conta das agressões físicas.

Um dos agressores tira do pé o chinelo e bate na cabeça dela e ofende a trans com xingamentos. Mais chutes e tapas são dados. Dandara, mesmo sangrando e sem forças, tenta em vão subir no carrinho. "A mundiça tá de calcinha e tudo", zomba um dos homens. Outro aparece com um pedaço de madeira e bate repetidas vezes na travesti. Por fim, eles a colocam no carrinho e o vídeo termina.

As imagens da violência são extremamente fortes. Confira abaixo:

Veja também:

Travesti é espancada e atropelada por agressor no centro de Curitiba

Briga entre travesti e cliente acaba na delegacia em Maringá

Envie seu comentário

Comentários (0)