Curitiba

Homem registra boletim de ocorrência contra traição da própria mulher

O crime de adultério entrou no Código Penal brasileiro em 1940 e saiu em 2005, a polícia não pode fazer nada pelo denunciante

Foto: Divulgação/Polícia Civil.

Um homem de 50 anos, cansado de suspostas traições, decidiu registrar um boletim de ocorrência contra a própria mulher na cidade de Cáceres, no Mato Grosso (MT). O 'Corno dos grandes' formalizou o documento na segunda-feira (17) e o que surpreendeu a todos foi o número de xingamentos que constavam no texto. 

No documento, ele disse que está com muita dor de cabeça e admitiu estar cansado de 'tomar chifres'. Por estes motivos, resolveu registrar a denúncia na delegacia. Segundo ele, as traições aconteceram muitas vezes no meio da rua.

O homem ainda mencionou que a mulher utilizava uma bicicleta para ir até o local da traição. Ele contou que uma vez tirou os pneus, na tentativa de barrar a ação, mas não resolveu. 

Como adultério não é mais considerado um crime no Brasil, o B.O foi enquadrado em 'natureza atípica', impedindo que procedimentos policiais sejam gerados. O homem foi chamado para um segundo depoimento, dias depois, para confirmar a intenção registrar o documento. Segundo a Secretaria Pública do Mato Grosso, o policial que realizou o registro pode ser advertido.

O crime de adultério entrou no Código Penal brasileiro em 1940 e saiu oficialmente em 2005. No entanto, os tribunais brasileiros já não condenavam ninguém por traição desde a década de 1950. Sendo assim, a polícia não pode fazer nada pelo denunciante.

Leia mais:

Mulher descobre conversa do marido com outra e divulga conteúdo

 

Envie seu comentário

Comentários (0)

PRF apreende R$ 750 mil em botox e medicamentos contrabandeados

O homem foi abordado nesta quinta-feira (27), na BR-163, em Dourados (MS), e levaria o botox até São Paulo

Ampolas de Neuronox, composto conhecido por botox, poderiam ser usadas para tratamentos clandestinos. Foto: Divulgação/PRF.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 565 ampolas de “Neuronox” (toxina botulínica) e outras substâncias ainda não identificadas. O medicamento estava com um homem, preso por descaminho e crime contra a saúde pública. Ele foi abordado nesta quinta-feira (27), na BR-163, em Dourados (MS), e levaria o botox até São Paulo.

Uma equipe da PRF parou um veículo com placa de Amambai (MS). Os policiais suspeitaram da viagem do homem e encontrarem as ampolas de medicamentos importados ilegalmente – 100 ampolas rotuladas como “Neuronox Botulinum Toxin, Type A Complex”, conhecida no Brasil como botox – e 420 ampolas não rotuladas, mas com as mesmas características, além de outras 45 ampolas com pastilhas brancas, cujo composto ainda não foi confirmado.

Os medicamentos apreendidos foram levados à PRF e passaram por perícia para identificação de todas as substâncias. O laudo preliminar confirmou a existência de toxina botulínica. A droga poderia ser utilizada em aplicações médicas clandestinas de estética e tratamento de disfunções neurológicas e motoras. Além do medicamento ser importado ilegalmente, a comercialização no país é vedada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Uma apuração preliminar constatou que a comercialização ilegal de cada frasco pode chegar a R$ 1.500 e o valor total das drogas apreendidas pode ultrapassar R$ 750 mil. O homem preso confessou que as ampolas foram adquiridas na cidade de Assunção, no Paraguai, mas que apenas receberia pelo transporte até a capital paulista.

A pena prevista pelo crime de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais é de reclusão de dez a 15 anos e multa. O crime de descaminho prevê uma pena de reclusão de um a quatro anos.

Leia mais:

Polícia apreende uma tonelada de agrotóxico contrabandeado do Paraguai

 

Envie seu comentário

Comentários (0)

Menor infrator e latrocida é preso mais uma vez acusado de furto em Borrazópolis