Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Em Curitiba

Homem preso por agredir supostos assaltantes é solto no fim da tarde

Emocionado, ele conta que foi preso porque tentou defender a família e que faria tudo de novo

Autor: Redação RIC Mais
Silvano falou com a imprensa após sair da delegacia. (Foto: Reprodução/RICTV)
Silvano falou com a imprensa após sair da delegacia. (Foto: Reprodução/RICTV)

Um homem que foi preso em flagrante, na madrugada desta quinta-feira (6), por agredir duas pessoas que supostamente invadiram sua residência e roubaram uma bicicleta no bairro Hauer, em Curitiba, foi solto no fim da tarde, depois de quase 12 horas algemado na cadeia.

Emocionado, ele conversou com a imprensa em frente a delegacia. “Eu acho que eu só fiz aquilo que qualquer cidadão brasileiro faria por sua família e se tivesse que fazer de novo, faria mais uma vez com certeza. [...] Vi, persegui, abordei e aguardei a polícia. Só o equívoco que teve foi aqui na delegacia, que ao invés de deixar os bandidos presos, prenderam eu. Liberaram os bandidos e eu é que fiquei preso”, falou Silvano Rogério Weber, 35 anos. Pelo telefone, ele contou à RICTV Curitiba | Record PR que ficou às 12 horas algemado pela mão e por um dos pés

A esposa de Silvano esperava pelo marido emocionada. (Foto: Reprodução/RICTV)

Liberdade provisória

Na decisão, a juíza responsável explica que concede liberdade provisória a Silvano por ele ser acusado primário, não possui maus antecedentes e não apresentar “periculosidade concreta capaz de justificar a prisão preventiva”. No mesmo documento, ainda são aplicadas medidas cautelares que deverão ser seguidas por ele e que, no caso, de descumprimento, podem acarretar em uma nova detenção.

Entenda o caso

Conforme a denúncia, aceita pela Justiça, Silvano é acusado por agredir os dois suspeitos de assalto, mesmo sem ter certeza de que se tratavam dos criminosos que invadiram sua casa e furtaram a bicicleta. Isso porque Silvano não encontrou eles dentro da sua residência, mas sim em uma rua nas proximidades e sem nenhuma bicicleta, depois que, após o roubo, saiu de casa buscando pelos responsáveis.

Na sequência, segundo o depoimento das duas vítimas e do próprio acusado, ele fingiu estar armado, ordenou que ambos deitasse no chão, desferiu chutes contra ambos e, ainda, amarrou um deles com um pedaço de corda com o intuito de detê-los no local até a chegada da polícia.

Prisão

Com a chegada de policiais militares, todos foram conduzidos à Central de Flagrantes da Polícia Civil. Já no local, Silvano foi preso em flagrante, pelo delegado Fábio Machado,  por espancamento e tortura enquanto os dois supostos assaltantes foram soltos.

No entanto, pouco tempo depois, um deles acabou detido novamente quando voltou ao endereço da casa de Silvano para buscar uma bicicleta. Não foi esclarecido pela polícia, como, exatamente, ocorreu essa segunda prisão.

A polícia ainda investiga se os dois homens cativos por Silvano foram os mesmos que roubaram sua residência. 

Homem que foi preso, solto e preso novamente pela polícia. (Foto: Reprodução/RICTV)
Coletiva de imprensa

Também no fim da tarde desta terça, Cláudio Dalledone Júnior, portavoz jurídico do delegado, concedeu uma coletiva de imprensa para dar a versão de Fábio Machado para o ocorrido. “Dr. Fábio Machado entendeu uma situação que foi trazida para a delegacia dele, para a avaliação dele, que existiu ali uma situação de tortura. E assim, o fez, autuou aquele acusado, esse suspeito pelo crime de tortura porque a situação trazida da rua, inclusive com o depoimento, desse autuado, tudo indicava tecnicamente de que o que houve ali foi tortura”, explicou o advogado da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (ADEPOL).

Assista ao vídeo sobre o caso:

Maurício Freire, repórter da RICTV Curitiba, acompanhou a soltura de Silvano.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 2,8

  • Comentário via facebook