Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

RMC

Homem é preso suspeito de ajudar mulher a matar ex-namorado

A vítima foi decapitada e teve a cabeça encontrada por uma criança em Colombo

Autor: Redação RIC Mais
Local onde o corpo da vítima foi encontrado em Colombo. (Foto: Tiago Silva/RICTV Curitiba)
Local onde o corpo da vítima foi encontrado em Colombo. (Foto: Tiago Silva/RICTV Curitiba)

A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão contra Gean Carlos Frogel, de 25 anos, por suspeita de auxiliar Andréia Totosvski, de 28 anos, no assassinato do ex-namorado da mulher Edivaldo Dias, de 37 anos. O crime ocorreu no dia 16 de agosto deste ano em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba.

O homem, que estava preso na Colônia Penal Agrícola do Paraná (CPA) por roubo e associação criminosa, agora também responderá pelo crime de fraude processual. Andréia responde por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual.

Investigações

Andréia está detida desde o dia 9 de novembro, quando foi presa em Santa Catarina (SC). De acordo com a polícia, com a prisão de Gean o inquérito policial está próximo do fim. “Ao todo, ouvimos cinco testemunhas, entre elas duas sigilosas. Uma das testemunhas confirmou que foi contratada para matar Dias e a outra ouviu da investigada, detalhes de como o decapitou", conclui Barichello.

“Informações obtidas através da quebra de sigilo de comunicação, mostraram que o suspeito estava auxiliando Andréia a se livrar das provas do homicídio, inclusive combinaram destruir o veículo em que o corpo da vítima foi carregado após o crime. Ele confirmou que Andréia foi autora do homicídio”, conta Tito Livio Barichello, delegado responsável pelas investigações.

Mensagens trocadas entre Gean e Andréia. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

 

Eles iriam destruir o carro em que o corpo da vítima foi carregado. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Outro ponto crucial para a elucidação do crime, segundo Tito, foi o exame de luminol no veículo da investigada, que confirmou a existência de sangue no porta-malas do carro apreendido. O delegado também esclareceu que uma nova investigação foi iniciada, pois outro ex-namorado da suspeita também teria sido assassinado anos atrás.

Conforme a polícia, no dia 13, quando a vítima desapareceu, havia uma ligação em seu celular realizada pela suspeita às 5h da manhã e já existiam Boletins de Ocorrência registrados por Edivaldo contra ela afirmando que Andréia teria tentado esfaqueá-lo.

O crime

O corpo de Edivaldo foi encontrado - sem camiseta, de calça jeans e tênis - apenas no dia 16 de outubro em Colombo, também na região metropolitana da capital, e sua cabeça apenas dias depois, por crianças que brincavam em um matagal.

Local onde o corpo foi encontrado. (Foto: Reprodução/RICTV

Na época, Andreia chegou a conversar com a reportagem da RICTV Curitiba | Record PR e negou envolvimento com a morte do ex. “Eu não tenho nada a ver com isso, que eu jamais faria uma coisa dessa. “Eu não tô feliz com essa situação, de jeito nenhum. Eu queria que ele fosse preso para pagar o que ele fez com muita gente”, alegou.

Em outro trecho da entrevista, ela demonstra sentir raiva de Edivaldo: “ele tinha que pagar pelo o que ele fez na cadeia, não no cemitério. Morrer é muito fácil, se livrar dos problemas morrendo”, disse.

Decapitou o ex e dançou funk

A polícia também teve acesso a imagens de Andréia em uma festa logo depois do assassinato de Edivaldo. Nas gravações, a principal suspeita de matar o ex-namorado aparece se divertindo e dançando funk.

A suspeita foi a uma festa após o crime. (Foto: Reprodução/RICTV)

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 3,0

  • Comentário via facebook