Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Sobre o crime

Caso Daniel: Edison Brittes, esposa e filha devem prestar depoimento

Outras três pessoas, que são suspeitas de acompanharem o crime, também devem prestar depoimento nesta segunda-feira (5)

Autor: Redação RIC Mais
O jogador Daniel foi morto no sábado (27) na Grande Curitiba. (Foto: Reprodução/Flickr do Botafogo)
O jogador Daniel foi morto no sábado (27) na Grande Curitiba. (Foto: Reprodução/Flickr do Botafogo)

O suspeito de matar o jogador Daniel Corrêa Freitas, Edison Brittes Júnior, além da esposa, Cristiana Brittes, e a filha, Allana Brittes, devem ser ouvidos nesta segunda-feira (5) pela Polícia Civil de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Edison foi preso no dia primeiro de novembro e confessou ter assassinado Daniel Corrêa, de 24 anos. Após a prisão, ele foi com investigadores até o local do crime para mostrar detalhes de como teria matado o jogador. Ele afirmou, em depoimento, que matou o ex-meia do Cruzeiro porque o jovem tentou estuprar Cristiana Brittes.

A esposa do empresário, de 35 anos, teria se entregado para à polícia na quarta-feira (31). Já a filha, que completou 18 anos no dia do crime, foi presa junto com o pai na última quinta-feira, em casa.

Os advogados de dois, dos três rapazes que testemunharam o assassinato de Daniel, chegaram por volta das 9h na Delegacia da Polícia Civil de São José dos Pinhais. Segundo informações policiais, os jovens foram identificados como David Willian Vollero Silva e Igor King. 

Silva é namorado da Allana Brittes e Igor um amigo da jovem. O terceiro suspeito é um primo, que mora em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, e vem para Curitiba ainda nesta segunda. 

Jogador Daniel encontrado morto: entenda

De acordo com a polícia, Daniel viajou até Curitiba para comemorar o aniversário de 18 anos de Allana em uma casa noturna sertaneja. De lá, no início da madrugada de sábado (27), ele teria seguido com outras pessoas para a residência de Edison Brittes onde ocorria um “after”.

Na casa da aniversariante a festa continuou até que foram ouvidos os gritos de Cristiana por socorro. Foi nesse momento que uma testemunha-chave presenciou Daniel ser espancado - primeiro no quarto do casal e depois na garagem - pelo empresário e os outros três suspeitos.

De acordo com sua versão, Allana e Cristiana Brittes entraram em desespero. “Quando eles estão batendo, eles tiram a cueca do Daniel e deixam ele só de camiseta. Nesse momento, ele já não conseguia mais falar. Ele já estava só murmurando, praticamente desmaiado", disse Jacob Filho, advogado da testemunha. Ele também contou que os agressores falavam “Vai morrer, mexeu com mulher de bandido, vai morrer”. 

Na versão do advogado de defesa, o jogador entrou no quarto e tentou estuprar a esposa do empresário. Então, Edison espancou o jovem, colocou ele dentro do carro e foi até a área rural de São José dos Pinhais com a intenção de abandoná-lo vivo. Dalledone afirma que foi durante o trajeto que o empresário perdeu o controle e matou o jovem. Na história contada pela defesa, o celular da vítima tocou e o marido viu as fotos que Daniel tirou com Cristiane na cama do casal (veja abaixo). Além de mensagens que ele teria enviado a um amigo de São Paulo afirmando que iria ter relações sexuais com Cristiana no quarto do casal.

As fotos que teriam motivado o crime, segundo Edson Brittes Júnior

O delegado Amadeu Trevisan, da Polícia Civil de SJP, disse à Record TV que não acredita na versão do estupro. "Nós não acreditamos nessa hipótese de estupro. Não tem como provar. Acreditamos apenas que o rapaz tenha deitado ao lado dela [mulher de Edison], tenha tirado fotografia e tenha dito que tinha estuprado apenas para aparecer para os amigos. Enfim, coisa de pessoa imatura apenas", acrescentou o delegado. "Acreditamos que tenha sido um momento de imaturidade de Daniel acompanhado de um gesto desproporcional", afirmou ainda durante a entrevista.

Amizade de Allana Brittes com jogador

Após o corpo do jogador ser descoberto em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, Allana postou uma foto com o jogador em sua rede social. Na publicação - que foi compartilhada em um modo onde é possível visualizar por apenas 24h - a jovem compartilhou uma fotografia de seu aniversário de 17 anos. Nela, os dois aparecem como amigos. Na legenda, é possível ler: “A foto do meu aniversário do ano passado. A desse ano você não me mandou”.

Em vídeo, Allana diz que conhecia o jogador há menos de um ano, mas, um dia após o crime, a jovem postou 
uma foto lamentando a morte de Daniel Corrêa nas redes sociais

Por WhatsApp, antes do jogador ser encontrado morto, ela afirmou para a mãe de Daniel que o jovem foi embora sozinho da residência antes de desaparecer. "Isso eu já não sei. Ele só levantou e foi embora", afirmou. Dissimulada, Allana também disse que a mãe de Daniel deveria ter fé e que tudo iria dar certo.

Edison Brittes liga para mãe de Daniel após assassinato

"Esse maluco ligou para a mãe dele [Daniel]. Foi um negócio bem de sangue frio mesmo. Se o Daniel tivesse estuprado, ele não ligaria para a mãe [do estuprador] e falaria sobre sentimentos dele. Não se estivesse defendendo a honra da família. Esse cara está inventando a versão dele", acusou o parente da vítima que não quer se identificar por medo de retaliações por parte dos suspeitos. Confira a matéria.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook