Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

DEPOIMENTO

Em depoimento, Cris Brittes conta que pediu para ajudarem Daniel Correa

Acompanhada dos advogados, Cristina Brittes prestou depoimento sobre o dia da morte do jogador Daniel Correa Freitas na delegacia de São José dos Pinhais

Autor: Redação RIC Mais
Allana Brittes e Cristina Brittes (Foto: reprodução arquivo pessoal)
Allana Brittes e Cristina Brittes (Foto: reprodução arquivo pessoal)

Acompanhada de dois advogados, Cláudio Dalledone Júnior e Renan Pacheco Canto, Cristiana Brittes, de 35 anos, deu oficialmente seu depoimento à polícia nesta segunda-feira (5), na Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

Cristiana Brittes é suspeita de estar envolvida no crime

Em depoimento, Cristiana Brittes afirma que tem um relacionamento afetivo há 20 anos com Edison Brittes Júnior, e que com ele tem duas filhas. Além de Allana, o casal também possui mais uma filha, de 11 anos.

Ela, que é suspeita de estar envolvida na morte do jogador de futebol Daniel Correa Freitas, disse que no dia 27 de outubro aconteceu a festa de comemoração do aniversário da filha, Allana Brittes, que completava 18 anos, em uma casa noturna de música sertaneja, localizada no bairro Batel.

Em depoimento, Cristiana Brittes afirma que não conhecia Daniel Correa, mas que já tinha visto o rapaz em um evento anterior, na festa de 17 anos da filha Allana, que aconteceu há aproximadamente um ano.

Além disso, Cristiana informa que nunca trocou nenhuma palavra com a vítima, e que a festa aconteceu de forma tranquila, mas que não se recordava em qual horário havia deixado a casa noturna, já que havia consumido bastante bebida alcoólica. Segundo Cristina, ela se recorda de ter ido embora acompanhada do marido, que foi dirigindo o próprio carro.

Ao chegarem em casa, a interrogada conta que estava acompanhada do marido Edison, Allana, uma prima, o marido, e o acompanhante de Allana, que estaria tendo um relacionamento com a filha.

Em casa, Cristina afirma que se lembra apenas de ter comido um ovo e ido dormir, e foi colocada em seu quarto pelo marido Edison Brittes, na parte inferior da casa.

Cristiana afirma que festa em sua casa não foi combinada

Em depoimento, Cristiana conta que não foi combinado o acontecimento de qualquer festa em sua casa. E que, segundo informado pela filha Allana Brittes, um amigo ligou para ela e disse que estavam indo para a residência para continuarem a festa.

Cristiana conta que foi dormir, e, segundo a sua filha Allana, Daniel Correa chegou acompanhado do amigo que teria ligado, além de mais três meninas, sendo que ela conhecia apenas uma.

No total,  Edison teria recebido cerca de 12 pessoas na parte de trás da casa, no salão de festas, e que ficou acompanhado de todos os convidados, exceto Cristiana, que afirma que já estava dormindo.

De acordo com a suspeita, foi informado a ela que Edison teria saído da casa para buscar bebida por volta das 8h, e, devido a isso, ela acredita que tenha sido neste momento que Daniel Correa teria entrado em seu quarto.

Na residência, Cristiana afirma que sua prima entrou em seu quarto para usar o banheiro, e ela, enquanto usava o sanitário, teria deixado a porta aberta. Com isso, Cristina conta que Daniel entrou no local e a ficou olhando enquanto fazia suas necessidades, tendo comentado, segundo o relato "eu sei que você tem namorado e ela é casada, só vou fazer xixi".

Em relação aos fatos, Cristiana conta em depoimento a sua versão de como tudo aconteceu. Veja em imagem abaixo:

Parte do depoimento de Cristina Brittes, em que a suspeita conta que acordou com Daniel Correa em cima dela.

Apesar do relato, Cristiana afirma que não pode afirmar de fato quem agrediu o jogador de futebol Daniel Correa, já que apenas pediu para o ajudarem, separaram a briga e o jogarem na rua, mesmo sem roupa.

Suspeita conta que ao invés de ajudarem, Daniel foi ainda mais agredido

No depoimento dado por Cristiana Brittes, ela conta que ao invés de ajudarem Daniel, o jogador foi ainda mais agredido, e ninguém tentou separar a briga. E que ela se recorda apenas de ver Daniel na área externa da sua casa, ainda dentro do terreno, caído no chão, não ouvindo ele dizer nada.

Segundo a suspeita, ela solicitou que um dos rapazes que estava no local ligasse para a polícia ou para que ele fizesse alguma coisa, mas que ele apenas colocava a mão na cabeça dizendo que não podia fazer nada, e que ela não sabe afirmar quem colocou o Daniel Correa dentro do carro, e nem se Edison Brittes apanhou uma faca dentro da casa, ou se portava alguma faca dentro do veículo. Mas que, segundo ela, o marido carregava uma caixa de ferramentas dentro do automóvel.

Veja mais um trecho do depoimento abaixo!

Parte do depoimento de Cristina Brittes, em que ela dá detalhes dos momentos após o crime.

 

Parte do depoimento de Cristina Brittes, em que a suspeita finaliza o depoimento dado em São José dos Pinhais. 

Assista à entrevista do delegado responsável pelo caso:

Veja os últimos desdobramentos do caso Daniel Correa.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 3,6

  • Comentário via facebook