Curitiba

Corpo de gestante desaparecida no Paraná é encontrado

Grávida de três meses estava desaparecida há 22 dias; um casal foi preso suspeito pela morte

Ana Carolina já era mãe de uma menina de 6 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

A Polícia Civil encontrou na região rural de Palmas, no sul do Paraná, o corpo da gestante Ana Carolina Prestes da Silva, de 22 anos, que estava desaparecida desde o dia 15 de julho. O cadáver, já em avançado estado de decomposição, foi encontrado em um canavial na noite de sexta-feira (6).

Os familiares já reconheceram o corpo como sendo de Ana Carolina, mas devido ao estado de putrafação, o Instituto Médico-Legal(IML) de Pato Branco ainda não fez o laudo conclusivo. A causa da morte também não foi revelada.

Um casal foi preso na tarde de sábado (5) suspeito pela morte da grávida. A Polícia Civil não informou os nomes dos suspeitos, mas confirmou que o homem era amante da vítima e pai da criança que ela esperava.

Ana Carolina estava grávida de três meses e saiu de casa no dia 15 de julho sem dizer para onde estava indo. Ela era mãe de uma menina de 6 anos que está aos cuidados da avó.

De acordo com a família, a jovem estava em um relacionamento de aproximadamente um ano com um homem casado. Cinco dias antes de desaparecer, Ana Carolina fez um Boletim de Ocorrência (B.O.) na delegacia de Palmas informando que esse homem queria que ela cometesse um aborto e teria a obrigado a tomar alguns medicamentos.

A investigação do caso está sob o comando do delegado Victor Grotti.

Veja também
Homem mata amante grávida porque ela se negou a fazer aborto
Mulher é presa por tentar cometer aborto no 8º mês de gravidez
Grávida é morta na frente de filho de dois anos e marido em suposto assalto

Envie seu comentário

Comentários (0)

Advogado é preso em flagrante por racismo no aeroporto

Após oferecer banana a funcionária, ele foi capturado no avião

Foto: Arquivo.

*Do R7

Um advogado foi preso na sexta-feira (4) em flagrante, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, sob acusação de praticar um ato racista contra uma funcionária de uma companhia aérea.

Após uma discussão no check-in da empresa, o advogado retirou uma banana de sua mochila e entregou à atendente negra. A vítima fez uma denúncia à Polícia Federal e o passageiro foi preso em flagrante já dentro do avião  que ia para Corumbá, no Mato Grosso do Sul.

Testemunhas que presenciaram o ato de racismo prestaram depoimento à PF. O advogado foi levado para a Superintendência da PF em Belo Horizonte e depois encaminhado para a Polícia Civil de Vespasiano (MG).

Veja também:

Família curitibana acusa cafeteria de racismo contra filha negra

 

Envie seu comentário

Comentários (0)

PRF apreende 2,5 toneladas de maconha no Paraná; droga iria para o RJ

O motorista, de 56 anos, foi preso e contou que pegou a droga em Cascavel, no oeste do Estado

A droga seguia para o Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/PRF.

A droga seguia para o Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/PRF.

A droga seguia para o Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/PRF.
A droga seguia para o Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/PRF.
A droga seguia para o Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/PRF.
A droga seguia para o Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/PRF.
A droga seguia para o Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/PRF.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu mais de duas toneladas de maconha na madrugada deste sábado (5) em Quatro Pontes, cidade da região oeste do Paraná. A droga estava escondida em meio à carga de um caminhão, que transportava peças para câmara frigorífica. O motorista, de 56 anos, foi preso.

Os policiais abordagem o veículo por volta de meia-noite, na BR-163, em frente à unidade operacional da PRF. Aos agentes federais, ele disse que carregou a droga em Pato Bragado (PR) e que a levaria para o Rio de Janeiro.

Ao todo, foram apreendidos 2.457 quilos de maconha. A PRF encaminhou a droga, o caminhão e o preso à Polícia Federal de Cascavel. Se condenado, o homem pode pegar até 15 anos de prisão.

A apreensão da madrugada deste sábado é a terceira maior deste ano feita pela PRF no Paraná. A maior foi registrada no último dia 26 de julho, em Toledo, quando 4,3 toneladas de maconha foram apreendidas. A segunda maior ocorreu em Guaíra, no dia 9 de maio: 2,7 toneladas.

Leia mais:

Polícia apreende 2 toneladas de maconha escondidas em carga de laranja

Envie seu comentário

Comentários (0)