Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Norte do Paraná

Armas e munições são encontradas em clínicas psiquiátricas de Londrina

Vinte e quatro armas de diversos calibres, incluindo pistolas e uma submetralhadora, e mais de 1900 munições foram apreendidas pela polícia durante o mandado de busca e apreensão

Autor: Redação RIC Mais
Armas são apreendidas em clínicas psiquiátricas de Londrina. (Foto: Dayane Enz/RICTV)
Armas são apreendidas em clínicas psiquiátricas de Londrina. (Foto: Dayane Enz/RICTV)

Vinte e quatro armas de diversos calibres, incluindo pistolas e uma submetralhadora, e mais de 1900 munições foram encontradas em duas clínicas psiquiátricas de Londrina, no norte do Paraná, pelo Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Paraná (MP-PR), nesta terça-feira (12).

O proprietário do arsenal é um médico psiquiatra que teria dito, informalmente, que é colecionador de armas. A polícia chegou até o armamento - que estava distribuído entre os dois consultórios do profissional- enquanto fazia buscas nas instituições que são alvo de uma investigação que apura irregularidades nos internamentos.

Entre as armas foi localizada uma pistola escondida dentro de um livro. (Foto: Reprodução/RICTV)

Segundo o promotor Jorge Barreto, nenhuma delas está regularizada, além de que também foram encontradas armas e munições de uso restrito, que sequer poderiam ter sido adquiridas. “Durante o curso do cumprimento das medidas cautelares, da busca e apreensão, nós encontramos essa quantidade de armas, essa quantidade de munição, que foi totalmente surpresa para os policiais”, disse. 

Até a publicação desta reportagem, o médico ainda estava depondo no Gaeco de Londrina e não é possível saber se ele será preso ou liberado. 

Investigação em clínicas psiquiátricas de Londrina

Nesta terça, policiais e promotores do Gaeco cumpriram mandados de busca e apreensão em uma clínica localizada no bairro Shangri-lá e outra no centro da cidade. A operação investiga denúncias de falsidade ideológica em prontuários de pacientes e um eventual crime de estelionato contra o Sistema Único de Saúde (SUS). Os pacientes ficariam internados por mais tempo do que o necessário para que a clínica, que atende apenas pacientes do SUS, recebesse por mais tempo os repasses financeiros federais.

As buscas nas clínicas psiquiátricas iniciaram na manhã desta terça-feira. (FOTO: JOÃO RAMONDINI/RICTV)

O casal responsável pela direção da clínica - o médico psiquiatra e sua esposa que é enfermeira - foi afastado das suas funções. " O que nós solicitamos foram medidas cautelares que foram deferidas pelo juízo de forma a afastar e  proibir o acesso dos diretores dessa unidade ao local. Então, eles estão sendo afastados das suas funções temporariamente até que as investigações prossigam e possam ser concluídas”, informou o promotor do Gaeco, Leandro Antunes.

Maus-tratos contra os pacientes

De acordo com Antunes, os investigadores ainda apuram se houve maus-tratos contra os pacientes internados. Por isso, as equipes da Vigilância Sanitária e do Corpo de Bombeiros também estiveram no local averiguando as condições sanitárias da clínica.

A clínica psiquiátrica, também conhecida por CPL, já foi alvo de investigações do Ministério Público em 2010. Na época, uma apuração foi aberta depois que o MP-PR recebeu denúncias de maus-tratos contra os internos. 

Assista ao vídeo sobre o caso:

Dayane Enz, repórter da RICTV Londrina, conta todos os detalhes.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 4,1

  • Comentário via facebook