Curitiba

Amigos são agredidos em bar de Curitiba e ficam gravemente feridos

Três jovens foram socorridos para hospitais e corriam risco de morte.

PM realizou buscas na região, mas ninguém foi preso (Foto:Ilustrativa/PMPR)

*Com informações do repórter Otoniel Silva, da RICTV Curitiba

Um grupo de amigos foi agredido na noite de sábado (2), no bairro São Francisco, região central de Curitiba. De acordo com testemunhas, eles estavam em um bar na Rua Inácio Lustosa quando cerca de 10 pessoas, armadas com facas de tacos de beisebol, entraram no local e começaram a chamá-los de nazistas.

Os agressores partiram para cima das vítimas e três jovens ficaram feridos. Dois foram encaminhados para o Hospital Cajuru com lesões moderadas e um terceiro foi encaminhado para o Hospital Evangélico. Todas as vítimas tiveram ferimentos graves e corriam risco de morte.

A Polícia não informou a identidade das vítimas, por isso não é possível saber o estado de saúde atual dos feridos junto aos hospitais.

Uma das vítimas que teve ferimentos mais leves disse que é judeu e contra qualquer tipo de violência.

A Polícia Militar realizou buscas na região, mas nenhum suspeito foi localizado.

Veja também:

 

Envie seu comentário

Comentários (0)

Homem que ejaculou em moça no ônibus e foi solto cometeu outro abuso

Homem mostrou o pênis para outra moça dentro de ônibus; delegado pediu avaliação psicológica

Diego foi detido neste sábado após mostrar pênis para outra passageira (Foto: Reprodução/R7)

*Do R7 com Agência Record

Na manhã deste sábado (2), Diego Ferreira Novais, de 27 anos, foi preso dentro de um ônibus na avenida Brigadeiro Luis Antônio. Ele foi preso por suspeita de ato obsceno contra uma moça dentro do coletivo. Os passageiros perceberam a ação do rapaz e chamaram a polícia.

Diego e a vítima estão no 78º DP, na região da avenida Paulista, mesmo local onde na terça-feira, dia 27, o rapaz foi preso por ejacular no pescoço de uma passageira.

Após o ataque de terça-feira, que causa grande repercussão nas redes sociais, Diego foi solto pela Justiça, o que causou uma onda ainda maior de críticas. 

Durante a audiência de custódia no Fórum Criminal da Barra Funda, na quarta-feira, dia 30, o juiz José Eugênio do Amaral Souza Neto entendeu que não era necessária a manutenção da prisão do homem, porque o crime não deve ser tratado como estupro. Em sua decisão,  o juiz afirma que.

— O crime de estupro tem como núcleo constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça.

Souza Neto acrescenta ainda que o caso em questão não apresenta tal amedrontamento.

— Entendo que não houve o constrangimento, tampouco violência ou grave ameaça, pois a vítima estava sentada em um banco de ônibus, quando foi surpreendida pela ejaculação do indiciado.

Leia mais

Envie seu comentário

Comentários (0)

Cobrador de ônibus morre após ser baleado dentro de coletivo

Suspeito embarcou no ônibus e teria dito ao motorista: 'Não é com você'

Suspeito atirou apenas contra o cobrador e fugiu sem roubar nada (Foto: Daniel Santos/RICTV Curitiba)

*Com informações do repórter Daniel Santos, da RICTV Curitiba

O cobrador de ônibus Fernando Mainardes da Silva, de 25 anos, que trabalhava na linha Gramado, em Curitiba, foi assassinado a tiros na noite de sexta-feira (1º). A Polícia não informou a motivação do crime.

O ônibus em que ele trabalhava estava fazendo a última viagem do dia quando o atirador entrou no veículo e efetuou os disparos contra a vítima. Cerca de dez passageiros estavam no coletivo no momento do crime, além do motorista.

O motorista, que pediu para não ser identificado, disse que ao embarcar no ônibus, o assassino olhou para ele e disse “não é com você”. Em seguida, o homem foi até o cobrador e atirou.

Fernando chegou a ser socorrido para o Hospital do Trabalhador, mas não resistiu aos ferimentos. Ele era pai de um menino de dois anos.

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), disse que o suspeito fugiu sem levar nada e que há indícios de ‘crime passional’.

O Sindimoc reclamou ainda da demora da URBS e da Prefeitura de Curitiba em dar uma resposta sobre os pedidos da categoria para a instalação de câmeras de segurança nos coletivos. Para o sindicato, imagens poderiam identificar o suspeito de matar o cobrador e ajudar na solução do crime.

Veja também:

Envie seu comentário

Comentários (0)