Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Atenção, pais!

Campanha de vacinação contra pólio e sarampo termina hoje (14)

Ministério pretende vacinar as 118 mil crianças que faltam para cumprir a meta. Vacinação vai de 1 a menos de 5 anos

Autor: Redação RIC Mais
A intenção é de, até o fim do dia, vacinar mais 118 mil crianças (Foto: Erasmo Salomão/Ministério da Saude)
A intenção é de, até o fim do dia, vacinar mais 118 mil crianças (Foto: Erasmo Salomão/Ministério da Saude)

Termina nesta sexta-feira (14) a campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomelite em todo o Brasil. A campanha, que teve início em 6 de agosto, aplicou 22,4 milhões de doses de vacina — 11,2 milhões contra cada uma das doenças alvo.

Da meta de vacinar 95% das crianças entre 1 e menos de 5 anos, 94% do público-alvo foi vacinado até esta quinta-feira (13). A intenção é de, até o fim do dia, vacinar mais 118 mil crianças. Entre os Estados que precisam de mais atenção estão o Rio de Janeiro, que vacinou 78,67% das crianças contra o sarampo e 79,94% contra a pólio, Roraima, Acre, Piauí e Distrito Federal.

Os Estados do Amazonas, Pará, Tocantins, Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso também não atingiram a meta. Já os Estados que superaram essa meta são Rondônia,Amapá, Pernambuco e Santa Catarina. Os demais Estados conseguiram atingir o objetivo de vacinação.

A vacina contra o sarampo engloba duas doses. A primeira é a da tríplice viral, que protege também contra caxumba e rubéola e deve ser dada logo após a criança completar 1 ano. A segunda dose é a tetraviral, que inclui a proteção à varicela (a catapora), aos 15 meses (1 ano e três meses de vida).

Já a imunização contra a poliomielite é composta por cinco doses de vacina. As duas primeiras doses, aos 2 e 4 meses de idade, são injetáveis. As outras três, aos 6 meses, 15 meses e 4 anos, são por via oral, as famosas gotinhas.

 

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 0,0

  • Comentário via facebook
Leia também:

Atenção!

Números alarmantes

ANTIDEPRESSIVOS