Curitiba

Número de mortes aumenta 24,7% em dez anos no Brasil

Número de mortes registradas entre 2006 e 2016 aumentou

A partir de 2006, mais da metade das mortes é proveniente da população com mais de 65 anos. (Foto: Ilustrativa/Alberto Coutinho/GOVBA)

O número de mortes registradas no Brasil entre 2006 e 2016 aumentou em 24,7%. Em 2006, foram contabilizadas 1.019.393 mortes e, no ano passado, 1.270.898. Houve redução expressiva da mortalidade até os 14 anos e aumento nas idades mais avançadas, em especial acima dos 50 anos, reflexo do envelhecimento populacional.

Os dados constam da pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada hoje (14).

Em 1976, os óbitos de menores de 1 ano e de menores de 5 anos representavam 27,8% e 34,7% do total, respectivamente. Após 40 anos, os avanços nas condições de saneamento básico, na distribuição de medicamentos e no aperfeiçoamento de vacinas e de outros meios de medicina preventiva permitiram que os óbitos dos menores de 1 ano ficassem em 2,4% e o de menores de 5 anos, em 2,9%.

Há quatro décadas, as mortes de pessoas com mais de 65 anos correspondiam a 29,1% do total. A partir de 2006, mais da metade das mortes é proveniente da população com mais de 65 anos. No ano passado, esse percentual alcançou 58,5%.

Mortalidade masculina

Em 2016, um homem de 20 anos tinha 11 vezes mais chance de não completar os 25 anos do que uma mulher se a causa da morte fosse externa (homicídio, suicídio, acidentes de trânsito, afogamentos e quedas acidentais). O índice cresceu 141,3% nesse período de 40 anos – em 1976, este índice era de 4,6 vezes.

Para os homens, o volume de óbitos aumenta significativamente para quem tem idade de 15 a 39 anos, em função das causas violentas que afetam com maior intensidade este contingente populacional.

Se forem considerados somente os óbitos por causas naturais no grupo de 20 a 24 anos, um homem de 20 anos teria 2,2 vezes mais chance de não completar os 25 anos do que uma mulher na mesma idade.

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Injeção de aminoácidos para emagrecer: novidade promete corpo em forma

Na contagem regressiva para o verão, todas querem que ele seja sem canga! As injeções de aminoácidos podem te ajudar nisso

4 exercícios de pilates para fazer em casa

Quer praticar pilates em casa? A Pure Pilates selecionou alguns exercícios fáceis de fazer em casa

20171113_121117_-_pilates2_1.jpg

O pilates é uma atividade física muito antiga que tem como objetivo unir o corpo e mente por meio de uma série de exercícios que envolvem respiração e movimentos. Ele fortalece a musculatura, as articulações e estimula o correto alinhamento da postura - e é o eleito de beldades como Isis Valverde, Carolina Dieckmann e Grazi Massafera.

Diferentemente do que muita gente pensa, há uma série de exercícios que podem ser realizados em casa. Confira a seguir alguns exemplos de exercícios de pilates para fazer em casa, indicados pela Pure Pilates.

  1. Abdominal

Para realização desse exercício basta apenas um colchonete. É necessário deixar o corpo estendido, com pernas retas e os braços acima da cabeça. No momento da inspiração eleve lentamente mãos, braços, ombros, cabeça e tronco até conseguir se levantar. O movimento também pode ser realizado com os joelhos dobrados, facilitando assim sua execução.

Quatro séries entre 8 e 12 repetições está de bom tamanho. O abdominal fortalece abdômen, glúteos e costas.

  1. Elevação de quadril

Assim como a abdominal, para realizar este exercício basta apenas um colchonete. Para a realização da elevação de quadril deve-se deitar com os joelhos flexionados e manter os pés, braços, ombros e costas apoiados no chão. Na inspiração suba lentamente o cóccix, a coluna lombar e coluna vertebral, mantendo os ombros e a parte de cima das costas como apoio e levante uma das pernas em direção ao teto.

Quatro séries de até 10 repetições é o suficiente para garantir o fortalecimento da musculatura do glúteo, do abdômen, da coluna lombar, do posterior da coxa e também da musculatura paravertebral.

  1. Flexão de braço

A flexão de braço é um dos exercícios mais conhecidos que existe. Para sua realização basta ficar na posição de cachorrinho, tirando os pés do chão e os cruzando e com os braços abertos em um ângulo de 90º. Após isso, basta fechar os braços, trazendo-os mais próximo possível do seu corpo e descer com o peito em direção ao chão.

Quatro séries entre 10 e 15 repetições são suficientes para um ótimo fortalecimento dos músculos peitorais e tríceps.

  1. Elevação de perna lateral

Para a realização desse exercício, deve-se deitar de lado, sobre o braço que deve permanecer estendido. Em seguida, o abdômen deve ser contraído, assim como os glúteos e a pelve também. Mantenha então as pernas bem estendidas uma em cima da outra. No momento de inspiração eleve a perna de cima em direção ao teto e abaixe.

Assim como nos exercícios anteriores, quatro séries entre 10 e 15 repetições para cada perna são suficientes para fortalecimento dos músculos da coxa.

Envie seu comentário

Comentários (0)