Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

saúde

Falta de médicos ginecologistas e vacinas preocupa moradores de Sarandi

O coordenador de atenção básica da Secretaria de Saúde da cidade concedeu uma entrevista para falar sobre o assunto; assista!

Autor: Redação RIC Mais
Em Sarandi, faltam médicos especialistas e vacinas. (Foto: Reprodução/RICTV)
Em Sarandi, faltam médicos especialistas e vacinas. (Foto: Reprodução/RICTV)

A falta de médicos especializados em ginecologia nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Sarandi, no norte do Paraná, tem preocupado gestantes que vêm realizando os pré-natais com médicos generalista. Além disso, moradores também reclamam da falta de vacinas disponíveis nos postos do município. Para esclarecer as situações, o coordenador de atenção básica da Secretaria de Saúde de Sarandi Edson dos Anjos, concedeu uma entrevista ao Balanço Geral Maringá nesta quarta-feira (23). (Assista abaixo na íntegra)

Segundo o coordenador, Sarandi não pode pagar por um profissional especializado em ginecologia e obstetrícia. “É inviável hoje ter um ginecologista e o clínico geral por causa do valor”. Em outro trecho ele afirma que fica muito caro. “Fica muito caro você ter os dois. Nenhum município consegue bancar um ginecologista e um clínico geral”.

“Hoje, o ginecologista não vem por menos de R$ 15 mil para trabalhar no município. Hoje nós temos a média de 100 gestantes por mês e as nossas gestantes não são assim de tão alto risco, certo. É uma média muito baixa”, explicou Edson. Conforme o coordenador, se a gestante passa por uma gravidez de alto risco, ela é encaminhada à Santa Casa ou ao Hospital Metropolitano para ser atendida por especialistas. Já as gestantes de “risco habitual’ são acompanhadas na própria Unidade Básica de Saúde (UBS) pelo médico generalista.

Rede Mãe Paranaense

Sobre a ‘Rede Mãe Paranaense’, o coordenador afirmou que o programa garante a realização de consultas pré-natais, mas não que o atendimento seja realizado por um especialista. "O programa da Rede mãe paranaense não preconiza o ginecologista, ele preconiza o generalista que é o clínico geral que vai fazer todo o atendimento da gestante”, disse.

Falta de vacinas

Sobre a falta de vacinas em Sarandi, o coordenador de atenção básica afirmou que desde novembro de 2018 o município está com falta de várias vacinas, mas que isso se deve aos repasses do Estado. “Nós estávamos com falta da Meningo, a Varicela e, se não me falhe, a BCG. Chegou para nós dia 18, 200 dozes e foi distribuído para as unidades, em média 50 doses para cada unidade. Ontem, nós fizemos o contato com a 15ª Regional, que nos envia essas vacinas, e ficou de chegar amanhã 400 doses para nós distribuir nas Unidades Básicas”.

Assista à entrevista completa:

O coordenador de atenção básica da Secretaria de Saúde de Sarandi:

Confira também a reportagem sobre a falta de ginecologista e vacinas em Sarandi:

O repórter Bruno Gerhard, da RICTV Maringá, conta todos os detalhes.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook