Curitiba

Baleia Azul: faculdades oferecem orientação psicológica em Curitiba

Pais interessados em receber orientação psicológica para lidar com adolescentes podem procurar as universidades que oferecem o atendimento grátis ou a baixo custo

A Secretaria de Saúde alerta pais e responsáveis por crianças e adolescentes sobre o “jogo” Baleia Azul, que propõe 50 desafios aos participantes e sugere o suicídio como última etapa. (Foto: Reprodução/ Pixabay)

O jogo Baleia Azul, que induz adolescentes a praticarem automutilação e até suicídio, já fez vítimas em Curitiba e região metropolitana. O tema está causando a preocupação de pais e responsáveis por todo o Brasil e expões a fragilidade emocional da juventude. 

Além de estabelecer o diálogo familiar, é importante que os pais busquem orientação psicológica para saber lidar com situações como depressão na adolescência e outros distúrbios que coloquem a integridade dos adolescenets em risco.

Em Curitiba, algumas universidades oferecem atendimento psicológico gratuito, ou com valores abaixo dos praticados nos consultórios convencionais, para a população. Confira abaixo a lista elaborada pelo portal RIC Maiscom endereços e telefones destas instituições: 

STITUIÇÃOTELEFONEENDEREÇOVALOR
PUC3271-1663/32171-1591Rua Rockfeller, 1450 - Prado VelhoTaxa R$60,00/mensais + apoio com assistência Social. (crianças e adolescentes institucionalizados são isentos)
TUIUTI3331-7836Rua Sidnei Antunes Rangel dos Santos, 238 - Santo InácioTaxa R$10,00 por terapia
UNIBRASIL3267-9108Av. Victor Ferreira do Amaral, 2446 - TarumãGRATUITO
UNIANDRADE3012-3350Al. Dr. Muricy, 706 - CentroTaxa entre R$10,00 e R$20,00
FAE2105-4826/2105-4815Rua 24 de Maio, 135 - CentroTaxa R$5,00 triagem + valor da consulta depende da renda.(valor simbólico).
FAC. PEQUENO PRÍNCIPE3310-1531Av. Iguaçu, 435 - RebouçasTaxa entre R$10,00 e R$30,00 (paciente escolhe o valor a pagar)

Leia também

Envie seu comentário

Comentários (0)

Baleia Azul: casos suspeitos do jogo são registrados na RMC

Duas pessoas com braços mutilados admitiram participação no jogo, em Campina Grande do Sul. Jovem que caiu de viaduto em Almirante Tamandaré negou tentativa de suicídio

(Foto: Paulo Fischer/RICTV)

*Com informações do repórter Marcelo Borges, da RICTV Curitiba

Um adolescente de 15 anos e uma jovem de 20 anos deram entrada no hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, por volta das 20h30 dessa quarta-feira (20), com os braços mutilados. Ambos teriam admitido a participação no jogo Baleia Azul.

A jovem, que também tentou suicídio com uso de medicamentos, foi liberada no final da noite. O adolescente fugiu da unidade de saúde antes mesmo da chegada da polícia e de familiares.

Funcionários do hospital não quiseram se manifestar ou repassar mais detalhes sobre os dois casos. Uma equipe da Secretaria Estadual de Saúde foi avisada e está apurando as duas tentativas de suicídio.

Queda de viaduto

No terceiro caso do mesmo dia, por volta das 21h, uma adolescente de 16 anos caiu de um viaduto enquanto conversava com duas amigas, em Almirante Tamandaré. Motoristas que passavam pelo Contorno Norte encontraram a vítima ferida e acionaram o Corpo de Bombeiros.

Ao socorrista, a menina negou tentativa de suicídio e disse que estava sentada sobre o viaduto quando se desequilibrou e caiu. Ela sofreu ferimentos principalmente nas pernas e foi lecada ao hospital Cajuru.

Segundo moradores, alguns jovens costumam ficar no viaduto, mas não no local onde a adolescente estava sentada, com a altura de aproximadamente 15 metros.

As amigas da adolescente que sofreu a queda não foram localizadas pela polícia. Assista à reportagem:

Casos em Curitiba

Na capital paranaense, pelo menos oito adolescentes foram atendidos nas UPAs, entre terça (18) e quarta-feira (19), por tentativas de suicído. Os pacientes tinham automutilação e, após atendimento, foram encaminhados para acompanhamento em Centro de Atenção Psicossocial (Caps), segundo a Secretaria Municipal de Saúde. 

Leia também

Envie seu comentário

Comentários (0)

Secretaria de Saúde de Cascavel confirma segunda morte por gripe no Paraná

Homem de 50 anos morreu no último domingo em Cascavel e era morador de São Miguel do Oeste, em Santa Catarina

Homem de 50 anos é a segunda vítima da gripe no Paraná (Foto: Zeca Filho)

A Secretaria Municipal de Saúde de Cascavel, na região oeste do Paraná, confirmou nesta quarta-feira (19) o primeiro caso de morte por gripe na cidade este ano. A vítima é um homem de 50 anos que mora em São Miguel do Oeste, em Santa Catarina, mas estava de passagem pela cidade quando procurou o sistema de saúde. Esta é a segunda morte por gripe no Paraná em 2017.

A primeira vítima da doença no Estado foi uma idosa de 79 anos, que morreu em fevereiro na cidade de Maringá, na região noroeste. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a paciente não havia tomado a vacina contra a gripe e foi diagnosticada com o vírus Influenza B.

A vítima de Cascavel era motorista de ônibus e foi atendido da UPA do Bairro Veneza. Ele era diabético e foi transferido para o Hospital Universitário, onde morreu no domingo (16). Os exames confirmaram o vírus Influenza H3N2.

Envie seu comentário

Comentários (0)