Olá
Logout

Michel Temer não renuncia e chama gravações da PF de 'clandestinas'

Autor: Redação RIC Mais
A renúncia do presidente Michel Temer era especulada antes do pronunciamento (Foto: Reprodução/Record TV)

Em pronunciamento em rede de rádio e TV na tarde desta quinta-feira (18), o presidente Michel Temer (PMDB) voltou a negar que tenha dado aval para dono da JBS pagar pelo silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha, preso pela Operação Lava Jato em Curitiba. "Não renunciarei", disse ao final do discurso.

Visivelmente irritado, o presidente se referiu às gravações da Polícia Federal, citadas pelo jornalista Lauro Jardim, do Jornal O Globo, como "clandestinas".

Temer afirmou que não precisa de foro especial e que não tem nada a esconder. "Sempre honrei meu nome." O presidente negou ainda que tenha autorizado que o empresário da JBS, Joesley Batista, a comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. "Nunca autorizei que utilizassem meu nome indevidamente. Quero registrar enfaticamente que a investigação pedida pelo STF será peremptória onde surgirão todas explicações. Mostrarei que não tenho nenhum envolvimento com estes fatos", completou.

O presidente justificou a demora em se pronunciar. Disse que estava esperando os áudios do empresário que "até o momento não conseguiu". "Ressalto que só falo agora dos fatos de ontem porque tentei conhecer primeiramente o conteúdo de gravações que me citam. Solicitei oficialmente ao Supremo Tribunal Federal acesso a estes documentos. Até o presente momento, não consegui" disse.

Temer não citou o nome de Joesley nem de Cunha e justificou que ouviu de "um empresário" um relato de auxílio à família do parlamentar. "Não solicitei que isso acontecesse e somente tive conhecimento deste fato nesta conversa pedida pelo empresário", afirmou. "Em nenhum momento, autorizei que pagasse a quem quer que seja para ficar calado. Não comprei o silêncio de ninguém. Por uma razão singelíssima, exata e precisamente por que não temo nenhuma delação", afirmou.

O presidente disse ainda que exige investigação "plena e muito rápida para esclarecimentos ao povo brasileiro". "Não podem tardar as investigações". "Esta situação não pode persistir por muito tempo. Não podem tardar as investigações. Tanto esforço e dificuldades superadas. Meu único compromisso é com o Brasil. Só este compromisso que me guiará", finalizou.

Saiba mais:

Temer diz que 'jamais solicitou pagamentos para obter silêncio de Cunha'

STF abre inquérito contra presidente Michel Temer

Menção a Michel Temer é destaque mundial no Twitter

 

 

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 0,0

Política de
comentários

comentários

Leia também:

Nesta manhã

"Resposta calorosa"

Melhores condições

Carregando