Curitiba

Lula: A movimentação é grande em frente ao prédio da Justiça Federal

O interrogatório do ex-presidente será às 2h da tarde desta quarta-feira(13), mas a polícia já está a postos para manter a ordem na região

Petista depõe à Justiça Federal pela segunda vez. (Foto: Flickr PT)

*Com informações da repórter Gislene Bastos, RICTV Curitiba

A mobilização já começou em frente ao prédio da Justiça Federal, na rua Anita Garibaldi, bairro Ahú, em Curitiba. Ruas foram bloqueadas e o acesso é restrito para moradores da região, são cerca de mil e quinhentos agentes de segurança envolvidos na operação.

Nesse segundo processo a investigação é o pagamento de propina pela Odebrecht ao ex-presidente, algo em torno de treze milhões de reais. Doze milhões e quatrocentos teriam sido usados para a compra de um terreno do Instituto Lula, em São Paulo, e quinhentos e quatro mil reais para a compra de uma apartamento de cobertura em São Bernardo do Campo.

O interrogatório será às 2h da tarde e Lula estará frente a frente com o juiz Sérgio Moro. Ele está sendo investigado em seis processos na Justiça Federal, três na Lava Jato.  No primeiro já foi condenado a nove anos e meio de prisão.  

Assista a repórter Gislene Bastos que está agora no local:


Leia também: 

Envie seu comentário

Comentários (0)

Câmara começa a debater projeto para pôr fim a supersalários dos servidores

O teto constitucional para os servidores dos três Poderes é de R$ 33.763

A proposta visa impedir que adicionais incorporados ao salário elevem a remuneração do servidor acima de R$ 33.763.(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

*Do R7


Comissão especial da Câmara iniciou hoje (12) a análise do Projeto de Lei do Senado (PLS) 6.726/16, que impõe limites aos salários acima do teto constitucional para os servidores dos três Poderes, que hoje é de R$ 33.763. Também conhecido como “Projeto Extrateto”, a proposta visa impedir que adicionais incorporados ao salário elevem a remuneração do servidor acima do teto constitucional, que equivale ao valor que é pago a um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

O projeto já foi aprovado no Senado e estava parado desde dezembro de 2016 na Comissão de Trabalho da Câmara. Agora, ele vai tramitar na comissão especial e depois seguirá para apreciação no plenário da Câmara. Na reunião desta terça-feira da comissão, o deputado Rubens Bueno (PPS-PR) foi escolhido relator da matéria e o deputado Benito Gama (PTB-BA) foi eleito presidente do colegiado. A comissão especial, de acordo com o relator Rubens Bueno, deverá concluir seu trabalho até o início de novembro para que o projeto seja apreciado pelo plenário.

De acordo com o relator, o objetivo da comissão não é perseguir servidor público, mas regulamentar a aplicação do teto salarial que é previsto na Constituição. “Pretendemos barrar os abusos e privilégios que não condizem com a realidade do país”, disse. Ele afirmou que a questão dos supersalários no serviço público será debatida com representantes dos três Poderes e com entidades nacionais de classe.

A comissão volta a se reunir amanhã (13) quando deverão ser votados requerimentos para audiências públicas para debater o tema. A ideia do relator é que o colegiado ouça ministros, procuradores, representantes do Legislativo, dirigentes de entidades de classe, dentre outros.

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Interrogatório de Lula: esquema de segurança terá 1.000 PMs

Ex-presidente irá depor em Curitiba na tarde de quarta-feira (13)

Perímetro fechado será menor do que da última vez (Foto: Alex Silva, Estadão Conteúdo)

Quatro meses após falar cara a cara com o juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta a Curitiba (PR) nesta quarta-feira (13) para mais um encontro. Desta vez, ele terá que dar explicações à acusação de ter recebido da Odebrecht um apartamento em São Bernardo do Campo e um terreno para construção do Instituto Lula.

O ex-presidente se recusou falar por videoconferência. Com isso, será montado um esquema semelhante ao do depoimento de maio. A audiência está marcada para às 14h.

A previsão da Polícia Militar é de que cerca de 1.000 agentes participem da segurança nos arredores da Justiça Federal, no bairro do Ahú. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Paraná, as áreas onde a circulação de carros será bloqueada serão menores do que da última vez.

Porém, uma segunda área, maior, será controlada pelos policiais. Se houver necessidade, poderá haver bloqueios dentro desse perímetro mais extenso.

Moradores da região que forem sair de carro nesta quarta-feira estão sendo orientados a levar documento com foto e comprovante de residência para facilitar a liberação do acesso nas áreas onde haverá policiamento.

Movimentos sociais preveem uma programação extensa em Curitiba nesta quarta-feira (13). Às 15h, está previsto um ato na praça Generoso Marques, no centro de Curitiba. No começo da noite, o ex-presidente deverá discursar no local, acompanhado de políticos e apoiadores.

O frio e a chuva na tarde em que Lula depôs pela primeira vez afastaram muitos militantes petistas das ruas, assim como grupos contrários ao ex-presidente. Porém, nesta quarta, a previsão é de tempo aberto e temperatura na casa dos 29°C.

Também é esperada aglomeração de pessoas no entorno da Justiça Federal. A PM vai impedir o acesso na área externa do edifício. Somente a imprensa e moradores circularão no perímetro mais restrito.

Leia mais:

Envie seu comentário

Comentários (0)