Curitiba

STJD pune federação, árbitro e clubes pelo Atletiba que foi suspenso

Clubes foram multados em R$ 10 mil cada, e federação em R$ 20 mil; árbitro Paulo Roberto foi suspenso por 30 dias

Atlético e Coritiba serão multados em R$ 10 mil pelo STJD (Foto: Guilherme Artigas, Fotoarena, Estadão Conteúdo)

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) definiu nesta quinta-feira as sanções pelos incidentes ocorridos no clássico Atlético-PR x Coritiba que seria disputado no dia 19 de fevereiro, mas acabou suspenso. O órgão considerou que todos os envolvidos foram responsáveis pela não realização do confronto naquele momento e, por isso, puniu os clubes, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) e o árbitro Paulo Roberto Alves Júnior.

Em primeira instância, o Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD/PR) decidiu punir apenas a FPF. Após um recurso, o Pleno do órgão optou por absolver os envolvidos. O caso, então, chegou ao STJD, que reinstaurou a multa de R$ 20 mil à federação mas multou também os clubes, em R$ 10 mil cada, e suspendeu Paulo Roberto por 30 dias.

No dia 19 de fevereiro, o Atlético-PR receberia o Coritiba na Arena da Baixada pela primeira fase do Campeonato Paranaense. Sem acordo com a TV Globo, os clubes inovaram e acertaram com o YouTube a transmissão do clássico, que não foi disputado naquele dia, por ordem da FPF.

A justificativa era de que havia profissionais não cadastrados no gramado, que trabalhariam na transmissão do jogo pelo site. A federação, então, ordenou que o árbitro não iniciasse o confronto enquanto a questão não fosse resolvida. Por outro lado os clubes mantiveram o acordo com o YouTube e se negaram a disputar o jogo sem a transmissão.

O duelo, então, só foi disputado no dia 1.º de março, com vitória do Atlético-PR por 2 a 0 sobre o Coritiba. E os clubes venceram a queda de braço, uma vez que a partida, assim como os duelos da finais, justamente entre eles, foram todos transmitidos apenas pelo YouTube.

Leia também 
Após título, Coritiba confirma Pachequinho como técnico no Brasileirão

Envie seu comentário

Comentários (0)

Após título, Coritiba confirma Pachequinho como técnico no Brasileirão

Desde a demissão de Carpegiani, após a eliminação na Copa do Brasil, Pachequinho trabalhava como interino

Técnico Pachequinho, que ficou 13 jogos como interino, foi efetivado (Foto: Assessoria de Imprensa, Coritiba)

Pachequinho será o treinador do Coritiba no Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira, após reunião realizada entre a diretoria do clube e o técnico, o presidente Rogério Portugal Bacellar anunciou a efetivação do até então treinador, que conduziu o time ao título do Campeonato Paranaense, assegurado no último fim de semana.

No fim de fevereiro, a diretoria do Coritiba demitiu Paulo César Carpegiani após o time ser eliminado na Copa do Brasil. Enquanto não contratava um substituto, a direção vinha apostando em Pachequinho, que dirigiu a equipe em 13 jogos, com oito vitórias, dois empates e três derrotas.

Agora, logo depois da conquista do título paranaense, ele foi efetivado. E de acordo com o presidente do Coritiba, isso já havia sido definido há algum tempo, restando apenas a adoção de uma resolução financeira, sobre o salário de Pachequinho, agora resolvido.

"A conversa já estava sendo feita faz tempo e nós já estávamos pessoalmente acertados e faltava definir o aspecto financeiro. Hoje nós chegamos num acordo e num denominador comum. Pacheco foi uma aposta que o Coritiba fez que deu certo e vem dando certo. O Pachequinho é o treinador do Coritiba e dará uma sequência de muitas vitórias e conquistas que é o que precisamos se Deus quiser”, destacou o presidente Rogério Portugal Bacellar.

Pachequinho destacou que o foco nas últimas semanas estava na conquista do título estadual, por isso, não houve conversas detalhadas com a diretoria sobre a sua efetivação. Agora, com a meta alcançada, foi possível conversar com os dirigentes para acertar um novo contrato.

“As conversas sempre foram tranquilas e o presidente e o Alex Brasil me deixaram claro que eu seria o técnico do Coritiba, o que faltavam eras as questões financeiras. Anteriormente, nós conversamos que era preciso dar foco no Paranaense. Agora fomos rápidos e objetivos para resolvermos os detalhes. Antes eu não queria que essas questões atrapalhassem no dia a dia e queria focar no título. Minha missão era levar a equipe ao título”, afirmou Pachequinho, que como jogador é o maior artilheiro da história do Couto Pereira.

Será exatamente no estádio onde o agora treinador fez história que o Coritiba vai estrear no Campeonato Brasileiro, na próxima segunda-feira, quando vai receber o Atlético Goianiense.

Reforço

Outra novidade do clube é a vinda do atacante Alecsandro, que deixa o Palmeiras em negociação que vai abater uma parte do valor pendente pela vinda do meia Raphael Veiga ao clube paulista. O jogador de 21 anos deixou a equipe paranaense no começo do ano em negociação de R$ 4,5 milhões, montante que será quitado em parte com a operação alinhada pela transferência efetivada nesta semana.

Como as duas diretorias têm boa relação, definiram que Alecsandro assinará contrato com o Coritibaaté o fim de 2018. Na primeira parte do vínculo, entre maio e dezembro deste ano, o atacante fica no clube paranaense por empréstimo, com o salário pago pelo Palmeiras. Ao fim desse período, o jogador de 36 anos vai assinar novo contrato com o time, desta vez efetivado como atleta da equipe curitibana.

Alecsandro chegou ao Palmeiras em 2015, após deixar o Flamengo, e disputou 62 jogos, com 14 gols marcados. Por ter feito apenas sete partidas oficiais neste ano, todas pelo Campeonato Paulista ele preferiu procurar um time em que teria mais oportunidades para atuar. No Coritiba, o atacante vai defender o clube em que o pai, o ex-atacante Lela, foi ídolo e campeão brasileiro em 1985.

Leia também 
Torcedor é baleado no Batel após jogo entre Atlético e Coritiba

Envie seu comentário

Comentários (0)

Torcedor é baleado e ônibus destruído durante briga após Atletiba

Além da vítima baleada e do ônibus destruído, a briga entre torcedores do Atlético-PR e do Coritiba deixou outras duas pessoas feridas e um cenário de guerra no Batel

Testemunhas afirmam que torcedores do Atlético-PR armaram uma tocaia para um ônibus com torcedores do Coritiba (Foto: Marcelo Borges/RICTV)

Testemunhas afirmam que torcedores do Atlético-PR armaram uma tocaia para um ônibus com torcedores do Coritiba (Foto: Marcelo Borges/RICTV)

Testemunhas afirmam que torcedores do Atlético-PR armaram uma tocaia para um ônibus com torcedores do Coritiba (Foto: Marcelo Borges/RICTV)
Uma pessoa foi baleada e outras duas ficaram feridas (Foto: Marcelo Borges/RICTV)
O ônibus atacado por torcedores na Avenida Sete de Setembro teve pelo menos 30 vidros quebrados (Foto: Marcelo Borges/RICTV)
De acordo com o motorista do ônibus, rojões e bombas foram disparados por torcedores e, em um determinado momento, tiros também foram ouvidos (Foto: Marcelo Borges/RICTV)
O ônibus, que teve mais de 30 vidros quebrados, foi recolhido ao pátio da empresa após a briga entre torcedores do Atlético-PR e do Coritiba (Foto: Marcelo Borges/RICTV)

*Com informações do repórter Marcelo Borges, da RICTV Curitiba

Aconteceu de novo: uma briga entre torcedores do Atlético-PR e do Coritiba deixou um ônibus biarticulado destruído, na noite desse domingo (7), em Curitiba. Após a final do Campeonato Paranaense, passageiros do coletivo  passaram por momentos de terror: uma pessoa foi baleada e outras duas ficaram feridas.

As testemunhas garantem que mais de 20 homens, que seriam torcedores do Atlético Paranaense, aguardavam a chegada do ônibus com os torcedores do Coritiba, na estação-tubo Bento Viana, na Avenida Sete de Setembro, no bairro Batel.

Quem estava dentro do coletivo foi atacado. Muitos desceram do veículo e partiram para cima de quem estava do lado de fora. De acordo com o motorista, rojões e bombas foram disparados e, em um determinado momento, tiros também foram ouvidos.

O Siate foi acionado para atender os feridos, mas agentes da Guarda Municipal também ajudaram a socorrer os feridos. Segundo a Polícia Militar, a vítima baleada foi socorrida, sem risco de morte, por amigos e encaminhado até um hospital não divulgado.

Ainda durante a confusão, um torcedor quebrou um dos braços. Ele foi levado ao Hospital do Trabalhador. O ônibus, que teve mais de 30 vidros quebrados, foi recolhido ao pátio da empresa. Até o final da noite ninguém havia sido preso.

Policial ferido

Dez horas antes da partida entre Atlético-PR e Coritiba, um policial militar teve sua residência invadida por torcedores do Atlético-PR e do Coritiba e foi atingido por uma pedra na cabeça na manhã deste domingo (7), no bairro Sítio Cercado, em Curitiba.

Leia também

Campeonato Paranaense: Coritiba é o campeão de 2017

Maradona anuncia que vai treinar time nos Emirados Árabes

 

Envie seu comentário

Comentários (0)