Curitiba

Desgastado e sem Weverton, Furacão busca a primeira vitória

Penúltimo colocado na Série A, o time encara o Fluminense nesta terça (6), às 20 horas, no Maracanã

Matheus Galdezani, do Coritiba, disputa bola com Nikão, do Atlético, no clássico disputado pela quarta rodada da Série A (Foto: Giuliano Gomes, PR Press, Estadão Conteúdo)

O Atlético Paranaense não poderia ter início pior no Campeonato Brasileiro: foi vazado seis vezes na estreia, tropeçou duas vezes seguidas em casa e ainda perdeu um clássico estadual, resultado que o afundou na zona de rebaixamento no último fim de semana. Tentando reverter esse péssimo momento, o time encara o Fluminense nesta terça-feira, às 20 horas, no estádio do Maracanã, no Rio, na abertura da quinta rodada.

O problema é que os tropeços não são a única preocupação do técnico Eduardo Baptista. Contando com um elenco com vários jogadores experientes, o treinador vê o time, também envolvido na disputa da Copa do Brasil e da Copa Libertadores, já bastante desgastado.

Por isso, Eduardo Baptista sabe que o time precisa reagir logo no Brasileirão, antes de encarar os confrontos mata-mata pelas duas competições. Apesar disso, o treinador admite a possibilidade de poupar alguns titulares, preocupado em evitar o risco de perder algum jogador lesionado.

Neste sentido, o centroavante Grafite dificilmente deverá ser aproveitado, ainda mais após ser substituído durante o clássico contra o Coritiba por causa de dores na coxa. Ederson é o favorito para assumir a sua vaga no ataque atleticano.

Thiago Heleno, Lucho González, Matheus Rossetto e Otávio são os jogadores que mais preocupam Eduardo Baptista em relação ao desgaste físico, mas a tendência é que eles comecem jogando, embora alguma alteração por cansaço no meio de campo não esteja descartada.

Certo mesmo é o desfalque do goleiro Weverton, que está com a seleção brasileira na Austrália, sendo substituído por Santos. E o último jogo do time contra o Fluminense traz ótimas lembranças para o goleiro, que defendeu pênalti aos 46 minutos do segundo tempo do empate por 1 a 1, no mesmo Maracanã, na reta final do Brasileirão de 2016. Agora espera ajudar o time a começar a reagir no Brasileirão.

Leia também
Chapecoense vence e reassume liderança; Coritiba termina rodada em quarto

Envie seu comentário

Comentários (0)

Operadora de celular vai transmitir jogos da seleção brasileira

Será a primeira vez desde 2010 que uma partida da seleção não será transmitida pela Rede Globo, parceira histórica da CBF

Jogos serão transmitidos pela Vivo nos dia 9 e 13 de junho. (Foto: Alex Silva/Estadão)

A operadora de celular Vivo anunciou nesta segunda-feira que irá transmitir os amistosos da seleção brasileira diante de Argentina e Austrália, nos próximos dias 9 e 13, para todos os seus clientes. A empresa irá disponibilizar um site que permitirá aos assinantes da operadora assistir às partidas gratuitamente através de celulares e tablets.

Os dois amistosos do Brasil, que serão disputados em Melbourne, marcarão um novo modelo de transmissão de jogos da equipe nacional. Será a primeira vez desde 2010 que uma partida da seleção não será transmitida pela Rede Globo, parceira histórica da CBF. A emissora e a confederação não chegaram a um acordo para a transmissão dos amistosos.

Sem a principal emissora do País, a CBF tem buscado alternativas para exibir as partidas que acontecerão às 7h da manhã. A entidade comprou espaço na grade da TV Brasil, pagando R$ 15 mil para exibir cada um dos jogos, e na TV Cultura, cujos valores não foram informados. A geração das imagens ficará a cargo da CBF, que enviou uma equipe à Melbourne e terá um estúdio em sua sede, no Rio. Pelé será o comentarista dos jogos.

O acordo com a Vivo é uma opção de transmissão nas "novas" mídias, e permitirá que ao menos um dos patrocinadores da CBF tenha sua marca atrelada diretamente aos amistosos - as TVs públicas não podem veicular publicidade.

Em comunicado à imprensa, a Vivo ressaltou que esta será a primeira transmissão de jogos da seleção via celular. A operadora é patrocinadora da seleção brasileira há 12 anos.

Leia mais
Diretoria do Atlético-PR criou o CAP Play e questiona a distribuição das cotas de televisão

Envie seu comentário

Comentários (0)

Chapecoense vence e reassume a liderança; Coritiba termina rodada em quarto

Atlético-PR tem a pior defesa do Brasileirão, com dez gols tomados, e Coritiba, o melhor ataque, ao lado do fluminense, com nove gols marcados

Wellington Paulista, da Chapecoense comemora gol durante a partida contra o Cruzeiro (Foto: Rodney Costa, Eleven, Estadão Conteúdo)

A Chapecoense obteve uma doce vingança sobre o Cruzeiro. Eliminada nas oitavas de final da Copa do Brasil pelo adversário na última quinta-feira, em duelo marcado por uma grande confusão no final do jogo, o time catarinense ignorou o mando do clube mineiro e venceu por 2 a 0 neste domingo, em pleno estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado devolveu a liderança da competição à Chapecoense, que soma 10 pontos e tem um gol a mais de saldo do que o Corinthians (5 a 4). Já o Cruzeiro, que fez uma péssima partida neste domingo, sem criar praticamente nada, está em oitavo com sete pontos.

Inimigos íntimos em 2017, Chapecoense e Cruzeiro fizeram o quarto duelo da temporada. E a vantagem era toda do time mineiro que eliminou o adversário na Copa do Brasil e venceu por 2 a 0 na Copa da Primeira Liga, além de não ter sofrido um único gol.

E a promessa de que amenizariam o clima após a briga generalizada no jogo da última quinta-feira foi cumprida. Os dois times fizeram um jogo "limpo", focado na bola e sem disputas extras ou provocações. Se faltou algo, na verdade, foi bom futebol. Especialmente do Cruzeiro.

O time do técnico Mano Menezes, com Rafinha no meio de campo e Hudson na lateral direita, teve um primeiro tempo apático e com pouca criatividade. Escalado no lugar de Ábila, Rafael Marques ficava isolado como pivô e pouco recebia o apoio de Rafinha, Thiago Neves e Alisson. Os laterais tampouco apareciam e a equipe concentrava o jogo no meio.

Inicialmente o time mineiro até ensaiou uma pressão. Thiago Neves, aos cinco, e Rafael Marques, aos sete minutos, arriscaram de fora da área e levaram certo perigo. Foi tudo o que o Cruzeiro criou no primeiro tempo.

Já a Chapecoense, com o zagueiro Douglas Grolli no lugar do suspenso Luiz Otávio, além do venezuelano Seijas no meio, fechava os espaços e dificultava a armação do Cruzeiro. E, embora saísse pouco ao contra-ataque, o time catarinense abriu o placar em sua única chance efetiva no primeiro tempo.

Aos 26 minutos, Seijas recebeu de Reinaldo e cruzou para a área. Wellington Paulista, então, quase sem marcação, cabeceou com perfeição no canto direita de Fábio e marcou o primeiro gol da Chapecoense em seus quatro jogos contra o Cruzeiro.

Para destravar a apatia do time, Mano Menezes apostou em Lennon e Ábila após o intervalo, nos lugares de Hudson e Rafinha. Não deu tempo nem para os dois aquecerem. Logo no primeiro minuto, Rossi fez grande jogada, cruzou de letra, Luiz Antônio bateu com força e Fábio espalmou para escanteio. E, na cobrança rasteira do próprio Luiz Antônio, a zaga não afastou, Douglas Grolli dividiu com Fábio e a bola entrou.

Recuperado de contusão, Robinho entrou no lugar de Ariel Cabral. A postura do Cruzeiro, contudo, permaneceu a mesma e enlouqueceu a sua torcida, que vaiou muito durante boa parte da etapa final - especialmente o meia Thiago Neves - e entoou o grito de "vergonha".

A surpreendente Chapecoense, por sua vez, não teve qualquer dificuldade para segurar o resultado e, nos acréscimos, até mandou uma bola na trave. Assim, com mais uma boa vitória neste início de competição, reassumiu a liderança do Brasileirão.

Coxa sobe

Atlético-PR e Coritiba, que se enfrentaram neste sábado (3) no Couto Pereira, com vitória de 1 a 0 do Coxa, vivem situações bem distintas na Série A. A derrota fez com que o Furacão se mantivesse em penúltimo, com apenas 1 ponto em 12 disputados, além de um saldo negativo de sete gols, com três feitos e dez tomados (até pelo menos nesta segunda-feira à noite, quando o Bahia recebe o lanterna Atlético-GO, é a pior defesa do campeonato).

Já o Coritiba tem o melhor ataque, empatado com o do Fluminense (nove gols), e subiu de quinto para quarto colocado, com 9 dos 12 pontos possíveis, apenas um atrás dos líderes Chapecoense e Corinthians.

O Atlético-PR vai ao Rio e joga contra o Fluminense na terça-feira (6), às 20h, e o Coritiba tem como próximo compromisso o Palmeiras, às 19h30 de quarta (7), no Couto Pereira. 

Confira aqui a tabela atualizada do Brasileirão. 

Envie seu comentário

Comentários (0)