Curitiba

Brasil joga hoje contra a Colômbia defendendo sequência de nove vitórias

Em 12 eliminatórias que disputou, incluindo a qualificação para chegar à Rússia, o Brasil fez 105 jogos, conquistando 65 vitórias, 28 empates e 12 derrotas

Das eliminatórias de 1954 até 1990, o Brasil não perdeu um jogo sequer. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

*Da Agência Brasil/Eurico Tavares

Além de ter garantido o primeiro lugar entre as seleções da América do Sul que vão disputar a Copa da Rússia em 2018, a Seleção Brasileira de Futebol já conseguiu o maior número de vitórias consecutivas em participações nas eliminatórias de copas do Mundo da sua história, graças ao desempenho alcançado pelo time do técnico Tite. Quando entrar em campo nesta terça-feira (5), às 17h30 (horário de Brasília), em Barranquilla, contra a Colômbia, os canarinhos vão colocar em jogo uma sequência de nove vitórias, feito que supera até mesmo os resultados da seleção campeã de 1970.

A seleção de Pelé, Rivelino, Tostão e Gérson conseguiu chegar à Copa do Mundo do México, em 1970, com seis vitórias de seis possíveis. Na época, a eliminatória sul-americana era dividida em grupos, o que mudou somente a partir de 1998, quando os países passaram a formar um único grupo, jogando entre si em partidas de ida e volta. A seleção que foi para a Copa de 1954 também teve aproveitamento total, vencendo os quatro jogos da eliminatória. A seleção de Neymar, Gabriel Jesus, Philippe Coutinho e Paulinho não pode mais conseguir desempenho de 100% por haver perdido no jogo de estreia nas eliminatórias para o Chile por 1 a 0 e empatado em três partidas.

A seleção que disputa as eliminatórias para a Copa da Rússia tem outros recordes a comemorar. Somando as nove vitórias da fase Tite com as duas da fase Dunga, foram 11 conquistas, desempenho que supera os resultados brasileiros em outras eliminatórias. Nas disputas para as copas de 2002, ano do penta; 2006 e 2010, a seleção conseguiu nove vitórias no total. E a contribuição da fase Dunga nem foi tão relevante: quando Tite assumiu, o Brasil tinha maus resultados e estava fora da zona de classificação para a Copa da Rússia, amargando a sexta posição.

Em 12 eliminatórias que disputou, incluindo a qualificação para chegar à Rússia, o Brasil fez 105 jogos, conquistando 65 vitórias, 28 empates e 12 derrotas, restando ainda três partidas para completar a participação atual. Das eliminatórias de 1954 até 1990, o Brasil não perdeu um jogo sequer. Foram 29 disputas, incluindo o primeiro jogo para a Copa de 94, sem saber o que era uma derrota. O primeiro revés ocorreu em 25 de julho de 1993 nas eliminatórias para a Copa de 1994, quando a seleção perdeu para a Bolívia, em La Paz, por 2x0. Todas as derrotas foram fora de casa.

 

Envie seu comentário

Comentários (0)

Brasil demora a engrenar, mas vence Equador nas Eliminatórias

Paulinho e Coutinho marcaram no aniversário de um ano da estreia de Tite

Philippe Coutinho comemora o segundo gol na Arena do Grêmio contra o Equador (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

* DO R7

O Brasil segue com 100% de aproveitamento sob comando de Tite nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. A vítima desta quinta-feira (31) foi o Equador, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. A equipe não apresentou grande futebol, mas conseguiu atingir seu objetivo e vencer por 2 a 0, na comemoração de um ano da estreia de Tite no comando da seleção.

Depois de um primeiro tempo bastante truncado e com poucas chances de gol, o Brasil desencantou na etapa final e marcou os dois gols da vitória.

Quem tirou o zero do placar foi Paulinho, aos 25 minutos, que vive grande fase como volante-artilheiro na seleção. Cerca de sete minutos depois foi a vez do público na Arena do Grêmio ver uma pintura. Gabriel Jesus recebeu dentro da área, deu um chapéu em Arboleda, zagueiro do São Paulo, e de cabeça tocou para Coutinho que marcou o segundo e deu números finais ao jogo.

Principal estrela da seleção em toda campanha das Eliminatórias Sul-Americanas, Neymar dessa vez não balançou as redes apesar das boas chances criadas. Em determinados momentos, houve também certo individualismo. O camisa 10 também apanhou bastante dos equatorianos, que já são conhecidos por chegar mais duro em algumas jogadas. 

Com o resultado, o Brasil agora soma 36 pontos e segue na liderança isolada das Eliminatórias, com 11 pontos de vantagem para a vice-líder Colômbia. O Equador permanece com 20 e é apenas o sétimo colocado, ficando de fora da zona de classificação para o Mundial.

O Brasil volta a campo na próxima terça-feira (5) para encarar a Colômbia, em Barranquilla, às 17h45 (horário de Brasília), enquanto que o Equador medirá forças com o Peru, no Olímpico de Atahualpa.

Leia também

Envie seu comentário

Comentários (0)

Coxa tropeça e encara pressão de clássico e de proximidade do Z4

Derrota contra o Vitória aproxima Coritiba da zona de rebaixamento; vitória no clássico pode aliviar pressão

Vitória foi mais competente e aproveitou oportunidade para marcar contra o Coxa (Foto: Site Oficial/ Coritiba)

*Por Marcelo Batata

Time alviverde perde mais uma partida em casa e fica muito próximo do Z4

Necessitando de uma vitória para fugir da proximidade da zona de rebaixamento, o Coritiba foi derrotado pelo Vitória, no último jogo da 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, e segue com uma incômoda estatística de uma vitória nos últimos nove jogos disputados em casa.

Ainda sem o retorno de Kleber, que sentiu uma lesão no joelho durante um treino, o Coxa perdeu um pênalti cobrado pelo estreante Rafael Longuine e ainda teve um gol mal anulado no primeiro tempo. Mesmo assim, não dá para dizer que o resultado foi injusto, pois o Vitória aproveitou uma das chances que teve, enquanto o Coxa foi incompetente na hora de colocar a bola pra dentro.

O time do Coritiba enfrenta uma séria dificuldade no seu meio-campo, principalmente na meia de ligação, com falta de criatividade e tentando compensar as deficiências com jogadas pelas laterais, ligações diretas e cruzamentos da intermediária. Nestas condições, a bola acabou chegando 'quadrada' para seus atacantes, que ainda por cima não tiveram uma noite inspirada.

Após a derrota desta segunda-feira, fica agora o Coxa muito pressionado para o próximo jogo, que será o clássico contra o Atlético Paranaense na Arena da Baixada. 

Hernanes voando!

O meia Hernanes voltou para o São Paulo para ser o "salvador da pátria". E está sendo. Só não se sabe se todo este esforço será recompensado com a salvação do time tricolor da segunda divisão.

Hernanes fez seis gols em seis jogos e tomou conta do time do São Paulo, distribuindo o jogo, chutando com as duas pernas, entrando na área e sendo o principal destaque do Brasileirão desde o seu retorno. 

O São Paulo tem lotado o Morumbi, tem tido todo o apoio da torcida, tem atuado bem em algumas partidas, mas quando chega na "hora h" não consegue definir os jogos. A impressão que passa é que a bola queima nos momentos decisivos, típico de quando clubes grandes encontram-se na zona de rebaixamento.

Corinthians tropeçando  

Fica claro que o elenco reduzido está atrapalhando o Corinthians nesses últimos três jogos, quando perdeu por duas vezes e não manteve sua média ótima de atuações e resultados no Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, como já destaquei aqui, estas derrotas serão normais até o final do campeonato, e a taça está praticamente já no armário do time dirigido por Fabio Carille.

Envie seu comentário

Comentários (0)