Curitiba

Após última convocação, Falcão projeta despedida da seleção de futsal

Com a camisa, ele venceu dois Mundiais e levou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos

Craque agora fará seu penúltimo jogo pela seleção (Foto: Instagram @falcao12oficial)

Convocado para defender a seleção brasileira de futsal em amistoso contra a Colômbia, no próximo dia 26, no Rio, o ala Falcão, de 39 anos, revelou nesta sexta-feira que esta será sua penúltima partida pela equipe. Ele também contou que fará um jogo de despedida no segundo semestre, em São Paulo.

Nas redes sociais, Falcão disse que esta é sua última "convocação oficial" para a seleção brasileira, uma vez que o técnico Paulo César de Oliveira tinha a prerrogativa de não chamá-lo para o amistoso, que será disputado na Arena Jeunesse (antiga HSBC Arena), na Barra da Tijuca.

"Como eu queria que fosse eterno, eterno mesmo, que durasse milênios. A sensação de vestir essa camisa (da seleção) por 20 anos foi a melhor coisa que pude sentir. Fazer as pessoas acordarem no domingo de manhã para assistir ao futsal e ao Falcão. Nunca imaginei que esse dia chegaria, que tomaria essa decisão, mas chegou a hora", escreveu Falcão.

"Saio com a sensação de dever cumprido, com a certeza que nunca foi menos. Com muitas vitórias, algumas derrotas, exatamente como é qualquer esporte. Deixo meus títulos , números individuais e coletivos e sei sim que deixei o meu melhor. Escrevo com muita lágrima escorrendo, mas tudo tem um fim, principalmente quando se trata de atletas", continuou.

Com a seleção brasileira, Falcão venceu dois Mundiais (2008 e 2012), além de ter ganhado a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2007, único que teve a disputa do futsal. Ele vai disputar mais uma temporada pelo Magnus Futsal, de Sorocaba.

Leia mais
Paraná Clube empata com Asa e traz decisão para casa

Envie seu comentário

Comentários (0)

Paraná Clube empata com ASA e traz decisão para casa

Com o empate, o tricolor chegou à quinta partida sem derrotas e acabou com o desempenho do anfitrião em Alagoás

Com o empate o Tricolor chegou à quinta partida sem derrotas e acabou com o desempenho do ASA em casa (Foto: Valdeir Gois/Ascom ASA)

O Paraná Clube empatou em 0 a 0 com o ASA, nesta quinta-feira (16), no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, que aconteceu em Arapiraca (AL). Com o empate o Tricolor chegou à quinta partida seguida sem derrotas.

Em casa, o ASA já no início da partida tentou encurralar o Paraná, que só conseguiu chegar à frente aos 19 minutos com um chute perigoso de Gabriel Dias. O time do técnico Maurílio Silva insistia nas jogadas com Doda, mas Airton e Brock deram poucas chances ao time da casa. Aos 36, Pessalli fez boa jogada, mas a zaga conseguiu afastar o perigo. O goleiro Léo, aos 40 minutos, ainda teve que trabalhar em uma cobrança de falta de Airton.

Com a contusão de Igor, Kaike entrou na lateral-esquerda que tentou dar maior movimentação ao time. O técnico Wagner Lopes colocou em campo Nathan e Zezinho, porém foi o ASA quem mais atacou. O Paraná até teve duas boas situações, com Brock, de cabeça, aos 19 minutos, e com Ítalo, aos 43, mas no geral o Tricolor mais se defendeu e com isso sofreu pressão da equipe alagoana.

Em casa, onde está invicto, o Paraná depende de uma vitória simples para avançar à quarta fase da Copa do Brasil. O empate acabou com o desempenho 100% do ASA em casa.

A partida de volta acontece na Vila Capanema na próxima quinta-feira (6). Quem avançar estará na quarta fase que terá seus confrontos definidos por sorteio.

Ficha técnica

ASA: Luís Cetin; Douglas, Eron, André Lima e Airton; Mazinho, Leanderson, Gaspar (Palinha)(Léo Campos) e Doda (Mandacarú); Téssio e Leandro Kivel. Técnico: Maurílio Silva.

Paraná: Léo; Júnior, Airton, Eduardo Brock e Igor (Kaike); Gabriel Dias, Alex Santana, Diego Tavares (Nathan) e Jonas Pessalli (Zezinho); Matheus Carvalho e Ítalo. Técnico: Wagner Lopes.

Local: Coaracy Fonseca (Arapiraca-AL)

Árbitro: Émerson de Almeida Ferreira (MG)

Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Marcus Vinícius Gomes (MG)

Renda: R$ 32.367,00

Público pagante: 2.682

Público total: 3.791

Cartões amarelos: Eron, Mazinho, Mandacarú e Téssio (ASA). Gabriel Dias e Pessalli (Paraná)

Envie seu comentário

Comentários (0)

Weverton brilha e Atlético-PR derrota o San Lorenzo na Argentina

Furacão teve gol de Lucho González logo no início e time argentino desperdiçou um pênalti

Lucho González fez o gol do Furacão (Foto: Mauricio Mano, Site Oficial Atlético-PR)

Era um jogo decisivo para as duas equipes. E, mesmo atuando no Estádio Nuevo Gasômetro, em Buenos Aires, o Atlético Paranaense teve grande atuação e derrotou o San Lorenzo por 1 a 0, em duelo válido pelo Grupo 4 da Copa Libertadores. Destaque para a atuação do goleiro Weverton, que fez grandes defesas e ainda viu o atacante Blandi desperdiçar um pênalti.

O resultado deixou o Atlético Paranaense na liderança provisória da chave, com quatro pontos, um mais do que o Flamengo, que ainda nesta quarta enfrenta a Universidad Católica, no Chile. Já o San Lorenzo segue sem somar nenhum ponto depois de ter sido goleado pelos flamenguistas em sua estreia.

Na próxima rodada, em 12 de abril, o Atlético Paranaense enfrenta o Flamengo fora de casa, enquanto o time argentino tenta se manter vivo diante da Universidad Católica, no Chile.

Precisando do triunfo após a decepcionante estreia na Libertadores, quando levou dois gols nos minutos finais e apenas empatou com a Universidad Católica, em casa, o Atlético Paranaense contava nesta quarta com o retorno de Grafite, após cumprir suspensão e recuperar-se de contusão. O atacante, porém, até por estar sem ritmo, começou no banco - Nikão e Pablo foram mantidos no comando do ataque.

Já o San Lorenzo, comandado por Diego Aguirre, ex-treinador de Internacional e Atlético Mineiro, fazia apenas sua terceira partida oficial no ano, em razão da greve dos jogadores no futebol argentino. E, após o time ser goleado na estreia pelo Flamengo, por 4 a 0, o técnico promoveu mudanças: o zagueiro Coloccini, ex-Milan e Newcastle, e o atacante Rubén Botta, com passagem pela Inter de Milão, foram para o banco, enquanto Caruzzo e Merlini ganharam uma vaga.

A pressão da torcida argentina prometia tornar o jogo complicado ao Atlético Paranaense. E, de fato, os aficionados cantavam a plenos pulmões quando, logo aos três minutos, Sidcley ganhou disputa pelo alto, ajeitou a bola e cruzou na medida para Lucho González. Quase da marca do pênalti, com extrema tranquilidade, o meio-campista argentino cabeceou com classe e abriu o placar.

O gol atleticano logo no início mudou o panorama do que poderia ser o jogo. Desentrosado e com poucas jogadas trabalhadas, apostando mais em cruzamentos e em finalizações de longe, o San Lorenzo se desesperou de vez e não conseguia criar jogadas efetivas. Embora rondasse a área adversária, não deu qualquer susto em Weverton no primeiro tempo.

Leia mais
Estadual: Paraná vence e dispara na liderança

Já o Atlético Paranaense, bem armado defensivamente, saía com organização e rapidez aos contra-ataques. Assim, foi criando inúmeras chances, a primeira delas aos sete minutos, em bom chute de Felipe Gedoz. Depois, aos 28, sozinho, Nikão recebeu de Jonathan e desperdiçou grande chance. E, por fim, aos 39, Pablo desviou de cabeça e Lucho González driblou dois marcadores, mas chutou por cima.

Com o atacante Botta no lugar do lateral Corujo, o San Lorenzo prometia mudar de postura no segundo tempo. Mas, logo aos dois minutos, Pablo tocou e Matheus Rossetto quase ampliou para o Atlético Paranaense.

O jogo, contudo, começou a mudar de ritmo a partir dos 10. O Atlético Paranaense parecia ressentir-se das inúmeras chances desperdiçadas. E o San Lorenzo, mais agudo com a presença de Botta, passou a pressionar com mais efetividade. Aos 23, após Weverton afastar cruzamento, Néstor Ortigoza pegou o rebote e ajeitou dentro da área, mas o próprio goleiro abafou o chute e salvou o time brasileiro.

A pressão aumentava. E a grande chance do San Lorenzo veio aos 30, quando o árbitro assinalou pênalti de Sidcley em Cerutti, após uma dividida mais firme. Na cobrança, Blandi chutou para fora. E o próprio atacante teria boa chance no minuto seguinte, de cabeça, mas Weverton fez outra brilhante defesa.

Insistindo nas jogadas pelas laterais, o San Lorenzo pressionou até o fim. O Atlético Paranaense, no entanto, contando com grande atuação de Weverton e Thiago Heleno, segurou o resultado e obteve sua primeira - e importante - vitória nesta fase de grupos da competição.

FICHA TÉCNICA:

SAN LORENZO 0 X 1 ATLÉTICO-PR

SAN LORENZO - Torrico; Corujo (Botta), Angeleri, Caruzzo e Paulo Díaz; Mussis, Néstor Ortigoza (Bergessio), Belluschi e Merlini (Ezequiel Ávila); Cerutti e Blandi. Técnico: Diego Aguirre.

ATLÉTICO-PR - Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto (Wanderson), Lucho González e Felipe Gedoz (Grafite); Nikão (Douglas Coutinho) e Pablo. Técnico: Paulo Autuori.

GOLS - Lucho González, aos três minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Roddy Zambrano Olmedo (Equador).

CARTÕES AMARELOS - Mussis (San Lorenzo); Pablo, Felipe Gedoz e Thiago Heleno (Atlético-PR).

PÚBLICO e RENDA - Indisponíveis.

LOCAL - Estádio Nuevo Gasômetro, em Buenos Aires (Argentina).

Envie seu comentário

Comentários (0)