Curitiba

Após briga de torcidas, Coritiba empata com o Corinthians

Os lances de perigo foram poucos em comparação aos vários passes errados, faltas e à superioridade das defesas para conter os ataques

Coritiba x Corinthians partida válida pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017 (Foto: Guilherme Artigas/ Estadão Conteúdo)

As seis vitórias seguidas do Corinthians no Campeonato Brasileiro tiveram uma interrupção na manhã deste domingo (18). A equipe do técnico Fábio Carille continua como a única invicta da competição depois de ter empatado em 0 a 0 com o Coritiba, no Couto Pereira, na capital paranaense. Por outro lado, o tropeço abre o risco de o Grêmio tomar a liderança caso vença nesta segunda-feira (19) o Cruzeiro, no Mineirão.

A partida entre o Corinthians, conhecido pelo eficiente sistema de marcação, e o Coritiba, terceiro colocado e dono da melhor defesa do Campeonato, se traduziu em um jogo pouco atrativo para o torcedor. Os lances de perigo foram poucos em comparação aos vários passes errados, faltas e à superioridade das defesas para conter os ataques. Sem Jadson, o time paulista criou pouco e teve menos posse de bola.

A manhã de futebol foi atrapalhada pela violência entre as torcidas. Por volta das 8h30 da manhã, o ônibus com torcedores do Corinthians errou o caminho de acesso ao estádio Couto Pereira e entrou em uma rua onde a torcida do Coritiba estava concentrada. Câmeras da rua mostram imagens do conflito, que resultou na agressão de pelo menos sete corintianos.

A confusão atrasou a chegada do Corinthians ao estádio e fez a partida começar alguns minutos atrasada. No primeiro encontro do líder Corinthians contra um adversário do bloco dos seis mais bem colocados, houve muito estudo e cautela em campo. O Coritiba iniciou a partida em busca de impor velocidade e pressão, mas parou na forte defesa alvinegra. Por outro lado, a resposta do time paulista era de cadenciar o ritmo e esfriar o ímpeto, sem isso se traduzir em ameaça.

O equilíbrio persistiu até o corintiano Marquinhos Gabriel sair machucado, para a entrada de Clayson. O time passou a ter dificuldade na saída de bola e viu o Coritiba avançar. Os momentos de maior emoção foram no fim da etapa final, com um chute de Henrique Almeida para a defesa de Cássio e uma resposta do Corinthians em cabeçada de Rodriguinho.

O Coritiba continuou como protagonista do jogo na segunda etapa. As chances de gol se intensificaram, quase sempre nos pés de Henrique Almeida. O Corinthians se manteve paciente, sem se expor e à espera de alguma brecha para marcar. A chance veio e Jô chegou a marcar no fim da partida, em lance incorretamente anulado por impedimento.

Com o resultado, o Corinthians chega aos 20 pontos, ainda na primeira colocação. O Coritiba tem agora 15 e segue na terceira posição da tabela.

Ficha técnica:
Coritiba 0 x 0 Corinthians
Coritiba: Wilson; Dodô, Marcio, Werley e William Mateus; Jonas, Matheus Galdezani e Alan Santos (Neto Berola); Rildo (Iago Dias) Alecsandro e Henrique Almeida (Tiago Real). Técnico: Pachequinho.
Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel (Camacho) e Maycon; Rodriguinho, Marquinhos Gabriel (Clayson) e Romero (Pedrinho); Jô. Técnico: Fábio Carille.
Cartões Amarelos: Dodô, Gabriel, Romero, Márcio, Fagner.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ).
Renda: R$ 1.072.545,00.
Público: 23.824 pagantes.
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR).

Envie seu comentário

Comentários (0)

Paraná volta a vencer na Série B e aumenta crise do Náutico

Com a vitória, o time assumiu provisoriamente a décima posição, com nove pontos em sete jogos

O jogador Robson, do Paraná, comemora gol durante a partida contra o Náutico (Foto: Ademar Filho, Futura Press, Estadão Conteúdo)

O calvário do Náutico parece não ter fim. Amargando a lanterna do Campeonato Brasileiro da Série B, o time pernambucano não conseguiu encerrar o jejum de vitórias ao ser derrotado nesta terça-feira pelo Paraná, por 2 a 1, em plena Arena Pernambuco, pela sétima rodada. Essa foi a gota d'água para os torcedores, que protestaram contra o técnico Waldemar Lemos.

Ainda sem saber o que é vencer no campeonato, o Náutico somou apenas dois pontos em sete jogos e começa a ver os adversários na luta contra o rebaixamento abrirem vantagem. Por outro lado, o Paraná encerrou um jejum de quatro jogos sem vitória e chegou aos nove pontos, encostando nos primeiros colocados.

No finalzinho

A partida começou movimentada em Recife. Aos cinco minutos, Richard saiu jogando errado e mandou nos pés de Vinícius, que tirou de Leandro Vilela e bateu rasteiro. O empate do Paraná veio três minutos depois em um chute certeiro de Minho no ângulo de Tiago Cardoso. Depois, os dois times tiveram oportunidades, mas o placar permaneceu igual.

O Paraná teve mais posse de bola durante todo o segundo tempo, mas o Náutico foi quem criou os principais lances. Richard teve que trabalhar nas finalizações de Iago e Erick. Quando parecia que o jogo terminaria empatado, o time paranaense chegou a virada aos 45 minutos. Gabriel Dias fez jogada individual e tocou para Robson bater por cima de Tiago Cardoso.

O Náutico volta a campo no próximo sábado, contra o Boa, às 16h30, no Estádio Dilzon Melo, em Varginha. Na sexta-feira, o Paraná recebe o Figueirense, às 20h30, no Durival Britto, em Curitiba. Os dois jogos são válidos pela oitava rodada.

No Estádio do Café, em Londrina, o Londrina empatou em 1 a 1 com o Oeste, ficando uma posição atrás do Paraná, mas com os mesmos nove pontos. Três jogos terminarão por volta de 23h30, completando a sétima rodada da Série B. Caso o Brasil de Pelotas vença sua partida, fará os times paranaenses descerem uma colocação cada na tabela

FICHA TÉCNICA

NÁUTICO 1 X 2 PARANÁ

NÁUTICO - Tiago Cardoso; Joazi, Aislan, Feliphe e Janderson; Amaral, Renan Paulino e Giovanni (Esquerdinha); Erick, Gerônimo (Iago) e Vinícius (Alison). Técnico: Waldemar Lemos.

PARANÁ - Richard; Cristovam, Wallace, Brock e Igor; Leandro Vilela, Gabriel Dias (Jhony), Minho e Guilherme Biteco (Matheus Carvalho); Robson e Felipe Alves (Rafhael Lucas). Técnico: Cristian de Souza.

GOLS - Vinícius, aos cinco, e Minho, aos oito minutos do primeiro tempo; Robson, aos 45 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marcelo Aparecido de Souza (SP).

CARTÕES AMARELOS - Aislan, Erick e Jeanderson (Náutico); Leandro Vilela e Jhony (Paraná).

RENDA - R$ 11.290,00.

PÚBLICO - 1.700 pagantes.

LOCAL - Arena Pernambuco, em Recife.

fonte: Estadão Conteudo

Envie seu comentário

Comentários (0)

Atlético-PR perde para o Santos e vai para a lanterna do Brasileirão

Os torcedores vaiaram os jogadores nos últimos minutos da partida e deixaram o estádio aos gritos de 'time sem vergonha'

David Braz, do Santos, disputa lance com Grafite, do Atlético Paranaense, em partida válida pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro 2017, na Arena da Baixada (Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo)

O Santos aproveitou dois contra-ataques na etapa inicial e derrotou o Atlético Paranaense por 2 a 0 neste domingo (11), na Arena da Baixada, em Curitiba, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Kayke marcou os dois gols da partida.

O resultado manteve o bom momento do time alvinegro desde que Dorival Junior foi demitido. Assim como aconteceu na vitória por 1 a 0 sobre Botafogo na última rodada, quem comandou a equipe interinamente do banco de reservas foi o ex-jogador Elano. O novo treinador santista, Levir Culpi, assumirá o time nesta segunda-feira.

E encontrará a equipe na décima colocação, com nove pontos. Sua missão para a estreia, no entanto, promete ser complicada. Na quarta-feira, às 21h45, o Santos receberá o Palmeiras na Vila Belmiro - o time alviverde vem de vitória sobre o Fluminense por 3 a 1.

O Atlético-PR vive situação complicada. Os torcedores vaiaram os jogadores nos últimos minutos da partida e deixaram o estádio aos gritos de "time sem vergonha". A equipe paranaense caiu para a lanterna da competição, com apenas dois pontos conquistados. Na próxima rodada, enfrentará o Atlético Mineiro, na quarta-feira, às 19h30, no estádio Independência, em Belo Horizonte.

No duelo deste domingo, o Atlético-PR começou melhor, mas foi surpreendido em um rápido contra-ataque do Santos aos 26 minutos. Bruno Henrique avançou pela direita e tocou para Thiago Maia, que viu Kayke livre no meio da área. O atacante desviou para abrir o marcador.

O time anfitrião não se incomodou com o gol e foi para cima. Sidcley finalizou com perigo. Na sequência, Nikão deixou Jean Mota e Copete para trás e bateu colocado. A bola desviou em Vitor Bueno e quase enganou o goleiro Vanderlei, que conseguiu se recuperar e fez a defesa.

Quando o Atlético estava mais próximo do empate, o Santos acertou novo contra-ataque e ampliou aos 35 minutos. Novamente Bruno Henrique arrancou, desta vez pelo lado esquerdo, e rolou para Kayke desviar para as redes.

Cinco minutos depois, o time da casa reclamou de um pênalti não assinalado. Pablo tentou finalizar e a bola tocou no braço de Lucas Veríssimo. O árbitro mandou o jogo seguir para indignação dos torcedores.

Na etapa final, a pressão dos anfitriões continuou, mas estava complicado de tirar o zero do placar. O Atlético-PR chegou a balançar as redes do adversário por duas vezes, mas ambas em impedimento.

Aos 12, Lucho González em posição irregular aproveitou cobrança de falta e desviou de cabeça para as redes. Pouco depois, Pablo desviou cobrança de escanteio e Grafite, impedido, marcou.

Na parte final da partida, o lateral-direito Daniel Guedes, que já tinha cartão amarelo, acabou sendo expulso ao demorar muito para fazer uma cobrança de falta. Entretanto, mesmo com um homem a menos em campo, o Santos segurou o resultado de 2 a 0 com tranquilidade.

FICHA TÉCNICA
Atlético-PR 0 X 2 Santos
Atlético-PR - Santos; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto (Éderson) e Lucho González; Nikão, Pablo (Felipe Gedoz) e Douglas Coutinho (Grafite). Técnico: Eduardo Baptista.
Santos - Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Thiago Maia (Alison), Renato e Vitor Bueno (Cléber); Bruno Henrique, Kayke (Leandro Donizete) e Copete. Técnico: Elano (interino).
Gols - Kayke, aos 26 e aos 35 minutos do primeiro tempo.
Árbitro - Marcelo de Lima Henrique (RJ).
Cartões amarelos - Paulo André (Atlético-PR) e Daniel Guedes (Santos).
Cartão vermelho - Daniel Guedes (Santos).
Renda e público - Não disponíveis.
Local - Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

Veja também
Paraná perde para o Guarani e fica próximo da zona de rebaixamento

Envie seu comentário

Comentários (0)