Curitiba

Receita libera pagamento do 2º lote de restituição do Imposto de Renda

Cerca de 1,3 milhão de contribuintes que declararam Imposto de Renda em 2017 vão receber dinheiro da Receita Federal

O segundo lote do IR também incluirá restituições residuais de 2008 a 2016 (Foto: Reprodução/ Pixabay)

A Receita Federal começa a pagar nesta segunda-feira (17) o segundo lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas 2017. Este lote também incluirá restituições residuais de 2008 a 2016, segundo informou o órgão. Cerca de 1,3 milhão de contribuintes que declararam Imposto de Renda neste ano vão receber dinheiro do Fisco.

Ao todo, serão desembolsados R$ 2,533 bilhões. A Receita também pagará R$ 467,2 milhões a 148,2 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2016, mas estavam na malha fina. Considerando os lotes residuais e o pagamento de 2016, o total gasto com as restituições chegará a R$ 3 bilhões.

As restituições terão correção de 2,74%, para o lote de 2016, a 97,03% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês.

Consulte se você faz parte do segundo lote de restituição de IR

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Os dois últimos lotes regulares serão liberados em novembro e dezembro. Se estiverem fora desses lotes, os contribuintes devem procurar a Receita Federal porque os nomes podem estar na malha fina por erros ou omissões na declaração.

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser feita por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC , no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet. Para quem não sabe usar os serviços no e-CAC, a Receita produziu um vídeo com instruções.

Veja também:

Boletos vencidos podem ser pagos em qualquer banco

Enquanto MP não provar nada, vou continuar andando por esse país, diz Lula

Envie seu comentário

Comentários (0)

Loteamentos: uma forma segura de investir seu dinheiro

Facilidade de negociação, solidez de mercado, propensão a valorizar: veja esses e outros motivos que explicam por que comprar loteamentos é um ótimo negócio

Loteamento Jardim Espanha da Santa Alice Loteamentos, localizado na região Sul de Maringá, ao lado do Loteamento Jardim Europa (Foto: Divulgação)

Quando pensamos em investir, muitas vezes nos vemos repletos de dúvidas e receios. Não seria melhor deixar para outro momento? Não será preciso sacrificar uma fatia grande demais do salário? Os investimentos de menor risco são suficientemente rentáveis? Investir em imóveis não é algo possível apenas para quem guardou muito?

Uma alternativa ajuda a esclarecer tantas perguntas. Comprar loteamentos, por uma série de motivos, é uma escolha que equilibra menos risco e ótimos retornos. 

Um motivo sempre apontado por especialistas é o da alta procura, ou facilidade de negociação, dos loteamentos. Eles têm liquidez maior que a de casas e apartamentos, já que custam menos, sendo acessíveis a um público comprador maior. Também são, em qualquer época, um bem bastante desejado. Quem compra um loteamento e em vez de construir opta um dia por revendê-lo, portanto, consegue fazer isso mais facilmente.

Para quem vai construir, o loteamento oferece um investimento mais personalizado. Pode-se acompanhar toda a construção, escolher cada material, controlar os gastos, garantir o resultado mais próximo possível do planejado. 

O comprador do loteamento passa a ter em mãos um bem durável, cujo valor não sofre depreciação, pelo contrário: fatores como a redução dos espaços disponíveis nos centros urbanos, a melhora de infraestrutura de uma região e a já citada alta demanda constante por loteamentos tendem a valorizá-los. É o que ocorre, por exemplo, com os loteamentos no sul de Maringá, a região que mais cresce na cidade. “A valorização é ainda mais destacável quando se trata de uma região em desenvolvimento e crescimento”, explica o site especializado Urbamais.

Outro ponto vantajoso que merece ser destacado é que manter um lote, incluindo impostos e taxas municipais, é menos oneroso que imóveis já construídos e apartamentos. Finalmente, profissionais de investimentos ressaltam que a compra de um lote pode ajudar a economizar um dinheiro que seria gasto sem planejamento.

Para a compra, vale não esquecer de diversos cuidados, como verificar documentos, regularização junto à prefeitura, saneamento e infraestrutura do local. 

Também recomenda-se, é claro, procurar empresas consolidadas no mercado, porque além de formas mais propícias de pagamento oferecem maior segurança no negócio. Buscar uma empresa confiável é fundamental por fatores como a entrega do loteamento, sua venda somente após legalizado e negociações financeiras, entre outros.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Receita abre consulta ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda

Cerca de 1,3 milhão de contribuintes poderão consultar o segundo lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física

A Receita Federal abriu consulta ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2017, e ao todo serão desembolsados R$ 2,533 bilhões (Foto: Pixabay)

Cerca de 1,3 milhão de contribuintes que declararam Imposto de Renda neste ano vão receber dinheiro do Fisco. A Receita Federal abre nesta segunda-feira (10) consulta ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2017, e ao todo serão desembolsados R$ 2,533 bilhões.

A Receita também pagará R$ 467,2 milhões a 148,2 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2016, mas estavam na malha fina. Considerando os lotes residuais e o pagamento de 2016, o total gasto com as restituições chegará a R$ 3 bilhões.

A lista com os nomes estará disponível a partir das 9h no site da Receita na internet, e a consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. Além disso o órgão oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições na palma das mãos. 

O crédito bancário será feito em 17 de julho, e as restituições terão correção de 2,74%, para o lote de 2016, a 97,03% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração, e o contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Os dois últimos lotes regulares serão liberados em novembro e dezembro. Se estiverem fora desses lotes, os contribuintes devem procurar a Receita Federal porque os nomes podem estar na malha fina por erros ou omissões na declaração.

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser feita por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet. Para quem não sabe usar os serviços no e-CAC, a Receita produziu um vídeo com instruções.

Leia mais:

Boletos vencidos podem ser pagos em qualquer banco a partir de segunda

Caixa abre duas horas mais cedo para pagamento do FGTS inativo

 

 

 

Envie seu comentário

Comentários (0)