Curitiba

Pesquisa mostra que um em cada cinco brasileiros não quer imigrantes

A maioria dos brasileiros defende restrições à entrada de estrangeiros que estejam fugindo de uma situação de guerra, fome ou tensão religiosa

Estados no Norte do País viraram entrada para venezuelanos. (Foto: William Urdaneta/Reuters)

*Do R7

Não aos imigrantes Pesquisa de opinião feita a pedido da coluna pelo Instituto Paraná Pesquisas indica uma guinada relevante na imagem de que o País é uma terra hospitaleira para os que vem de fora. A grande maioria dos brasileiros defende restrições à entrada de estrangeiros que estejam fugindo de uma situação de guerra, fome ou tensão religiosa. A maioria, ou 56,1%, apoia a chegada deles, mas com restrições. E, para 19,6%, ou seja, um em cada cinco brasileiros, não tem conversa: nenhum estrangeiro nessas condições poderia entrar no Brasil. Outros 13,9% são contrários apenas à entrada de muçulmanos. Os que defendem a entrada sem restrições são apenas 7,1% e 3,2% não sabem ou não opinaram.

Norte: A região Norte, porta de entrada de venezuelanos, bolivianos e haitianos pelas fronteiras, lidera entre os que defendem a entrada com restrições (65,%) e também tem o menor registro da total abertura das fronteiras. Apenas 2% dos entrevistados defendem entrada de estrangeiros sem qualquer restrição.

Ensino superior: Chama a atenção na pesquisa o percentual entre os entrevistados de ensino superior completo dos que são contra a entrada apenas de muçulmanos, de 15%, maior do entre os entrevistados de ensino fundamental 12% e muito próximo dos de ensino médio (14,9%). Por outro lado, também são os entrevistados do superior completo os mais tolerantes quando questionados se concordam com a entrada sem nenhuma restrição: 10,8%, ante 6% dos entrevistados dos ensinos fundamental e médio

Em todo o País: O Paraná Pesquisas ouviu 2.640 brasileiros de todas as regiões entre os dias 21 e 24 de agosto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o grau de confiança de 95%.

Leia também:

 

Envie seu comentário

Comentários (0)

Menina paraplégica é mutilada por ratos durante o sono

Ela sofreu cerca de 225 mordidas e arranhões, mas não conseguiu pedir socorro

A menina paraplégica foi mutilada por um bando de ratos e segue internada. (Foto: Ilustrativa/Pixabay)

 

Uma menina paraplégica de 14 anos foi mutilada por ratos enquanto dormia em sua casa, na cidade de Roubaix, no norte da França. O ataque aconteceu na última semana, mas o caso veio à tona apenas agora. Ela foi encontrada pelo próprio pai somente na manhã seguinte, já que não conseguiu pedir socorro durante a investida dos roedores.

O homem contou ao jornal britânico, The Mirror, que levou um susto e pensou ser uma hemorragia cerebral, pois tinha muito sangue espalhado. Duas ambulâncias precisaram ir até o local para que uma equipe maior conseguisse estancar o sangramento, ela foi encaminhada em estado crítico ao hospital. O médico que fez o atendimento disse que existiam 225 mordidas e arranhadas por todo corpo, principalmente, na cabeça, mãos e pés.

O incidente aconteceu no térreo da casa, onde dorme a adolescente. Sua deficiência torna complicado o translado para o andar superior e ela fica separada do restante da família durante a noite. O pai acusa o proprietário da residência que é alugada e a prefeitura do município, já que, provavelmente, os ratos vieram de uma montanha de lixo que fica próxima ao local. Sujeira já notada anteriormente e que ele teria solicitado várias vezes, sem sucesso, que fosse retirada.

A garota segue internada, fez uma bateria de exames e tomou inúmeras vacinas. Os roedores transmitem diversas doenças como raiva, peste bubônica, tifo murino, hantavirose, entre outras, por sorte, todos os resultados deram negativo. Por outro lado, não foi possível reparar os danos nas pontas dos dedos das mãos e dos pés, e ela ficará mutilada.

A família foi transferida para outra casa, enquanto a polícia investiga o caso.     

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Mega-Sena promete prêmio de 2,5 milhões neste sábado

Se for aplicada na poupança, grana rende cerca de R$ 13 mil por mês

Bilhete com seis números custa R$ 3,50. (Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas)

*Da Agência Brasil

A Mega-Sena volta a ser sorteada neste sábado (9), após uma aposta faturar R$ 48 milhões no último concurso da loteria. Se alguém conseguir cravar sozinho as seis dezenas reveladas no concurso desta noite, levará R$ 2,5 milhões, segundo a Caixa.

O sorteio do concurso 1.966 está marcado para acontecer às 20h, no município de Salto (SP). Caso fature sozinho a bolada, poderá aplicar integralmente na poupança e terá um rendimento de cerca de R$ 13 mil por mês.

Na última quarta-feira, as dezenas sorteadas pelo concurso de número 1.965 da loteria foram: 26 — 28 — 35 — 38 — 48 — 55. Além do prêmio principal, o sorteio premiou 90 pessoas com a quina e 6.377 apostadores com a quadra.

Para concorrer ao prêmio de R$ 2,5 milhões deste sábado, basta ir a uma casa lotérica e marcar de 6 a 15 números do volante, podendo deixar que o sistema escolha os números para você (Surpresinha) e/ou concorrer com a mesma aposta por 2, 4 ou 8 concursos consecutivos (Teimosinha).
Cada jogo de seis números custa R$ 3,50. Quanto mais números marcar, maior o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio mais cobiçado do País.

Outra opção é o Bolão Caixa, que permite ao apostador fazer apostas em grupo. Basta preencher o campo próprio no volante ou solicitar ao atendente da lotérica. Você também pode comprar cotas de bolões organizados pelas lotéricas.

Neste caso, poderá ser cobrada uma Tarifa de Serviço adicional de até 35% do valor da cota. Na Mega-Sena, os bolões têm preço mínimo de R$ 10. Porém, cada cota não pode ser inferior a R$ 4. É possível realizar um bolão de no mínimo 2 e no máximo 100 cotas.

Leia também:

 

Envie seu comentário

Comentários (0)