Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Investigação

Pedágios Paraná: coronéis da PM iniciam intervenções a pedido do governo

A medida foi tomada após operações da Polícia Federal (PF) denunciarem a corrupção e irregularidades nos pedágios do Paraná

Autor: Redação RIC Mais
A Rodonorte, em São Luís do Purunã, recebeu a visita do representante da intervenção nos Pedágios Paraná. (Foto: Reprodução/RICTV)
A Rodonorte, em São Luís do Purunã, recebeu a visita do representante da intervenção nos Pedágios Paraná. (Foto: Reprodução/RICTV)

Iniciou na manhã deste sábado (6), às 10h, as intervenções militares em pedágios do Paraná, conforme anunciado na quinta-feira (4) pelo governo estadual. Segundo a medida - tomada após operações da Polícia Federal (PF) que denunciaram a corrupção e irregularidades nos pedágios estaduais - as seis concessionárias que formam o Anel de Integração sofrerão ações fiscalizatórias feita por coronéis reformados da Polícia Militar.

Os primeiros locais a serem visitados pelos PM’s, são as praças de pedágio do Caminhos do Paraná, em Prudentópolis; da Rodonorte, em São Luís do Purunã; da Ecocataratas, em Cascavel e São João; da Econorte, em Jataizinho e da Viapar, em Marialva. A Ecovia ficou de fora porque o interventor responsável teria alegado compromisso.

De acordo com as informações repassadas pelo governo do Paraná, os interventores vão facilitar o acesso das autoridades aos documentos das concessionárias, garantir respostas nos prazos estipulados e relacionadas às demandas do judiciário e, inclusive, ajudar no levantamento de dados do caixa das empresas, que ainda hoje é considerado um mistério para o estado. Um conselho local de usuários será criado para monitorar a situação. No entanto, maiores detalhes sobre o trabalho e as investigações não foram revelados.

O coronel que visitou a Praça de pedágio da Rodonorte, em São Luís do Purunã, confirmou um dos objetivos da ação. “Nós vamos nos inteirar de como funciona o método, o sistema de contagem e arrecadação dos veículos que passam por aqui. Existe um sistema mecânico, informatizado, que faz a contagem automática dos veículos que passam e isso vai, obviamente, gerar uma arrecadação”, disse.

Todo conteúdo será compartilhado com o ‘Comitê de Intervenção’, da Controladoria Geral do Estado (CGE), com o Departamento de Estradas de Rodagens do Estado (DER) e também com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística. O decreto é um ato administrativo do governo e segundo os secretários, previsto em contrato. “Nós vamos compilar isso, o interventor vai reunir isso, transformar em um relatório, que isso, na sequência, vai ser remetido para a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística. A medida que os relatórios forem sendo produzidos nós já iremos encaminhando. [...] Ontem já entregamos um ofício fazendo uma série de requisitos, pedindo muitas informações que devem chegar na segunda-feira (8)", explicou o coronel. 

Investigações nos pedágios do Paraná

Os procuradores da república revelaram a existência de esquemas de irregularidades na cobrança das tarifas dos pedágios cobrados pelas seis concessionárias. Inclusive treze atos secretos que permitiram o adiamento de duplicações de rodovias previstas em contrato e o aumento abusivo no preço do pedágio pago pelos motoristas.

Ainda segundo as investigações, o esquema contou com a participação de funcionários do Departamento de Estradas e Rodagem (DER), e da Agepar (Agência Reguladora do Paraná). A denúncia sustenta que parte do dinheiro desviado beneficiou diretamente o ex-governador do Paraná Beto Richa. Foram identificados dois esquemas paralelos de pagamentos de propinas relatados por réus colaboradores.

Integração II: PF deflagra a 55ª fase da Operação Lava Jato

A pedido da força-tarefa Lava Jato, do Ministério Público Federal no Paraná (MPF) e da Polícia Federal (PF), a 23ª Vara Federal de Curitiba expediu e a PF cumpriu no dia 26 de setembro, três mandados de prisão preventiva, 16 mandados de prisão temporária e 73 mandados de busca e apreensão em Curitiba, Ponta Grossa, Irati, Maringá, Londrina, no Paraná e São Paulo, em São Paulo. O objetivo da ação em questão foi aprofundar as investigações sobre a prática de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, estelionato e peculato em esquema relacionado à administração das rodovias federais no Paraná.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook