Curitiba

Lixeira roubada vira 'modão' sertanejo no interior do Paraná

O trio compôs uma música que fala sobre vários roubos bizarros registrados em Cornélio Procópio

Zézinho, Luiz Felipe e Célio Reis estão fazendo o maior sucesso com o modão do roubo da lixeira. (Foto: Reprodução RICTV Curitiba)

O trio não esqueceu do roubo de uma caixa de som em frente a uma loja de roupas. (Foto: Reprodução RICTV Curitiba)

O trio não esqueceu do roubo de uma caixa de som em frente a uma loja de roupas. (Foto: Reprodução RICTV Curitiba)
O modão sertanejo conta o roubo de um poste da praça pública. (Foto: Reprodução RICTV Curitiba)
Flagra do momento do roubo da lixeira. (Foto: Reprodução RICTV Curitiba)
Zézinho, Luiz Felipe e Célio Reis estão fazendo o maior sucesso com o modão do roubo da lixeira. (Foto: Reprodução RICTV Curitiba)

Uma lixeira furtada há alguns meses - dessas que ficam na frente de casa - no município de Cornélio Procópio, norte pioneiro do estado do Paraná, foi recuperada pela polícia e o proprietário que é sanfoneiro resolveu fazer uma música.

Em julho deste ano, a câmera de segurança do vizinho de José Torres flagrou o momento em que o ladrão forçou a estrutura de metal até que conseguiu desprendê-la do chão. Ele fugiu com o objeto do furto nos braços, levando junto inclusive o saco de lixo cheio de dejetos.

Seu Zézinho, como é conhecido, achou um absurdo alguém se dar ao trabalho de roubar uma coisa assim. Agora, fez questão de colocar a lixeira no seu antigo lugar e para comemorar ainda fez um modão sertanejo contando o ‘causo’.

“Roubaram a minha lixeira e a polícia foi atrás porque não é brincadeira” é o refrão da canção que foi composta em parceria com a dupla Luiz Felipe e Célio Reis. Os três contaram detalhe por detalhe do ocorrido e completaram a música com outros roubos bizarros registrados na cidade, como, por exemplo, o roubo de um poste da praça pública e da caixa de som em frente a uma loja.

Assista à reportagem completa:

 

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Motoristas e cobradores suspendem paralisação na tarde desta terça-feira

Confira o cronograma completo e como eles afetam o seu trajeto

Passageiros aguardam pela volta dos serviços na paralisação do Anel Central. (Foto: Sindimoc)

O mês de setembro será marcado por paralisações dos motoristas e cobradores de ônibus da rede pública de transporte de Curitiba. O objetivo é chamar a atenção para a falta de segurança e a onda de violência que há meses vem tomando conta das linhas e tubos da capital e região metropolitana. O movimento foi batizado deSetembro de Luto.

Nesta quarta- feira (13) os ônibus irão parar das 15h até às 16h nos terminais do Campo Comprido, Campina do Siqueira, Santa Felicidade, Caiua e Fazendinha.

A paralisação marcada para a tarde desta terça-feira (12) foi suspensa - motoristas e cobradores analisam os próximos passos.

Próximas paralisações:

13/09 15h -16h

Terminais: Campo Comprido, Campina do Siqueira, Santa Felicidade, Caiua e Fazendinha.

14/09 9h-10h

Terminais: Campo Comprido, Campina do Siqueira, Santa Felicidade, Caiua e Fazendinha.

15/09 9h-10h

Terminais: Pinheirinho, CIC, Sítio Cercado, Boqueirão, Carmo, Hauer, Capão Raso e Portão.

18/09 9h-10h

Terminais: Santa Cândida, Boa Vista, Cabral, Barreirinha, Bairro Alto, Capão da Imbuia, Centenário e Oficinas.

19/09 15h-16h

Terminais: Santa Cândida, Boa Vista, Cabral, Barreirinha, Bairro Alto, Capão da Imbuia, Centenário e Oficinas.

20/09 15h

Paralisação geral com concentração na Praça Rui Barbosa

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Homem morre atropelado na Cidade Industrial de Curitiba

Thiago Gonsalves, de 25 anos, bateu a cabeça no asfalto e morreu no local

Thiago morreu na hora. (Foto: Tiago Silva)

* Com informações do repórter Tiago Silva

Um homem morreu atropelado na tarde desta segunda-feira (11), na rua Ciro Corrêa Pereira, CIC, região metropolitana de Curitiba. A motorista do veículo explicou que Thiago Gonsalves, de 25 anos, tentava atravessar a rua enquanto descarregava um caminhão da empresa onde trabalhava. Sem olhar para os lados, Thiago foi atingido no meio da avenida.

A motorista contou que ao ver Thiago ainda tentou parar o veículo, mas mesmo assim atingiu o trabalhador. A vítima havia sofrido um acidente na última quinta-feira (07) e já reclamava de dores musculares.

Segundo os socorristas, Thiago bateu a cabeça no asfalto e faleceu logo depois do acidente.

 

Leia Também:

Envie seu comentário

Comentários (0)