Curitiba

Ipem-PR interdita postos e lacra bombas de combustíveis na Grande Curitiba

Técnicos do Instituto constataram a adulteração de placas eletrônicas de bombas, que abasteciam em menor quantidade do que a registrada no equipamento

Foto: Divulgação/IPEM-PR

O Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem-PR) interditou bombas de combustíveis instaladas em diversos postos de Curitiba e da Região Metropolitana, durante uma operação especial de fiscalização.

Técnicos do Instituto constataram a adulteração de placas eletrônicas de bombas, que abasteciam em menor quantidade do que a registrada no equipamento. Alguns estabelecimentos tiveram as atividades totalmente interrompidas por causa das irregularidades.

As fiscalizações ocorreram no início deste mês com o objetivo de combater fraudes. Os técnicos do Ipem-PR visitaram sete postos de combustíveis líquidos, onde fiscalizaram 104 bicos de bombas medidoras. Destas, 44 foram interditadas. Também foram apreendidas 12 placas eletrônicas por suspeita de fraude.

Os resultados da operação foram divulgados nesta terça-feira (21), após emissão dos respectivos laudos que atestam as irregularidades. Outro resultado da ação foi a cassação da autorização de uma empresa que presta serviços de manutenção a esses estabelecimentos.

O presidente do Ipem-PR, Oliveira Filho, disse que “o Instituto vem trabalhando continuamente para combater as fraudes em bombas medidoras de combustíveis, principalmente as fraudes eletrônicas, que vêm crescendo nos últimos anos no País”.

A operação foi comandada pelo Ipem-PR, em conjunto com técnicos do Inmetro, Ministério Público, Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor e a Polícia Criminalística.

A ação conjunta ocorreu após treinamento específico em fraudes em bombas medidoras de combustíveis líquidos, que envolveu agentes dos órgãos citados, e integra a programação de fiscalização em bombas medidoras e combate às fraudes eletrônicas feitas periodicamente pelo Ipem-PR.

Prática

As adulterações de componentes eletrônicos das bombas faziam com que os aparelhos registrassem um fornecimento de combustível maior do que na realidade acontecia, configurando diferenças superiores às toleradas. Uma das bombas chegou a registrar uma diferença de 1.366 mililitros em cada 20 litros fornecidos. A diferença máxima permitida é de 100 mililitros, para mais ou para menos, a cada 20 litros.

As bombas que foram lacradas apresentaram alteração de modelo, problemas na instalação e inscrições obrigatórias, além das placas eletrônicas que foram alteradas, tendo componentes substituídos, retirados ou incluídos. As placas eletrônicas foram encaminhadas ao laboratório do Inmetro para perícia técnica e posterior quantificação da fraude.

Manutenção

Em função das irregularidades encontradas em alguns postos, o Ipem-PR cassou a autorização de uma das empresas que prestam serviço de manutenção para postos de combustíveis líquidos, impedindo a mesma de prestar trabalho de manutenção, deslacrar e lacrar instrumentos de medição de modo geral. Foi determinada ainda a devolução pela empresa cassada de todas as marcas de reparo (selos), marcas de selagem azul e Atestado de Autorização e que esses materiais sejam recolhidos junto ao Ipem-PR

Empresas autuadas e com as placas eletrônicas apreendidas: Posto Bairro Tarumã Ltda; Posto Via Aeroporto Ltda; Com. De Combustíveis JPS Ltda. 

Empresas autuadas porque o plano de selagem das bombas medidoras estavam violados: Shark Com. De Combustíveis Ltda; Flórida Com. De Combustíveis Ltda; GRC Com. De Combustíveis Ltda.

O Ipem-PR ressalta que estes postos foram autuados e terão oportunidade de defesa em primeira e segunda instância. Dos estabelecimentos fiscalizados, apenas no Aladim Posto de Abastecimento e Serviços Ltda não foram encontradas irregularidades.

Denúncias

O consumidor que se sentir lesado ou desconfiar de irregularidades deve entrar em contato com a Ouvidoria do Ipem-PR por meio do telefone 0800 645 0102 ou pelo site www.ipem.pr.gov.br, no link “Ouvidoria”.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Caminhoneiro morre esmagado em acidente na BR-476

Obras na pista deixaram o trânsito congestionado e motorista do caminhão não conseguiu frear

Foto: PRF

Foto: PRF

Foto: PRF
Foto: PRF

Um caminhoneiro morreu esmagado na cabine do veículo em um acidente na manhã desta terça-feira (21) na altura do km 496 da BR-376 em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais.

O transito estava congestionado na altura do km 500 por conta de uma obra no local. O caminhão que ele dirigia não conseguiu frear a tempo e bateu na traseira de outro caminhão que estava no final da fila e transportava um contêiner.

Os motoristas que estavam parados na fila afirmaram que estavam com sinalização de alerta ligada, e também confirmaram a presença de placas de sinalização de obras com antecedência, além da presença de "bandeirinha" sinalizando para a redução de velocidade no trecho.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Semáforos em manutenção complicam o trânsito

Dois pontos na cidade terão grande lentidão nesta terça-feira (21)

(Foto: Reprodução/Pixabay)

Motoristas relatam que, na manhã desta terça-feira (21), o trânsito em alguns pontos da cidade está caótico devido ao desligamento de semáforos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito (SETRAN), a lentidão no trânsito é devido a um serviço de manutenção que ocorre nos sinaleiros desde às 9h e segue até o 12h, no cruzamento das ruas Castro, Silveira Neto e avenida Água Verde, no bairro homônimo.

Outro ponto de lentidão intenso ocorre até às 18h também no bairro Água Verde, onde a poda de árvores deixa o tráfego em meia pista no cruzamento da travessa Rafael Greca com a rua Guilherme Pugsley.

Envie seu comentário

Comentários (0)