Curitiba

Homem morre atropelado na Cidade Industrial de Curitiba

Thiago Gonsalves, de 25 anos, bateu a cabeça no asfalto e morreu no local

Thiago morreu na hora. (Foto: Tiago Silva)

* Com informações do repórter Tiago Silva

Um homem morreu atropelado na tarde desta segunda-feira (11), na rua Ciro Corrêa Pereira, CIC, região metropolitana de Curitiba. A motorista do veículo explicou que Thiago Gonsalves, de 25 anos, tentava atravessar a rua enquanto descarregava um caminhão da empresa onde trabalhava. Sem olhar para os lados, Thiago foi atingido no meio da avenida.

A motorista contou que ao ver Thiago ainda tentou parar o veículo, mas mesmo assim atingiu o trabalhador. A vítima havia sofrido um acidente na última quinta-feira (07) e já reclamava de dores musculares.

Segundo os socorristas, Thiago bateu a cabeça no asfalto e faleceu logo depois do acidente.

 

Leia Também:

Envie seu comentário

Comentários (0)

Direitos que muitas pessoas possuem e nem sabem

Descubra se você pode ser um beneficiário

direitos-brasileiros-nao-sabem-capa.jpg

direitos-brasileiros-nao-sabem-desconto-carro-0-km.jpg

direitos-brasileiros-nao-sabem-desconto-carro-0-km.jpg
direitos-brasileiros-nao-sabem-rodizio.jpg

*Por Gustavo Fonseca

Existem alguns direitos que são garantidos a uma parcela da população brasileira e que, devido à baixa divulgação, deixam de ser usufruídos por quem os possui. Estamos nos referindo à possibilidade de aquisição de carro 0km com desconto, isenção de IPVA e dispensa do rodízio. 

Estima-se que, em média, 50% dos brasileiros possuam, pelo menos, algum desses direitos, instituídos em Lei há muito tempo. Para que se tenha uma ideia, a Lei 10.690, a qual estabelece as normas para a concessão de desconto em carros 0km, vale desde o ano de 2003.

A seguir, será explicado para você em que consiste cada um desses direitos e, ainda, quem os possui e como consegui-los. 

Descubra se você pode ser um beneficiário

Antes de qualquer outra informação, é preciso saber que, para cada um desses direitos, existem alguns casos particulares que possuem o benefício. Porém, resolvemos separar, nesta seção, alguns casos comuns aos três benefícios.

De modo geral, estão legalmente autorizadas a receber tais benefícios pessoas portadoras de deficiência física, visual, mental severa ou profunda e, ainda, autistas. Vale ressaltar que, em caso de a pessoa beneficiada não ser a condutora do veículo, é possível apresentar seu representante legal.

Desconto em carros 0km

Esse desconto na compra de carros novos consiste em isentar o comprador do pagamento de impostos como ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Além disso, o grupo de beneficiários pode ser isento do pagamento de IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores).

Para isso, o requerente precisa seguir alguns passos para efetivar a compra com os devidos abatimentos no valor. O primeiro deles é, em caso de ser o condutor, possuir CNH que declare restrição ou necessidade especial. Para isso, é preciso fazer uma perícia médica junto ao DETRAN e levar o laudo a algum CFC (Centro de Formação de Condutores) para incluir essa informação ao documento.

Após isso, o laudo médico, acompanhado dos demais documentos necessários, deve ser apresentado à Receita Federal, para que a isenção do IPI seja solicitada. Assim, é possível escolher o modelo do carro a ser comprado em qualquer concessionária de sua preferência.

Preste atenção em algumas exigências na hora de decidir por qual carro comprar. Para que a compra seja realizada com os descontos, o carro, além de precisar ser 0km, precisa custar no máximo 70 mil reais e possuir fábrica no Brasil.

Depois de escolher o carro desejado, basta levar, à Secretaria da Fazenda do Estado, uma carta, concedida pela concessionária, para a solicitação de isenção do ICMS e, depois, apresentar o documento de compra ao DETRAN.

Isenção de IPVA

Talvez você já possua seu veículo. Com isso, pode ser que você não pretenda seguir todos os passos indicados acima para comprar um novo e receber os descontos. Porém, isso não significa que não seja possível solicitar a isenção do IPVA.

De acordo com o que informamos anteriormente, existe uma série de doenças e limitações que permite a solicitação de utilização desse direito. No caso do IPVA, estados brasileiros, como Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, garantem, a portadores de câncer, o direito à isenção do referido imposto. Para isso, é aconselhável informar-se sobre a legislação vigente em seu estado.

Para solicitá-la, é necessário recorrer à SEF (Secretaria de Estado da Fazenda), de posse do laudo médico que ateste a enfermidade. Demais documentações exigidas variam de estado para estado. Assim, o melhor a ser feito é fazer uma consulta diretamente no site da SEF do estado de sua residência.

Algo importante de mencionar é que, neste caso, não apenas pessoas portadoras de determinadas doenças possuem direito ao desconto do IPVA. Entidades filantrópicas, taxistas, veículos roubados, que tenham apresentado perda total, entre outras situações também podem ser isentos deste tributo.

Dispensa da Lei do Rodízio

A Lei do Rodízio é aplicada na cidade de São Paulo e arredores da capital. Tal lei estabelece dias, horários e locais em que veículos, dependendo dos números que compõem o final de sua placa, não podem circular. O objetivo disso é diminuir os congestionamentos e, ainda, a emissão de poluentes, que tanto contribuem para a perda da qualidade do ar.

Desrespeitar tal determinação configura infração média e pode gerar multa ao condutor. Inclusive, veículos de fora da cidade podem ser multados. Porém, há casos em que os veículos estão dispensados do rodízio. Pessoas com deficiência e carros adaptados podem circular pela cidade, independente do dia da semana e do horário.

Além disso, veículos do transporte público, escolar e de produtos perecíveis não entram no rodízio. Ambulâncias, viaturas policiais, carros dos bombeiros e demais serviços militares também não.

Para ser dispensado, é preciso entregar um requerimento de solicitação, junto com o original e cópia do atestado médico que contenha CID na doença, CRM, carimbo e assinatura do médico. É necessário, ainda, entregar cópias simples do CRLV, CPF do portador de deficiência e RG do requerente e de seu representante legal. Além disso, o representante legal precisa entregar cópia da procuração, curatela ou da guarda permanente.

Esses documentos podem ser entregues em postos credenciados da CET (Companhia de Engenharia de Trânsito) ou via correios. É interessante destacar, também, que o veículo precisa ser cadastrado junto à companhia.

Esperamos ter lhe ajudado a saber sobre um direito que você, ou alguém próximo, possui. Escreva seu comentário, deixe suas sugestões, críticas e perguntas.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Mulher descobre segredo tenebroso sobre o marido dias após se casar

Britânica soube que ele é pedófilo e a violentava depois de drogá-la

Entre vários crimes, ela soube, no tribunal, que o ex, armado com uma faca, tinha estuprado uma garotinha de 12 anos. (Foto: Reprodução R7)

Entre vários crimes, ela soube, no tribunal, que o ex, armado com uma faca, tinha estuprado uma garotinha de 12 anos. (Foto: Reprodução R7)

Entre vários crimes, ela soube, no tribunal, que o ex, armado com uma faca, tinha estuprado uma garotinha de 12 anos. (Foto: Reprodução R7)
"O dia em que me casei com um estuprador". (Foto: Reprodução R7)

*Do R7

A britânica Catrina Alexandra Jade Young, de 29 anos, estava casada com Christopher Lander, de 28, havia menos de 20 dias. Os dois namoraram durante três anos e tiveram um filho nesse período. Catrina tem mais três filhos de outro casamento. Ela e Lander decidiram morar juntos depois de trocar alianças. A relação ia bem, segundo Catrina, até o dia em que a polícia apareceu na casa da família, em Ipswich, sudeste do Reino Unido. Os oficiais tinham um mandado de prisão. A acusação era gravíssima: pedofilia. O laptop e o celular de Lander foram levados. A polícia avisou Catrina, perplexa, que o marido baixava vídeos de criança  com regularidade.

"Ele tem várias imagens no computador e no celular", constataram os oficiais, que levaram o marido diante de uma esposa atônita. O choque não acabou por aí: os policiais voltaram depois à casa de Catrina, agora para interrogá-la. Foi então que ela descobriu outras informações assombrosas sobre o marido.

Queriam saber se ela o marido tinham o costume de tirar fotos em "brincadeiras sexuais". "Você se fingia de morta para ele?", perguntou um policial. Catrina disse que nunca tinha feito isso. Diante da resposta negativa, os homens fardados revelaram que acharam arquivos de Lander em que ela, Catrina, aparecia de olhos fechados, como se estivesse se fingindo de morta, fazendo sexo com o marido. A britânica insistiu, enfática: o marido nunca propôs nada do gênero, e, se sugerisse, ouviria um "não" definitivo. Mas Catrina se lembrou que, nos primeiros dias de casada, acordava cansada, com dor de cabeça, como se estivesse de ressaca. Achava que estava doente e pensava em consultar o médicos. Policiais encontraram remédios para dormir na casa dela. Mostraram os vídeos a ela e fizeram outra revelação chocante: o marido seria acusado de drogá-la e violentá-la enquanto dormia.

Pesadelo

Catrina descobriu, na mesma semana, que o marido é pedófilo e a estuprava à noite, após dar, sem ela saber, um coquetel de remédios para ela desmaiar de sono. “Senti um nojo imenso, dele e de mim por não ter descoberto tudo isso enquanto esteve junto com Lander. Demorou muito para acreditar no que estava acontecendo. Não sabia que ela tinha dormido por tanto tempo, como ela disse, com um ‘monstro’”.

Mesmo no dia da prisão de Lander, ela não acreditava que o marido estava sendo acusado de consumir material pornográfico envolvendo pedofilia. "Olhava para ele e, tremendo, ainda achava que a prisão era um mal-entendido", contou ela ao jornal The Sun.

“Sempre o considerei uma ótima pessoa. Ele era pai do meu filho! Dizia que me amava. Nunca vi ou percebi nada suspeito”. Catrina viu o marido ser preso e, antes do julgamento, foi informada que Lander era acusado também de violentar crianças.

O julgamento aconteceu em maio de 2016, e Catrina decidiu agora contar a história escabrosa que viveu e contou outros detalhes a respeito do homem que era seu marido. Ela acabou pedindo o divórcio. Em programas de TV, contou, por exemplo, que soube, no tribunal, que o ex, armado com uma faca, tinha estuprado uma garotinha de 12 anos

Ele foi acusado, ainda, por outros casos de violência sexual. Foi condenado a 12 anos de prisão. Ela considera a sentença recebida por Lander de "irrisória" diante de tudo o que ele foi acusado.

“Ele me enganou, me violentou, me drogou e poderia ter feito mal a meus outros filhos, que moravam conosco. Chegou a falar a seus advogados que pretendia falar comigo. Eu disse que não. Os advogados me contaram que ele iria me acusar de ser cúmplice. Contei isso à polícia, e ele parou de mandar recados para mim”.

Em entrevista ao The Sun, Catrina diz que não vai permitir que o marido se encontre com o filho do casal. "Ele deveria passar a vida toda na cadeia", revolta-se. "Não sei como pude me apaixonar por um homem tão nojento".

Prisão

"Ele não verá nunca mais nosso filho. Não tem a menor chance. Não pode ver nenhuma criança. É um covarde, um predador, um homem imprevisível, dissimulado e extremamente violento", resume ela, que está consultando advogados para impedir que o encontro do pai e o filho aconteça quando ele deixar a penitenciária.

Ela conheceu o marido num site de namoro em 2012. "Demoramos umas seis semanas para nos conhecer. Quando nos vimos, gostei muito dele. Era gentil, educado, amoroso. Não tinha como desconfiar dele", espanta-se ainda hoje.

"Até contei a uma amiga que eu e o meu ex conversamos sobre pedófilos, depois de ver uma reportagem na TV. Ele se dizia horrorizado com criminosos desse tipo. Hoje sei o tanto de hipocrisia e fingimento havia naquela conversa dele. É um pessoa que tem uma maldade infinita, irrefreável. É um trauma que terei que conviver a vida toda: ter me casado com uma pessoa tão repulsiva. É o mal em pessoa", desabafa.

Leia também:

Envie seu comentário

Comentários (0)