Curitiba

Eleições presidenciais: 'República de Curitiba' derrotou Lula seis vezes

Nos oito turnos de eleições presidenciais entre 1989 e 2006, Curitiba quase sempre votou menos em Lula que o restante do país

Integrantes do MST acampam em terreno ao lado da rodoviária de Curitiba para aguardar o depoimento de Lula (Foto: Taba Benedicto, Agência O Dia, Estadão Conteúdo)

Se o Brasil República surgiu em novembro de 1889, a República de Curitiba nasceu em março de 2016. Muito antes de ser chamada assim, porém, ela já não tinha a maior das concentrações de fãs do ex-presidente Lula - na capital paranaense, o petista foi derrotado em seis de oito turnos de eleições presidenciais e quase sempre recebeu menos votos (às vezes, muito menos) que a média que teve em todo o país.

A origem da República

O reponsável pelo termo "República de Curitiba" é, justamente, o convidado da cidade esta semana. Um grampo autorizado por Sérgio Moro registrou Lula e Dilma conversando ao telefone. Lula diz: “Eu, sinceramente, estou assustado com a República de Curitiba. Porque a partir de um juiz de primeira instância tudo pode acontecer”.

A população aproveitou a deixa e adotou o nome em manifestações contra o ex-presidente – em março de 2016, 200 mil pessoas foram às ruas curitibanas pedir o impeachment de Dilma e fazer críticas a Lula, incluindo pedidos de prisão. Estava proclamada a República de Curitiba.

A frase do petista fazia eco à “República do Galeão”, investigações que foram isolando Getúlio Vargas até que esse cometesse suicídio, em 1954. A capital brasileira era então o Rio de Janeiro, e as investigações, comandadas pela Aeronáutica, ocorriam na Base Aérea do Galeão, na cidade.

Lula fez outra referência a Getúlio Vargas recentemente: se animando para as eleições de 2018, ele disse ver na população, atualmente, um "queremismo". O termo se refere ao movimento que se desencadeou em 1945 e visava a permanência de Getúlio Vargas no poder. Seu refrão era “queremos Getúlio”.

Adversários 6 x 2 Lula

Em oito turnos de cinco eleições presidenciais (em 1989, 1994, 1998, 2002 e 2006), Lula foi menos votado que seus adversários seis vezes em Curitiba e levou a melhor apenas em duas. Em 2002, ele superou Serra com vantagem nos dois turnos – no segundo, foram 64,7% de votos válidos contra 35,3%.

Nas eleições de 2006, mesmo vencedor no país, ele perdeu na cidade – obteve 33,8% no primeiro turno e 47,5% no segundo, quando Alckmin obteve 52,5%.

Quando Fernando Henrique Cardoso venceu as eleições de 1994 e 1998, ambas no primeiro turno, Lula teve um desempenho fraco em Curitiba – foram 23,8% em 1994 e 28,7% em 1998, contra, respectivamente, 60,3% e 59,2% de FHC.

No primeiro turno das eleições de 1989, Lula foi apenas o 4º candidato mais votado no Paraná. No disputado segundo turno, dados específicos de Curitiba mostram que Lula foi muito pior na cidade que no restante do país. No Brasil, Collor teve 6% a mais de votos válidos que o petista. Na capital paranaense, a diferença foi três vezes maior: 18%.

Leia também
Dilma vai acompanhar depoimento de Lula em Curitiba

Envie seu comentário

Comentários (0)

Quatro pequenas cidades paranaenses estão entre as melhores para viver

Lista considera bem-estar dos moradores, cultura, educação, engajamento, finanças e saúde entre outros indicadores usados pelo Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade

Pato Branco, a melhor colocada do estado, ocupa o 11º lugar na lista elaborada pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegone (Foto: Divulgação/Prefeitura de Pato Branco)

Quatro municípios do Paraná que têm entre 50 mil e 100 mil habitantes estão entre os 40 que se destacam como boas cidades para pessoas com mais de 60 anos viverem. A classificação faz parte do Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade, elaborado pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, em parceria com a FGV.

Em 11º lugar na lista, encontra-se Pato Branco. Marechal Cândido Rondon aparece em 27º na lista. Em 37º lugar está Francisco Beltrão, seguido por Cianorte, que ocupa a 38ªposição no índice.

Veja também

Curitiba é a capital da melhor idade

Saiba por que Maringá é uma das melhores cidades para se viver

A lista leva em conta o bem-estar dos moradores, cultura, educação, engajamento, finanças e saúde entre outros indicadores que receberam pesos com base nas principais necessidades da população na terceira idade. O clima também foi levado em conta e tirou pontos das cidades. Ou seja, de acordo com a frequência dos dias com altas temperaturas, chuvas intensas ou baixa umidade, a pontuação caiu ou aumentaou. 

Confira a lista completa:

Cidade

Posição      Nota
São João da Boa Vista, SP199.82
Vinhedo, SP299.49
Lins, SP396.61
Fernandópolis, SP495.70
Tupã, SP594.78
Votuporanga, SP693.92
Lajeado, RS792.69
Itapira, SP892.21
Rio do Sul, SC992.15
Bebedouro, SP1091.11
Pato Branco, PR1189.87
Jaboticabal, SP1289.13
São José do Rio Pardo, SP1389.05
Paulínia, SP1489.01
Olímpia, SP1588.82
Videira, SC1688.49
Jaguariúna, SP1788.08
Mogi Mirim, SP1887.96
Batatais, SP1987.37
Avaré, SP2087.01
Matão, SP2186.96
Capivari, SP2286.61
Lavras, MG2385.22
Pirassununga, SP2484.47
Mirassol, SP2584.28
Taquaritinga, SP2683.95
Marechal Cândido Rondon, PR2783.75
Concórdia, SC2883.50
Alfenas, MG2983.47
São Roque, SP3083.25
Cruzeiro, SP3183.24
Ijuí, RS3282.90
Esteio, RS3382.67
Ibitinga, SP3482.48
Montenegro, RS3582.02
Itajubá, MG3681.09
Francisco Beltrão, PR3780.83
Cianorte, PR3880.80
Andradina, SP3980.74
Farroupilha, RS4080.72

Envie seu comentário

Comentários (0)

Ataque de pit bull deixa mulher gravemente ferida em Nova Esperança

O cachorro da raça pit bull só soltou a mulher depois que um idoso pegou um pedaço de pau e bateu na cabeça do animal

A vítima de aproximadamente 50 anos ficou gravemente ferida com o ataque do pit bull (Foto: Reprodução/Whatsapp)

A vítima de aproximadamente 50 anos ficou gravemente ferida com o ataque do pit bull (Foto: Reprodução/Whatsapp)

A vítima de aproximadamente 50 anos ficou gravemente ferida com o ataque do pit bull (Foto: Reprodução/Whatsapp)
O pit bull só soltou a mulher depois que um idoso pegou um pedaço de pau e bateu na cabeça do animal (Foto: Reprodução/Whatsapp)

*Com informações do repórter Fábio Guillen, da RICTV Maringá

Uma mulher de aproximadamente 50 anos ficou gravemente ferida ao ser atacada por um cão da raça pit bull, na tarde dessa segunda-feira (8), em Nova Esperança, cidade próxima a Maringá, no noroeste do Paraná.

Segundo testemunhas, o cachorro escapou da residência e atacou a vítima, que estava passando na rua. A mulher foi rapidamente dominada pelo animal, que mordeu o pescoço dela.

Moradores fizeram várias tentativas de separar o pit bull da vítima, inclusive com uma mangueira de água. Mas o cão só soltou a mulher quando um idoso o atingiu com um pedaço de pau. Segundo relatos, foram dadas pelo menos 30 pauladas no animal.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender a mulher, que teve várias perfurações pelo corpo, além de um grande corte na cabeça e uma laceração no maxilar.

O Siate necessitou de apoio de um helicóptero do serviço aeromédico de Maringá. A vítima foi encaminhada ao Hospital Universitário de Maringá. Ela permanece internada, nesta terça-feira (9), em estado grave.

O dono do cachorro foi encontrado e disse que vai prestar todo o apoio necessário à vítima. Segundo apuração da RICTV Maringá, o animal foi doado a uma organização não-governamental.  

Veja também
Vídeo mostra mulher e cachorro sendo atacados por rottweilers em Curitiba
Criança é atacada por pitbull em Maringá

Envie seu comentário

Comentários (0)