Curitiba

Câmeras da PRF registram acidente fatal na BR-277, em Cascavel

O motorista do carro, de 34 anos, teve ferimentos leves, e o passageiro, de 57 anos, morreu no local; o caminhão era dirigido por um motorista paraguaio

O acidente aconteceu no semáforo do trevo Cataratas, na BR-277, em Cascavel (Foto: Reprodução PRF)

As câmeras de segurança da Polícia Rodoviária Federal registraram um acidente fatal na BR-277, em Cascavel, na tarde deste sábado (17). Nas imagens, é possível ver o momento em que um Fiat Strada, com placas de Rebouças (PR), para no semáforo do trevo Cataratas, quando um caminhão, com placas do Paraguai, não consegue parar e colide na traseira do automóvel.

Com o impacto, o carro foi prensado no caminhão que estava à frente. O motorista do Strada, de 34 anos, teve ferimentos leves e o passageiro, de 57 anos, morreu no local.

O caminhão era conduzido por um homem de 24 anos, natural do Paraguai. Ele foi submetido ao teste de etilômetro e o resultado deu negativo. O homem foi encaminhado para a delegacia da Polícia Civil para prestar esclarecimentos.  

Assista ao exato momento em que o caminhão bate na traseira do carro:

Veja também
Grave acidente interdita o Contorno Norte por mais de uma hora; veja fotos
Mãe e filha morrem em acidente no oeste do Paraná

Envie seu comentário

Comentários (0)

Criança fica ferida em acidente provocado por motorista embriagado

Motorista estava sem carteira de motorista e tentou deixar o local antes da chegada da Polícia Militar

Acidente aconteceu na Avenida Manoel Ribas (Foto: Marcelo Borges/RICTV Curitiba)

Dois veículos se envolveram em um acidente de trânsito na noite desta sexta-feira (16) na Avenida Manoel Ribas, bairro Vista Alegre, em Curitiba. O mostorista de um Fiat Oggi fez o texto do bafômetro que apontou embriaguez ao volante. Para piorar, ele também não tinha carteira de habilitação.

Um menino de oito anos, que estava outro carro, sofreu um corte profundo na cabeça e foi encaminhado para o Hospital do Trabalhador. Ele não corria risco.

O motorista embriagado, que estava com outras quatro pessoas dentro do carro, tentou fugir do local caminhando, mas foi detido pela Guarda Municipal até a chegada do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran).

A mãe da criança ferida queria agredir o rapaz e precisou ser contida pela polícia.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Mulher dada como morta sobrevive a susto e ganha "segunda chance"

Vizinha tentou ajudar a aposentada, mas a mulher desmaiou; ela inclusive cobriu o corpo da amiga com um lençol

Rita tem certeza que recebeu uma segunda chance (Foto: Reprodução/RICTV)

*Com informações da repórter Helen Anacleto, da RICTV Curitiba

A aposentada Rita Fagundes, moradora de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, foi dada como morta pela vizinha, mas afirma que ganhou de Deus uma segunda chance. O caso aconteceu há uma semana, na casa da vizinha, dona Dete.

Rita estava com falta de ar e foi até a vizinha para pedir ajuda. “Ela chegou aqui bastante pálida e dizendo que estava passando mal. Eu dei vinagre pra ela cheirar. Mas quando ela se levantou da cadeira, escorregou em uma goteira, bateu a cabeça e desmaiou”, conta dona Dete.

A vizinha, que também é aposentada, conta que tentou acordar a amiga, mas ela não respondia. Então ela sentiu que o corpo dela estava gelado e imaginou que Rita estivesse morta. “Eu liguei para a polícia desesperada e cobri o corpo dela com um lençol. Pra mim ela tinha morrido”, relembra a mulher.

A Polícia Militar chegou em poucos minutos. “Quando nós chegamos, ela disse que a vizinha estava em óbito. O corpo realmente já estava coberto da cabeça aos pés, mas ao chegar o pulso, vimos que ainda tinha batimentos”, relatou o soldado Kayke Chorner.

Os militares chamaram o Samu, e começaram a fazer massagem cardíaca e respiração boca a boca até a chegada do socorro. Rita recobrou a consciência e foi levada para um hospital. Segundo os policiais, ela ficou inconsciente durante pouco mais de 10 minutos.

Nesta quinta-feira (15), os policiais voltaram a casa de Rita e ela agradeceu pelo empenho dos militares em salvá-la.

Religiosa, Rita afirma que Deus lhe deu uma segunda chance. “Eu tenho certeza que ganhei uma segunda chance. Eu devo ter uma missão nesta vida e ela ainda não acabou”, afirmou.

 

Veja também:

Cão herói salva bebê que foi enterrado vivo no meio do mato

Envie seu comentário

Comentários (0)