Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Por Jorge Jubrail

A vida é uma festa para brilharmos e nos divertirmos.

"Estamos na Terra de passagem, vivendo uma festa com ou sem brilho, divertida ou monótona, depende de nós. A transformação e o progresso espiritual são necessários para aumentemos a intensidade da nossa centelha divina no final de nossa jornada; portanto, sejamos mais fraternos e solidários."

Autor: Jorge Jubrail
Banco de Imagens Pixabay.jpg
Banco de Imagens Pixabay.jpg

A vida tem um único sentido, para frente, rumo ao progresso espiritual. Não adianta olharmos para trás, não voltaremos lá, virou passado e não poderemos muda-lo. Ninguém consegue regredir, voltar pelo caminho e desfazer os progressos que tenha feito, podemos até reviver as situações adversas novamente, mas, estaríamos apenas estacionando nos mesmos erros cometidos.

No caminho que temos que seguir, jamais deveremos usar pessoas como escora ou degrau para atingirmos nosso objetivo. Precisamos caminhar juntos, com o mesmo propósito, de forma fraterna e solidária. Olhemos para o próximo com carinho e compaixão, para estendermos a mão e ajuda-lo, jamais prejudica-lo.

A luz que avistamos ao final do túnel, somos nós mesmos, nossa centelha refletida e reencontrada. A intensidade do brilho que avistamos dependerá apenas de nós. Estamos aqui de passagem para brilhar, não da forma como imaginamos, acumulando posses e poder, mas, da forma como praticarmos o bem, vivendo em comunhão com toda a criação e de acordo com as leis do Pai, principalmente, a lei da causa e efeito.

Particularmente, meu provérbio preferido vem de um povo ancestral e simples, que ainda habita a Terra, os aborígenes, que dizem: - Somos todos visitantes deste tempo, deste lugar. Estamos só de passagem. O nosso objetivo é observar, crescer e amar. Depois vamos para casa. – Para refletirmos.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook
Leia também:

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail