Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Por Jorge Jubrail

Jorge Jubrail: Quebrando o paradigma da mesmice

"Depende apenas de nós, com pequenas atitudes, transformar o mundo num lugar mais agradável e harmonioso para vivermos", segundo Jorge Jubrail

Autor: Jorge Jubrail
Jorge Jubrail é o mais novo colunista do RIC Mais (Foto: Divulgação)
Jorge Jubrail é o mais novo colunista do RIC Mais (Foto: Divulgação)

Quando todos estiverem procurando apontar culpados, procuremos a razão.

Quando todos desejarem falar mais, ouçamos e observemos mais.

Quando todos desejarem ter para si próprio toda a gloria e a fama, compartilhemos a gloria e a fama com todos.

Quando todos desejarem serem superiores, desejemos ser iguais a todos, aos superiores e aos inferiores.

Fomos criados para fazermos parte de um sistema sócio econômico que busca o crescimento e o progresso contínuo, que não admite erros, que destaca apenas os que se sobressaem. Então, criamos alguns péssimos hábitos, como diminuir nossa parcela de culpa ou mesmo nos isentarmos dela, procurando culpados e não as razões para entender o que deu errado e coletivamente tentarmos corrigir. Como se nunca pudéssemos ter uma nova chance de refazer de forma justa e perfeita o que deu errado, porque os culpados sempre são execrados.

Vivemos numa necessidade constante de falar em qualquer ocasião, quando deveríamos mais observar e ouvir, seguindo a dica dada pela natureza, que nos concebeu com olhos e ouvidos em maior número do que a boca. Como disse o poeta grego Eurípedes: - Fala se tens palavras mais fortes do que o silêncio, ou então guarda silêncio.

Fama e glória compartilhadas com a equipe motiva todos a continuarem unidos, mantendo a sinergia para os próximos desafios. Quando formos líderes, que não sejamos aqueles que querem apenas para si os louros da vitória, os que praticam o velho discurso do "eu ganho, nós empatamos e vocês perdem".

Precisamos tratar todas as pessoas da mesma forma, respeitando a dignidade, o credo ,a  raça, o gênero, enfim, toda a diversidade existente, mas, principalmente, dar importância ao trabalho executado individualmente e sua contribuição para o êxito do conjunto da obra, elevando assim a autoestima e o entusiasmo de todos.

Sendo varredores de ruas, pensemos que, em verdade, somos aquele que contribui para fazer uma cidade mais bonita e melhor para se viver, ainda que não sejamos governantes e legisladores, seremos  os trabalhadores que, verdadeiramente, fazem acontecer. Portanto, independente do que façamos, que seja de alma, com entrega e entusiasmo.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook
Leia também:

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail