Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Por Jorge Jubrail

Não dependemos de ninguém, apenas de nós mesmos para vivermos em equilíbrio

"Independente das adversidades, de todo o mal causado, acreditemos sempre que poderemos seguir nossa vida adiante, desde que não alimentemos sentimentos que nos unam pelo ranço. Não temos o direito de interferir de forma negativa na vida de ninguém, muito menos nos deixarmos influenciar negativamente pelas pessoas."

Autor: Jorge Jubrail
Banco de Imagens Pixabay.jpg
Banco de Imagens Pixabay.jpg

Quando entendermos que somos únicos e originais, deixaremos de ser como peças moldadas pela sociedade apenas para fazer parte do tabuleiro do jogo da vida. Todos nós carregamos energia e vitalidade dentro de nós, mas, por muitas vezes nos esquecemos e ficamos com baixa autoestima, nos sentindo incapazes de mudar o curso de nossa vida.

Nosso bem mais importante é a vida, precisamos valorizá-la e usufruir de nosso tempo com mais maturidade e equilíbrio. Diante das adversidades que surgem, das situações ruins causadas por outras pessoas, precisamos ponderar se queremos seguir em liberdade ou apenas sobrevivermos aprisionados à alguém, sob o sentimento de ódio ou vingança que alimentamos desnecessariamente.

Muitos de nós perdemos o gosto, o sentido pela vida, por não enxergarmos que a luz e a energia estão dentro de nós, insistimos em buscar fora o reencontro com o Divino, muitas vezes, por meio de intermediários, porém, não precisamos deles, basta mergulharmos em nosso íntimo para nos reconhecermos nossa centelha divina.

Necessitamos valorizar o momento presente e, se alguém está nos causando algum mal, perdoemos e nos desapeguemos. Apesar que, muitas vezes, possa parecer difícil o desapego, é reconfortante e prazeroso seguirmos adiante sem nenhum ranço que nos ligue às pessoas que nos prejudicaram de alguma maneira, não precisamos fazer o mesmo, tiremos lições para reconstruirmos nossas vidas.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 4,8

  • Comentário via facebook
Leia também:

Comunidade

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail