Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

POR GUILHERME OSINSKI

'Invasão' é mais uma hora da verdade para Lilly Caul em The Walking Dead

Invasão é altamente recomendado para quem gosta de uma boa trama entre o lado bom e o lado ruim de uma história

Autor: Guilherme Osinski
Os zumbis não vão deixar Lilly Caul em paz (Foto - Ana Bubola)
Os zumbis não vão deixar Lilly Caul em paz (Foto - Ana Bubola)

Em Declínio, Lilly Caul pensou que sabia do que o Reverendo Jeremiah Garlitz era capaz. Porém, ela ainda não tinha visto o pior lado dele. E é exatamente isso que o sexto livro da série literária de The Walking Dead, Invasão - Jay Bonansinga, Galera Record, 2015-, nos traz. Uma batalha mortal entre dois grupos de sobreviventes, na qual ninguém sai ganhando.

No fim de Declínio, Lilly, Bob Stookey e todo o restante do grupo encontram túneis subterrâneos, já que, por um motivo que não posso revelar, Woodbury está inabitável momentaneamente. O túnel não é o ideal em termos de conforto, mas no quesito segurança parece impenetrável, a não ser é claro, que o inimigo, seja ele um zumbi ou um humano, já esteja lá dentro. 

Enquanto isso, um frustrado Jeremiah Garlitz ronda pelos arredores de Woodbury, arquitetando seu plano de vingança. Com uma oratória capaz de persuadir multidões, ele encontra uma caravana, e começa a espalhar uma imagem totalmente equivocada da personagem principal da série, Lilly Caul. 

Aqui, vemos que os zumbis podem muito bem ter alguma utilidade aos humanos, e o Reverendo Jeremiah percebe que é possível usá-los como aliados nessa guerra. A questão é: será que ninguém na caravana vai perceber as verdadeiras intenções do Reverendo? 

Mais uma vez, Lilly Caul precisa tomar providências. Com certeza a personagem mais sofrida dessa série (perdeu inclusive três namorados ao longo dos livros), Lilly é uma pessoa fácil de criar um vínculo com o leitor. É incrível como em meio a tanta tristeza, sofrimento e injustiça, ela encontra forças para seguir em pé e bater de frente com aqueles que ameaçam a segurança e integridade dos membros de seu grupo. 

Os vilões da série também são dignos de elogios. É impressionante como Jay Bonansinga criou um Jeremiah Garlitz totalmente diferente do Governador. Ambos têm um discurso que pode enganar seus seguidores, mas o primeiro é um tanto quanto avesso às armas de fogo. 

Por outro lado, o Governador já era mais direto, e não precisava tanto do apoio dos outros para executar seus planos. Era um vilão impulsivo, enquanto Jeremiah, por mais contraditório que seja, é um vilão “agregador”, que precisa de seus fiéis para levar em frente suas ações. 

E isso é o legal de Invasão. Garlitz faz de Lilly Caul a heroína que ela nunca quis ser em The Walking Dead, mas ela é simplesmente tudo que seu povo precisa. Alguém forte, que por maiores que sejam seus medos nunca desiste.

Invasão é altamente recomendado para quem gosta de uma boa trama entre o lado bom e o lado ruim de uma história e um livro que molda o caráter de Lilly Caul para a sequência, e penúltimo volume da série, Busca e Destruição, o tema da próxima semana. 

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook
Leia também:

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail