Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Por Denian Couto

Esquenta disputa ao Palácio Iguaçu

Denian Couto comenta posicionamento dos candidatos ao governo do Paraná

Autor: Denian Couto
Corrida eleitoral está cada vez mais acirrada (Foto: Wikipédia)
Corrida eleitoral está cada vez mais acirrada (Foto: Wikipédia)

Firme e forte

Apesar da sórdida tentativa do PSL de derrubar a candidatura própria ao Palácio Iguaçu, Ogier Buchi resiste bravamente. Em entrevista coletiva essa manhã, o candidato disse que vai até o fim. O deputado federal Fernando Francischini, que comanda a sigla no Estado, tem evitado comentar o assunto, mas nega que a ação seja coisa dele e atribui a medida ao comando nacional da legenda. O motivo seria a intenção do presidenciável Jair Bolsonaro de apoiar Ratinho Junior na disputa local.

Nem aí

Ratinho Junior (PSD), entretanto, reiterou hoje, em entrevista à rádio Jovem Pan, que está com Alvaro Dias (Podemos) e não abre.

No alvo

Na mesma sabatina, Ratinho Junior mostrou ter na ponta da língua a resposta sobre de onde tirará dinheiro para custear os projetos e promessas de campanha, entre elas a de dar três merendas escolares por turno aos alunos da rede estadual, além de implantar um programa de intercâmbio de estudantes e professores com países do exterior: "Nós vamos acabar com as mordomias do Estado. Não é possível manter chácara, ilha para governador, jatinho alugado. Eu vou acabar com todas elas".

Em tempo: o discurso, de implementação de média complexidade, é música para os ouvidos de quem está na tampa com o pagamento de privilégios aos governantes.

Afiada

A governadora Cida Borghetti (PP) rebate de pronto qualquer insinuação de que o marido, o deputado federal Ricardo Barros, seria o “governador de fato” em caso de reeleição em outubro. “Fui deputada estadual, federal, vice-governadora e agora governadora e ele nunca sentou na minha cadeira e jamais sentará”. E completa: “Isso, além de tudo, é um ataque machista”. E ela tem razão.

Fiasco

O PT saiu pela tangente e ainda não deu uma explicação consistente sobre a denúncia de que o partido remunera em R$ 1500,00 militantes virtuais para falarem bem de candidatos da legenda. Entre os beneficiários aparece o nome da senadora Gleisi Hoffmann. Não tem nada tão ruim que não possa piorar.

Drummond revisitado

Ogier amava Bolsonaro que amava Ratinho que amava Alvaro que não amava ninguém. Ogier avisou que não desistirá. Bolsonaro segue rejeitado por Ratinho que reitera o apoio a Alvaro. Francischini, que tenta não ser parte da história, jura que não obedece ao seu rei. Fim.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 0,0

  • Comentário via facebook
Leia também:

Por Jorge Jubrail

Lei 8666 precisa ser revista

Por Jorge Jubrail