Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Por Guilherme Osinski

Drama e sangue tomam conta de 'A Queda do Governador - Parte Dois'

História do Governador ganha contornos épicos e um desfecho que eleva Lilly Caul ao trono de Woodbury

Autor: Guilherme Osinski
Cenário destruído para Lilly Caul (Foto: Ana Bubola)
Cenário destruído para Lilly Caul (Foto: Ana Bubola)

A Queda do Governador – Parte Dois. Quando terminei esse livro, precisei de um tempo para refletir e ver se tinha compreendido tudo que tinha acontecido nas 306 páginas do quarto volume da série literária de The Walking Dead.

Aqui, os acontecimentos são muito parecidos com os da terceira temporada da série da TV. O motivo? Deixamos a primeira orelha do livro explicar (com um pequeno, mas bem pequeno, spoiler) : “Philip Blake irá até o inferno se for preciso para acabar com todos os habitantes da prisão, principalmente aquela que quase o destruiu”.

É isso mesmo. Ao final do terceiro livro, o Governador parecia derrotado e fora de combate, mas se tem uma coisa que essa série me ensinou, é não duvidar de Philip Blake. Agora, Rick, Michonne e companhia serão testados até o limite por um homem cujo objetivo é muito claro: matar todos que não estão ao seu lado.

O livro é recheado de ação, principalmente pela tática ofensiva de Philip Blake, e pela valentia de Rick e de seu grupo. É muito bom também ver Lilly Caul de volta ao núcleo central da história. Mais interessante ainda é ver os dilemas e desilusões que essa personagem enfrenta em A Queda do Governador – Parte Dois. Ela faz coisas horríveis, mas por incrível que pareça não consigo não gostar dela. Talvez pelo simples fato de que Lilly é uma pessoa que toma muitas decisões baseada em suas emoções, como muitos de nós.

Como já é costume nessa série, mais uma vez a parte final do livro traz grandes momentos de virada entre os personagens, principalmente Lilly e o Governador. Temos também mortes importantes do lado do grupo de Rick Grimes, mas quem gosta de The Walking Dead não pode ficar chocado com isso, já que os tempos são outros e há muito tempo que a civilidade não é mais algo rotineiro entre os sobreviventes do apocalipse zumbi.

Por incrível que pareça, a Parte 2 é ainda mais violenta que a parte 1, com cenas impactantes e muito bem descritas, capazes de nos colocar dentro da ação. Acredito que o fato do livro precisar encontrar um desfecho para a história do Governador contribuiu para isso, já que era hora de todos os envolvidos na trama usarem suas cartadas finais para encerrar um capítulo e seguir em frente.

Para quem se apaixonou por The Walking Dead por causa da série da Televisão, A Queda do Governador – Parte Dois vale muito a pena, pois conta a mesma história da luta entre o povo da prisão e o povo de Woodbury, e de Rick contra o Governador, de maneira diferente. A essência é a mesma, os objetivos dos personagens são os mesmos, mas os pontos altos e ápices da trama são outros, até pela diferença física entre esse Governador e o da Televisão, que tem apenas o olho como um dos membros mutilados.

Semana que vem falo mais sobre o quinto livro da série, Declínio, que afirma de uma vez por todas Lilly Caul como a grande protagonista do universo literário de The Walking Dead.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook
Leia também:

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail

Por Jorge Jubrail