Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Esporte no Paraná

Confira todos os títulos nacionais do Futebol Paranaense

Você, torcedor, sabe quais os títulos nacionais de expressão ou não, que seu clube ou seu rival já conquistou no cenário nacional? Hoje vamos falar sobre os títulos importantes que os clubes do Estado do Paraná já conquistaram

Autor: Redação
O último título nacional do Estado foi conquistado pela equipe do Operário, quando goleou a equipe do Globo por 5 a 0 (Foto: Marcelo Montenegro/Reprodução/Operário Rodoviário)
O último título nacional do Estado foi conquistado pela equipe do Operário, quando goleou a equipe do Globo por 5 a 0 (Foto: Marcelo Montenegro/Reprodução/Operário Rodoviário)

Em tempos de Supercopas Européias e decisões nas fases finais da Copa do Brasil, Libertadores e Copa Sulamericana, buscamos nas lembranças ou na história as grandes conquistas do nosso time do coração, por isso falaremos dos títulos conquistados pelos clubes Paranaenses.

O primeiro titulo nacional foi conquistado pelo Coritiba, em 1973, no Torneio do Povo, que teve somente três edições de 1971 a 73. Ele era realizado com os times de maior torcida nos seus Estados. O Coritiba já tinha grandes jogadores como o goleiro Jairo, Hidalgo, Tião Abátia, e Zé Roberto time do técnico Tim  que dominou o futebol paranaense na década de 70 sendo Hexacampeão. Um ano antes em 72, o Coritiba ganhou a chamada “Fita Azul”, que era um titulo simbólico para as equipes Brasileiras que voltassem invictas das excursões realizadas, porém nos anos 70 quem outorgava o título era o jornal “A Gazeta Esportiva” portanto sem reconhecimento da CBD.

O segundo foi a Taça de prata, equivalente a segunda divisão nacional conquistado pelo Londrina em 1980, na final uma goleada de 4x0 no CSA no Estádio do Café, num campeonato que teve 64 participantes. O técnico campeão foi Jair Bala, que teve jogadores de destaque como o Lateral Toninho,Livia Vieira, o veloz Zé Dias, Vanderlei e o atacante Nivaldo. O Londrina tinha uma grande equipe, tanto que no ano seguinte ganhou o Campeonato Paranaense de 81.

Em 1985, tivemos a grande conquista nacional com o título do Coritiba no Maracanã contra o Bangu, após o empate em 1x1. Com gol do atacante índio, o Coxa venceu nos pênaltis, consagrando campeão Brasileiro. Nessa conquista jogos memoráveis contra o Santos (gol do Lela) e a semi final contra o Atlético Mineiro (defesa do goleiro Rafael), no Mineirão lotado, serão eternamentes lembradas pela torcida alviverde. Vale destacar que a equipe do Coritiba era dirigida pelo genial Enio Andrade, técnico na época já bi-campeão com a dupla Grenal. O time tinha jogadores jovens com qualidade como o Lateral Dida, o zagueiro Vavá, o volante Marildo, além dos experientes como os goleiro Rafael, Jairo, o zagueiro Gomes e Marco Aurélio.  Numa equipe que não tinha um craque de destaque o conjunto montado por Enio Andrade, todas as peças foram fundamentais para a conquista: o atacante Índio, Édson, Heraldo, Helcio, Toby, e Lela careta.

Em 1992, tivemos mais uma conquista nacional da série B, dessa vez conquistado de forma brilhante pela forte equipe do Paraná Clube, que dominou o futebol do Estado nos anos 90. Na final, o tricolor venceu o Vitória na antiga Fonte nova com 60 mil pagantes por 1x0 gol do artilheiro Saulo. A equipe comandada pelo gaucho Otácilio Gonçalves, tinha craques como o jovem zagueiro Gralak, um meio campo genial com Adoílson, João Antonio e Serginho e o ataque com Saulo e Maurílio. Embora o campeonato tenha sido uma manobra para o Grêmio rebaixado em 91 subir, por isso subiram 12 equipes e o Paraná fez uma campanha onde sobrou, tecnicamente vencendo o grêmio no Couto Pereira sem dificuldades conquistando seu primeiro titulo nacional.

Em 1995, dez anos após a conquista do Coritiba na série B, o Atlético-PR conquistou seu primeiro titulo nacional na Série B, tendo como vice o próprio rival. Embalada pela reabertura da baixada em 1994, a equipe dirigida pelo famoso técnico Pepe sobrou na competição com apenas 3 derrotas, 5 empates e 20 vitórias. Tinha no elenco grandes destaques como o goleiro Ricardo Pinto, o zagueiro Luiz Eduardo, os volantes Leomar (que chegou a seleção Brasileira) e Alex, João Antonio ex-Paraná e a dupla de ataque que ganhou destaque mundial Paulo Rink e Ózeas. Esse título foi o inicio de uma era vitoriosa e de reestruturação do clube.

Em 1997, o canal SBT realizou um torneio chamado Festival Brasileiro de Futebol com 8 participantes, equipes que não se classificaram para a fase final do campeonato Brasileiro. Naquele ano o torneio foi realizado na cidade de Campo Grande no Mato Grosso do Sul e somente a final entre Coritiba x Botafogo foi realizada no Couto Pereira após o empate em 3x3 o Coritiba venceu nos pênaltis, com festa e invasão da torcida Coxa no gramado. Porém não foi uma competição oficial reconhecida e sim para os clubes não ficarem sem calendário.  Em 1999 o Atlético também ganhou a Seletiva nacional para a Libertadores da América, disputada com 15 equipes pois o Brasil tinha ganho uma vaga a mais da Conmebol, além de segurar o Cruzeiro no Mineirão vale destacar uma goleada de 4x1 sobre o rival no Couto Pereira. Isso valeu a vaga para a Libertadores do ano 2000, mais não é um titulo oficial nacional.

No ano de 2000, por um imbróglio jurídico a CBF não pode realizar o campeonato Brasileiro, sendo então realizado o campeonato Nacional com as 3 divisões se chamando Taça João Havelange, o Paraná conquistou novamente a série B, (modulo amarelo) apesar de ser rebaixado de forma injusta em 1999, a equipe venceu o São Caetano por 3x1 no antigo Parque Antarctica. A equipe era dirigida pelo treinador Geninho, tinha jogadores experientes como o atacante Narcizio, o lateral Gil Baiano e o volante Hélcio já campeão Paranaense com a equipe anteriormente. Além de jovens como o goleiro Marcos, o zagueiro. Nem vindo do São Paulo e o volante Fernando Miguel, os meias Frédson e Lucio Flavio formados na base tricolor. Destaque para a vitória na semi-final por 2x1 contra o Remo num Mangueirão lotado. Nessa mesma competição só que pelo módulo verde e branco equivalente a série C, a terceira divisão a jovem equipe da Capital o Malutron consagrou-se campeão ao vencer na final por 3x2 o Uberlândia jogo disputado na Vila Capanema. Na época, o Malutron foi a primeira equipe S/A, ou seja, uma equipe empresa do futebol brasileiro era dirigida por Amauri Knevitz e tinha jogadores como o meia Tcheco, o lateral Ednelson e o meia Rodrigo Batata todos formados pelo Paraná Clube, Tcheco depois ganhou fama nacional.

Em 2001, foi o ano do Atlético conquistar o Campeonato Brasileiro, após vencer o São Caetano nos dois jogos finais 4x2 na Arena e 1x0 no Anacleto Campanella, a equipe montada por Mario Sérgio e depois dirigida na reta final por Geninho, decidiu a fase final na arena contra Fluminense e São Paulo em jogos inesquecíveis. Jogando no esquema 3-5-2, tinha os zagueiros Gustavo, Nem e Rogério Correia, os alas Fabiano e Alessandro, a equipe tinha dois meias de criação com muita habilidade Adriano Gabiru e o penta campeão Kleberson e um ataque devastador com Alex Mineiro, que marcou em todos os jogos decisivos, o centro avante Kleber Pereira e um reserva que entrava bem Ilan. Após um período conturbado na fase inicial com 4 jogos sem vitórias que culminou com a queda de Mario Sérgio, onde ele disse a frase: “ou o atlético acaba com a noite ou a noite acaba com o atlético”, após a chegada do técnico Geninho a equipe engrenou com vitórias sobre Corinthians e goleadas sobre o Santa Cruz e Ponte Preta por 5x1, e um jogo épico contra o Bahia 6x3 a equipe chegou forte para a reta final.

Após cair para a série B, em 2005 o Coritiba consegue o acesso e em 2007 sendo campeão de uma disputada segunda divisão, tendo como vice a equipe do Ipatinga, comandada pelo experiente técnico Renê Simões. O Coxa venceu na última rodada o Santa Cruz no Arruda por 3x2 com um gol aos 47 do segundo tempo do atacante Henrique Dias. Nessa conquista se destacaram o trio da base o zagueiro Henrique, o meia Pedro Ken e o atacante Keirrison outros jogadores de destaque foram o goleiro Édson Bastos, o meia Caíco e o volante Tulio.

Novamente em 2010, o Coritiba conquista seu Bi-Campeonato da série B, tendo como vice a equipe do Figueirense,  dessa vez após cair no ano do seu centenário de forma lamentável , com invasão de campo o que fez com que a equipe tivesse a maior punição de um clube nacional, mandando boa parte dos  jogos fora de casa todos em Joinvile em SC. Comandada pelo treinador Ney Franco a equipe tinha jogadores rápidos e habilidosos como o meia Marco Aurélio, Rafinha, no meio Léo Gago e Tcheco e o goleiro Édson Bastos que junto com o zagueiro capitão Jeci que tinham subido com a equipe em 2007. O  título veio com uma rodada de antecedência ao empatar com o ICASA por 2x2 em Juazeiro do Norte, o gol do titulo foi marcado aos 42 do segundo tempo pelo angolano Geraldo que foi decisivo e virou talismã da torcida Coxa.

E o último titulo nacional do Estado foi conquistado pela equipe do Operário, o fantasma da Vila Oficinas, que conquistou ano passado, em 2017 a série D, onde goleou a equipe do Globo fora de casa por 5x0, perdeu a final no Germano Kruger por 1x0 mais sagrou-se campeão após vencer o estadual em 2015. A equipe de Ponta Grossa conquistou a Série D , em 16 jogos venceu 11, empatou 1 e apenas 4 derrotas e equipe foi dirigida por Gérson Gusmão e busca a vaga para a série B, disputando a vaga com o tradicional Santa Cruz.

Sérgio Soares (Comentarista do RIC Mais Esportes)

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 4,2

  • Comentário via facebook
Leia também:

Por Jorge Jubrail

Lei 8666 precisa ser revista

Por Jorge Jubrail