Olá
Logout

Temporal provoca alagamentos e desabamentos em Curitiba

Autor: Redação RIC Mais
Estádio Vila Capanema, do Paraná Clube, ficou completamente alagado (Foto: Reprodução)

A forte chuva que caiu durante a tarde desta quarta-feira (14) em Curitiba deixou estragos por toda a cidade. O Corpo de Bombeiros registrou diversos chamados de alagamentos, destelhamentos e até desabamentos.

Um cadeirante na Estrada Guilherme Weigert, no Bairro Santa Cândida, em Curitiba chegou a ligar para o Corpo de Bombeiros informando que o nível de água estava subindo. Ele foi resgatado e passa bem.

No centro da capital, na região da Praça Rui Barbosa, uma pessoa foi arrastada pela correnteza e também foi atendida pelos Bombeiros Ao menos três desabamentos e dois destelhamentos foram registrados, além de 15 chamados relacionados a alagamentos em Curitiba e região metropolitana.

A Defesa Civil registrou 25 ocorrências de alagamentos, concetradas na região centro/norte da cidade. Duas quedas de árvore aconteceram, uma no Cabral e outra no Boqueirão. Na esquina da Avenida Visconde de Guarapuava com a Rua Desembergador Westphalen, no Centro, foi registrado um afundamento de asfalto. Segundo a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, as principais ocorrências relatadas são desabamento de muros, quedas de árvores e destelhamentos.

Em Curitiba, os bairros mais afetados foram Bom Retiro, Pilarzinho, Mercês, Vista Alegre, Atuba, Centro, Alto da XV, Hugo Lange, Tingui, Bairro Alto e Bacacheri.

Registro no bairro Bacacheri (Foto: Aleixas Villa)

De acordo com balanço divulgado pela Prefeitura de Curitiba às 20h30, 40 ruas foram alagadas, sete quedas de árvores e 17 acionamentos para verificação de risco em estruturas.

Região Metropolitana

No Município de Colombo foram registradas ocorrências de alagamentos nos bairros do Rio verde, Maracanã, Jardim Adriana, Arruda, Campo Pequeno, Jardim Monte Castelo, Jardim São Domingos. Houve destelhamentos no São Dimas. Em Almirante Tamandaré os alagamentos aconteceram no Jardim Gramado e desabamento no Jardim Monte Santo. 

Simepar

De acordo com o Simepar, a chuva acumulada na capital alcançou os 63 milímetros até às 17h30. 

A média histórica de chuvas no mês de março é 130 milímetros e neste ano o número já foi ultrapassado, com possibilidade aumentar ainda mais. Há relatos de alagamentos no Boa Vista, Mercês, Alto da XV, Pilarzinho e Bom Retiro. 

Trânsito

A Secretaria Municipal de Trânsito registrou pontos de alagamento na Rua Visconde de Nácar, no cruzamento com as ruas Fernando Moreira e Cruz Machado, e na Alameda Dr. Carlos de Carvalho esquina com a Rua Visconde de Nácar. Assista ao vídeo:

Universidade

O bloco de direito do Unibrasil Centro Universitário (UniBrasil) ficou totalmente alagado depois das fortes chuvas. O estacionamento também foi afetado. Confira imagens gravadas por alunos:

De acordo com nota, apesar da gravidade apresentada no vídeo, as aulas continuam normalmente. "UniBrasil informa que apenas o térreo do bloco 06 foi atingido pelo alagamento do rio que passa nos fundos da Instituição, por conta da forte chuva que caiu em Curitiba na tarde de hoje (14). A equipe de manutenção já está trabalhando para solucionar os danos causados e as aulas continuam normalmente nos outros cinco blocos da Instituição."

Vila Capanema

O gramado do estádio Durival de Britto e Silva, mais conhecido como Vila Capanema, ficou submerso pela água. O lado de fora, próximo a bilheteria do Paraná Clube, também está totalmente alagado. Segundo assessoria de imprensa, nenhum dano foi encontrado, apenas sujeira. Confira:

Escolas 

A Secretaria Municipal da Educação (SME) mobilizou as equipes de limpeza locais e o serviço de limpeza nas unidades atingidas. Nenhuma escola foi fechada devido à chuva, os danos foram pontuais e as crianças foram realocadas para outros espaços dentro das mesmas unidades. No Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Carlos Alberto de Oliveira, no Guaíra, um raio atingiu a central de alarme e a unidade ficou temporariamente sem energia, mas a situação já foi normalizada. Na Escola Municipal Professor Brandão, no Alto da Glória, entrou água pelas calhas mas a chuva não comprometeu o atendimento dos estudantes. O mesmo ocorreu na Escola Municipal Batel, na região central.

Fundação de Ação Social (FAS)

As fortes chuvas provocaram alagamentos em seis unidades da Fundação de Ação Social (FAS), três delas que prestam atendimento e acolhimento a pessoas em situação de rua, localizadas na Regional Matriz; e uma que oferece acolhimento a adolescentes, na Regional Boa Vista.  As unidades atingidas são a Casa de Passagem Jardim Botânico, que teve também o guarda-pertences, afetado pelas águas, mas manterá o atendimento nesta noite; o Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro POP) João Dorvalino Borba, que não oferece serviços noturnos; a unidade Mais Viver, que atende 50 homens e mulheres em situação de risco pessoal ou social e a unidade de acolhimento Nova Esperança, que atende 20 meninas. Os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) Cachoeira e Pilarzinho, ambos na Regional Boa Vista, também ficaram alagados. Apesar dos transtornos, não foi preciso fazer a remoção dos usuários das unidades de acolhimento. O Disque-solidariedade encaminhará colchões e cobertores para atendimentos às pessoas acolhidas. Na Regional Boa Vista, uma família ficou com a casa ilhada na Rua Santa Anastácia, mas se negou a sair do local. Equipes da FAS, em alerta, visitaram os pontos mais afetados pelos alagamentos e orientaram as famílias.

Leia também:

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 0,0

Política de
comentários

comentários

Leia também:

TEMPO

Alerta

63 milímetros

Carregando