Olá {{nome}}
Logout

3 X 1

Santos é derrotado pelo Atlético (MG) com dois de Ricardo Oliveira

Ex-atacante santista foi um dos destaques do time mineiro e marcou duas vezes em jogo que colocou o Santos mais perto da zona de rebaixamento

Autor: R7
Chará, do Atlético, melhorou na etapa final. (Foto: Agência Estado/Giazi Cavalcante/12-08-18)
Chará, do Atlético, melhorou na etapa final. (Foto: Agência Estado/Giazi Cavalcante/12-08-18)

O Santos foi derrotado neste domingo, por 3 a 1, pelo Atlético (MG), no Estádio Independência, em Belo Horizonte, e ficou perto de entrar novamente na zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

O ex-santista Ricardo Oliveira fez dois gols e, ao lado de Elias, foi um dos destaques do jogo, em uma manhã quente e diante de um público de 22 mil pessoas.

A equipe santista ocupa a 16ª posição e depende de uma derrota da Chapecoense para o Corinthians para se manter fora da zona de rebaixamento.

O Santos até que teve uma boa atuação mas, mesmo ofensiva, faltou maior poder de finalização à equipe.

Agora comandado por Cuca, em sua terceira partida, o Santos continua sem vencer, desde o recomeço das competições após a Copa do Mundo.

Já o Atlético, que voltou a vencer em casa, chegou à quarta colocação no momento, com 30 pontos. O time mineiro melhorou no segundo tempo, mas teve uma atuação apenas regular.

O Atlético começou pressionando, com os volantes buscando anular as ações do meia santista Jean Mota. A ideia do técnico Thiago Larghi parecia ser a de aproveitar o maior número de jogadores no meio-campo para se impor sobre o adversário.

Desta maneira, com o volante Elias avançando como meia, o time mineiro abriu o placar, aos 6 minutos. Pressionado, o Santos perdeu uma disputa na intermediária, Tomás Andrade recebeu pela esquerda e acionou Elias, que chutou rasteiro da entrada da área, fazendo 1 a 0 para o Atlético.

Mas o gol não abalou o Santos. E o que parecia uma desvantagem numérica no meio se tornou uma vantagem com a boa movimentação dos atacantes. Bruno Henrique recuava para atrair a marcação e avançava para a esquerda com rapidez.

E Rodrygo, extremamente habilidoso, atraía a marcação do meio, para ajudar o jovem e ofensivo lateral Hulk a dar conta do santista. Mas ele não se intimidava e fazia suas costumeiras jogadas pela ponta, avançando em zigue-zague para a área.

Desta maneira Rodrygo criou a jogada do gol, entrando em velocidade, com dribles, pela direita, e tocando para Bruno Henrique que, do outro lado da área, encontrou Gabigol, tocando para o atacante finalizar: 1 a 1, em um gol com a participação de todo o ataque.

O Atlético, então, tentou avançar novamente. E aos 42, Elias acionou Ricardo Oliveira que, em linda cabeçada, acertou o travessão, após desvio de Vanderlei.

Mas o Santos respondia com chutes de longa distância e uma boa saída de jogo do jovem volante Diego Pituca, habilidoso com a perna esquerda. Prendendo mais a bola, o Santos teve mais posse e finalizações nesta etapa, chutando 5 vezes ao gol, contra 4 do time da casa.

Melhora atleticana no segundo tempo

Percebendo a desvantagem no meio, no intervalo o técnico Thiago Larghi substituiu Tomás Andrade por Cazares, tentando dar mais agressividade ao meio. Elias continuava a atuar perto da área. Aos 2, tocou para Ricardo Oliveira chutar, pressionado por Lucas Veríssimo, para fora.

O Atlético (MG) pressionava e o Santos buscava os contra-ataques. Aos 11, Hulk, sozinho, errou o passe e Rodrygo disparou para a área, finalizando nas mãos de Victor. Mas foi a única vez que o Santos ameaçou nesta etapa.

Larghi atendeu ao pedido da torcida e colocou Luan, que vinha de contusão. E o time ganhou mais poder ofensivo, impedindo o Santos de continuar tocando a bola com os hábeis Diego Pituca e Jean Mota, este substituído por Leo Citadini.

O time da casa passou a ameaçar mais. Aos 22, Chará finalmente apareceu, tocou para Ricardo Oliveira que devolveu para o equatoriano chutar para fora.

E aos 25, Chará acionou Cazares em contra-ataque. Este dribla pela esquerda e cruza para Ricardo Oliveira, se antecipando, cabecear livre e com perfeição, fazendo 2 a 1.

O gol deixou evidente que, apesar da presença de Gabigol, um bom jogador, faltava ao Santos um centroavante mais fixo e finalizador.

Por isso Cuca colocou o jovem Yuri Alberto aos 31 minutos, no lugar do volante Alison. Em um 4-2-4, o Santos se arriscou para tentar o empate. E não conseguiu. Ricardo Oliveira, nos acréscimos, recebeu de Luan e tocou na saída do goleiro para fazer o terceiro gol de sua equipe.

Na próxima rodada o Santos recebe o Sport, sábado (18), às 16h na Vila Belmiro. Na quarta-feira (15), às 19h30, enfrenta o Cruzeiro, também em Belo Horizonte, pela partida de volta das quartas da Copa do Brasil. Já o Atlético (MG), pelo Brasileiro, enfrenta o Botafogo no domingo (19), às 16h, no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO (MG) 3 x 1 SANTOS

Local e data: Estádio Independência, Belo Horizonte, domingo (12), 11h

Árbitro: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC)

Assistentes: Thiaggo Americano Labes (SC) e Helton Nunes (SC)

Gols: Elias, aos 6, Gabigol, aos 26 do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 25 e aos 49 do segundo

Cartão amarelo: Elias (43 do 1T) e Iago Maidana (27 do 2T)

ATLÉTICO (MG) - Victor; Emerson, Leonardo Silva, Iago Maidana e Hulk; Jose Welison, Elias, Nathan (Luan) e Tomás Andrade (Cazares); Chalá e Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi.

SANTOS -  Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Lucas Veríssimo e Dodô; Alison (Yuri Alberto), Diego Pituca e Jean Mota (Leo Citadini); Rodrygo, Gabrigol e Bruno Henrique (Copete). Técnico: Cuca.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 0,0

Política de
comentários

comentários