Olá {{nome}}
Logout
Ao vivo:
Próximo

Em Curitiba

Cachorro de rua vai para festa rave e é adotado por mais de 30 pessoas

Ele já morou na rua, passou fome e maus-tratos, mas um dia a vida sorriu para o cachorrinho abandonado; conheça a história do Emílio

Autor: Redação RIC Mais
O cachorro conquistou todos os funcionários do centro de eventos. (Foto: Reprodução/RICTV)
O cachorro conquistou todos os funcionários do centro de eventos. (Foto: Reprodução/RICTV)

Emílio já morou na rua, passou fome e maus-tratos, mas um dia a vida sorriu para ele e, finalmente, o cachorrinho abandonado ganhou todo amor e carinho que merecia. Tudo começou na noite em que ele resolveu ‘frequentar’ uma rave em Curitiba e acabou adotado por todos os produtos de eventos  que trabalhavam na festa, ou seja, mais de 30 pessoas.

Bruna Wladyk, uma das funcionárias do espaço de eventos, contou que Emília apareceu no dia da inauguração do local e que agora já faz parte da família. “Foi na primeira festa, na festa de lançamento o Emílio apareceu. Pós-evento, ele estava por aqui, a gente viu ele. Claro que aqui tem muitos moradores, então, a gente ficou meio assim, ‘pode ser que ele fugiu e tem alguém procurando’, ‘vamos ver pela Internet’. Passou um dia e meio mais ou menos e nada”, explicou à equipe da RICTV Curitiba | Record PR.

Aos poucos ele foi conquistando seu lugar, ganhou um nome em homenagem ao primeiro dono do local que já foi uma fábrica de açúcar, uma casinha ao lado da administração e assim já se passaram quase dois anos.

Agora, Emílio tem todo o carinho que merece. (Foto: Reprodução/RICTV)

Conforme os cuidadores do animal, curiosamente, Emílio tem hábitos noturnos e prefere dormir durante o dia para ficar de olho nas festas que acontecem durante a noite. “Durante a semana, quando tem pessoal trabalhando ele fica aqui. Algumas exceções, quando tem eventos maiores, a gente prefere deixar ele em um hotel de cachorro para não estressar tanto ele”, explicou Bruna.

A produtora de eventos também afirmou que se depender de todos, o Emílio vai ficar por ali por muito tempo. “O Emílio ninguém tira mais, é o xodó, muito mimado. Até, às vezes, a gente fala não deem muita comida para ele, muito petisco”, finalizou a produtora.

Assista à reportagem completa:

Taís Santana, repórter da RICTV Curitiba, conta a história do Emílio.

O que achou desta matéria

  1. Péssima
  2. Ruim
  3. Regular
  4. Boa
  5. Excelente

Média dos leitores 5,0

  • Comentário via facebook