Curitiba

HSBC é condenado a pagar R$ 67,5 milhões por espionar empregados

O banco HSBC foi condenado pela 8ª Vara do Trabalho de Curitiba a pagar uma indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 67.500.000,00. A denúncia, feita pelo Ministério Público do Trabalho do Paraná (MPT-PR) em 2012, apontou que a organização monitorava 152 funcionários que estavam afastados dos cargos por motivos de saúde.

A instituição bancária contratou o Centro de Inteligência Empresarial (CIE), que realizava a espionagem dos colaborados afastados e seguia os trabalhadores pela cidade, usando disfarces para abordá-los e até para entrar nas residências dos trabalhadores.

No dossiê, constavam informações como horários de saída e volta para a residência, local e destino, meio de transporte usado, descrição do vestuário, hábitos de consumo, família e antecedentes criminais. Doze testemunhas confirmaram ao MPT-PR dados sobre suas rotinas expostos nos dossiês, mas informaram não saber da existência da espionagem.

Além da indenização, o juiz Felipe Calvet, da 8ª Vara do Trabalho, também condenou o banco a não realizar outras investigações particulares ou qualquer ato que viole a intimidade ou a vida privada dos funcionários, caso isto aconteça, a pena de multa para o caso é de R$ 1 milhão por empregado investigado. A decisão proferida foi em primeiro grau e cabe recurso.

A reportagem tentou contato com a assessoria do HSBC mas não obteve nenhuma resposta.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Denarc apreende entorpecentes durante fiscalização em Maringá

Durante uma fiscalização da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), na tarde de segunda-feira(10), em Maringá, foram apreendidos cerca de 3kg de crack e 600g de cocaína no Jardim Alvorada. De acordo com o Denarc, quatro pessoas foram presas.

 

Envie seu comentário

Comentários (0)

Agente carcerário feito refém na Penitenciária Central do Estado

Após o banho de sol, por volta das 18 horas de segunda-feira (10), quatro presos fizeram um agente carcerário refém na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

O trabalhador ficou em poder dos detentos por cerca de 5 horas e foi libertado apenas após muitas negociações. Os presos pediram para ser transferidos para outras unidades penitenciárias, o que deve acontecer nos próximos dias.

Ninguém ficou ferido.

Envie seu comentário

Comentários (0)