Curitiba

Homem de 60 anos morre após ser atropelado por ônibus na PR-323

Um idoso morreu depois de ser atropelado por um ônibus ao tentar atravessar a PR-323, na saída para Paiçandu. O acidente aconteceu por volta das 19h50 de quarta-feira (28). As informações são do Corpo de Bombeiros de Maringá.

As equipes de socorro chegaram a ir ao local, mas só fizeram o encaminhamento da vítima, Francisco Correia da Silva (60), ao Instituto Médico Legal (IML) de Maringá.

O ônibus pertence à empresa Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC), responsável pelo transporte público na cidade.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Corpo da menina Tayná é exumado em cemitério de Colombo

A exumação aconteceu na tarde de quarta-feira (28), após aceitação do Tribunal de Justiça do Paraná de um pedido feito pelo Ministério Público do Estado. O trabalho foi realizado por dois médicos do do Instituto Médico Legal (IML) e dois promotores no Cemitério Ecológico Jardim da Colina, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, foi morta no último mês de junho.

A exumação foi solicitada para que sejam realizados novos exames na produção de contraprovas que ajudem na resolução do caso, que segue sem solução e com várias reviravoltas desde a data do crime. O estado de putrefação do corpo não deve atrapalhar as análises.

Os quatro acusados inicialmente pelo crime foram libertados, após ficar comprovado que a confissão dos rapazes foi feita mediante tortura. Exames também comprovaram que o sêmen encontrado no corpo de Tayná não pertence a nenhum dos suspeitos.

A Justiça decretou a prisão de 14 policiais envolvidos no caso, inclusive do delegado responsável pelas investigações iniciais, Silvan Pereira.

As diversas falhas encontradas em todo o processo de investigação do caso causaram mudanças no comando da Polícia Civil no Paraná.

Leia mais detalhes sobre o caso clicando aqui.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Paraná contabiliza mais de 36,5 mil acidentes de trânsito em 1 ano e meio

carro-batido.jpg

A Polícia Militar do Paraná (PMPR) realizou na manhã desta quarta-feira (28), na Praça Tiradentes, em Curitiba (PR), uma simulação de dois tipos de acidentes. Um com vítima e outro sem. A intenção era mostrar em qual caso utilizar o Boletim de Acidentes de Trânsito Eletrônico Unificado (Bateu). O sistema possibilita ao usuário registrar o seu envolvimento em um acidente de trânsito, sem vítimas, diretamente de um local ou equipamento com acesso a internet através da página online.

O BATEU

O programa é parte do Paraná Seguro, que já registrou, desde o início de 2012, 36.570 casos de acidentes sem vítimas em todo o Paraná, dos quais 24.690 somente na capital. Atualmente, 100% do trânsito urbano do estado do Paraná já está coberto pelo BATEU e com isso o estado do Paraná já economizou quase quatro milhões de reais em apenas 1 ano e meio.

Simulações

Na primeira simulação foi exposto um acidente com vítima, no qual um homem foi atropelado por um carro e sofreu ferimentos graves, necessitando da presença do SIATE para atendimento médico e das viaturas do BPTran para levantamento das informações e acompanhamento do caso e registro do Boletim de Ocorrência.

Na segunda simulação, foi representado um acidente entre um carro e uma moto, uma batida simples sem vítimas, onde não é necessária a solicitação da presença policial, podendo ser feito o registro do boletim diretamente pela internet através do BATEU. Neste caso um policial esteve no local apenas para fazer a orientação.

Início

O BATEU, criado em 2012, em comemoração aos 60 anos do Batalhão de Polícia Trânsito (BPTran), permite ao usuário a inclusão de fotos e a livre declaração do envolvido no acidente. O sistema informatizado oferece a impressão dos documentos via internet, sem precisar que a pessoa se dirija ao batalhão, agilizando o atendimento diante de casos de acidentes sem vítimas. A simplificação no boletim pela internet é uma forma de acabar com as dificuldades, pois através da nova tecnologia houve uma padronização de informações referentes aos acidentes, além de agilidade.

Em Curitiba

Na capital do estado foram registrados 60.397 acidentes de trânsito (desde a implantação do sistema em 2012), sendo 20.684 atendimentos no local (com viatura), 15.023 diretamente na Central do BPTran (Secretaria) e 24.690 feitos pelo sistema online – BATEU. No ano de 2011 o atendimento direto na Central do BPTRan era de 71% e no local do acidente de 29%; já em 2012, com a implantação do BATEU, o número na secretaria caiu para 34% e o uso da internet subiu para 42%, ficando o atendimento no local do acidente com 24% dos registros.

Desde o início da sua utilização, o BATEU agilizou o processo dos registros de acidentes sem vítimas, tanto que de 1º de janeiro a 15 de agosto, deste ano o número de ocorrências efetuadas através do sistema subiu para 57%, ficando o atendimento na secretaria com 19%; já no local, manteve-se os 24%.

Traduzindo isso em números, em todo o ano de 2012, somente na capital do estado, o BPTran registrou, via BATEU, 13.352 acidentes sem vítimas, passando em 2013 (até 15 de agosto) para 11.316 registros, quase o total do ano anterior. Neste ano (2013) foram registrados 19.729 acidentes no total, sendo 4.652 acidentes atendidos no local, dos quais 3.385 com vítimas e 1.267 sem vítimas, sendo que 4.042 pessoas envolvidas ficaram feridas e 37 entraram em óbito. Também foram registrados 3.761 acidentes (com e sem vítimas) diretamente na secretaria do BPTran.

Paraná

Em todo o estado o BATEU registrou 92.609 ocorrências de trânsito (desde a implantação do sistema em 2012), das quais 32.524 foram atendidas no local (com viatura), 23.515 efetuados diretamente em uma unidade da PM e 36.570 feitos pelo sistema online – BATEU. O BPTran atendeu, no ano de 2011, 8.509 acidentes no local (com e sem vítimas), sendo em 2012 registrados 8.720 e em 2013 ( de janeiro a 15 de agosto) 15.295.

Neste ano, o total de acidente atendidos até agora foi de 47.977, sendo que dos acidentes atendidos no local, 14.377 dos envolvidos ficaram feridos e 125 entraram em óbito. Também foram registrados 10.080 acidentes (com e sem vítimas), em 2013, diretamente em uma unidade da PM. Através do BATEU foram 22.602 registros, sendo que em 2011 foram 22 (isso porque o sistema estava operando apenas em teste).

Para sua criação, o BATEU contou com o auxílio da Celepar (Companhia de Informática do Paraná) e da Diretoria de Tecnologia e Qualidade da Polícia Militar, que criou um banco de dados consistente para que estatísticas claras de acidentes de trânsito fossem fornecidas para todo o estado. Também apoiaram o projeto o DETRan/PR, o Sindicato das Seguradoras do Paraná e Mato Grosso (SINDCOR), Sindicato dos Corretores e Empresas Corretoras de Seguro do Paraná (SINDISEG PR/MS)

Os envolvidos devem efetuar o registro de um acidente sem vítima pelo sistema em até 188 dias após o ocorrido, e, após o registro o cidadão pode acompanhar o procedimento por e-mail. A impressão do boleto de cobrança também pode ser feita através da internet. A taxa para atendimento no local do acidente é de R$ 70,32 e para registro direto na Central do BPTran e via internet, sem a presença do policial, é de R$ 49,20.

Segundo o Comandante-Geral, coronel Roberson Luiz Bondaruk, com os registros dos acidentes sem vítimas sendo feitos pelo sistema online, houve uma economia significativa, pois foram evitados gastos com deslocamento até o local do acidente, tempo de permanência que chegava a duas horas por acidente, mão de obra, impressão, papel, dentre outros, gerando uma economia de aproximadamente quatro milhões . Além disso, trouxe agilidade para o cidadão paranaense.

BPTRAN

Em 2013 aunidade realizou, até julho, 426 operações de trânsito, emitiu 7.792 notificações de trânsito, recolheu 2.012 veículos e fiscalizou 14.816, além da prisão de 506 pessoas. Também foram registrados 413 atropelamentos, nos quais 405 envolvidos ficaram feridos e seis morreram.

Os cruzamentos com maior número de acidentes COM VÍTIMAS em Curitiba:
1º – Avenida Victor Ferreira do Amaral com BR 116 – sete acidentes
2º – Das Carmelitas com Desembargador Antônio de Paula – sete acidentes
3º – Izaac Ferreira da Cruz com Dilermando Pereira de Almeida – sete acidentes

Os cruzamentos com maior número de acidentes SEM VÍTIMAS em Curitiba:
1º – Avenida Victor Ferreira do Amaral com BR 116 – 21 acidentes
2º – Mariano Torres com Avenida Visconde de Guarapuava – 13 acidentes
3º – Avenida Juscelino Kubitshek de Oliveira com Eduardo Sprada –

Envie seu comentário

Comentários (0)