Coração de mãe

Cadela adota 40 pintinhos em Curitiba


  • Cadela olha apreensiva para os pintinhos adotadosCadela olha apreensiva para os pintinhos adotados
  • Essa não é a primeira vez que Tuca adota animais de outras espéciesEssa não é a primeira vez que Tuca adota animais de outras espécies
  • A vira-latas, que foi retirada das ruas e adotada com apenas seis meses, é castrada e nunca teve filhotesA vira-latas, que foi retirada das ruas e adotada com apenas seis meses, é castrada e nunca teve filhotes
Jean Pecharki

Na casa da pequena Sara Beatriz, de apenas oito anos, o exemplo de tolerância e respeito começa pela mascote da família, a cadelinha Tuca. O cãozinho de sete anos adotou nada menos que 40 pintinhos.

Vandré Ferreira, dono da mascote, tem uma criação de aves e levou uma chocadeira para casa, para fazer manutenção, colocando 40 ovos para chocar. Para ele foi um espanto quando todas as aves nasceram. “À medida que os pintinhos nasciam, minha filha fazia a marcação e a cachorrinha pegava e acolhia-os para perto dela. Dessa maneira, as aves também adotaram a cadela como mãe e a seguem por todos os lugares. Você pode ver nas fotos a cara de preocupação da Tuca enquanto segurávamos os bichinhos”.

A vira-latas, que foi retirada das ruas e adotada com apenas seis meses, é castrada e nunca teve filhotes. Esse fato, porém, não impediu a cadelinha de desenvolver um grande instinto maternal. Segundo o dono, essa não é a primeira vez que isso acontece. Sempre que pode, Tuca adota as aves de outras criações. A “mamãe” superprotetora, inclusive, já salvou a vida de alguns animais. “Uma vez um dos pintinhos caiu dentro de um pote de água e ela correu desesperada, latindo, pedindo ajuda pra minha esposa, levando-a até o local do acidente”.

Vandré diz que teve grande aprendizado pelo exemplo da cadelinha e procura repassá-lo para sua filha. “Essa ninhada que tirei de dentro de casa foi um belo ensinamento para a Beatriz, pois tem pintinhos de várias cores e tamanhos, além dessa relação entre duas espécies. Eu procuro explicar pra ela que na vida social nós iremos conviver com pessoas diferentes e que devemos tratar o próximo como a cachorrinha trata as avezinhas: com respeito e carinho. Todo mundo tem direito de ser feliz e respeitado. É assim na nossa família em casa. Procuramos nos tratar com muito amor. O caso inusitado da Tuca foi uma grande ajuda e um grande exemplo pra minha filha”.

Comentários no Portal (1)

  1. miguel | mandaguacu, centro

    Olha.Este.E.Um.Ezenplo.Para.Muitos.Pai.E.Tanben.Para.As.Maes..Asvezes.Uma.Caxorinha.Ou.Uma.Galinha.Tem.Maz.Amor..Doque..Serto.Tipo.De.Ser.Umono.Nao.Ten.Amor.Aos.Propio.Filhos..?



Comente pelo Facebook