Curitiba

IIPR fará mutirão de emissão de carteiras de identidade em Curitiba

Os interessados em fazer o documento de identidade no dia do mutirão devem agendar o atendimento com antecedência

Foto: Polícia Civil

O Instituto de Identificação do Paraná vai realizar um mutirão de emissão de carteiras de identidade em Curitiba no próximo dia 18 de fevereiro. O objetivo, segundo o órgão, é desafogar a demanda. Quem tiver interesse em participar deve agendar o serviço pessoalmente em um dos postos de atendimento. De acordo com a assessoria da Polícia Civil, este mutirão de atendimento é justamente para as pessoas que não conseguem fazer o agendamento pelo site da instituição.

Quem é solteiro ou vive em união estável vai precisar dos seguintes documentos no momento do atendimento:

  1. Certidão de Nascimento (original ou cópia autenticada), em bom estado de conservação, ou seja, sem rasuras e rasgos e com todas as informações legíveis.
  2. Original do CPF e/ou PIS/PASEP (opcionais, caso deseje que estas informações constem na carteira). Se já possui número de CPF e deseja imprimir o comprovante para apresentar no momento do atendimento, acesse o site da Receita Federal, clicando aqui.
  3. Comprovante da residência atual (opcional)

Menores de Idade (crianças com até 12 anos de idade incompletos e adolescentes  entre 12 e 18 anos de idade) devem estar obrigatoriamente acompanhados de pai ou mãe, ou de um responsável legal, e de posse dos seguintes documentos:

  1. Certidão de Nascimento do menor de idade (original ou cópia autenticada), em bom estado de conservação, ou seja, sem rasuras e rasgos e com todas as informações legíveis. 
  2. Documento de identidade original do responsável que esteja acompanhando o menor.
  3. Original ou cópia autenticada da Decisão Judicial que confere a responsabilidade legal ao acompanhante, no caso de menores que não estiverem acompanhados de pai ou mãe.
  4. Original do CPF e/ou PIS/PASEP (opcionais, caso deseje que estas informações constem na carteira). Se já possui número de CPF e deseja imprimir o comprovante para apresentar no momento do atendimento, acesse o site da Receita Federal, clicando aqui.
  5. Comprovante da residência atual (opcional)

Para todos os casos, a Guia para Pagamento da taxa para emissão da Carteira de Identidade (GR-PR) será emitida no momento do atendimento pelo identificador, para pagamento posterior (após o atendimento). O processo de emissão da carteira só terá início após o pagamento da taxa, exceto para os casos de isenção de taxa.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Uber terá que pagar cerca de R$150 milhões por revelar traição

Mulher conseguia ver o itinerário do marido após sessão encerrada

Uber revela traição depois de bug no sistema (Foto; Getty Imagens).jpg

Um empresário francês processou a Uber em €45 milhões (equivalente a R$150,1 milhões), por causa de um possível bug no sistema que teria custado seu casamento.

O homem, que mora na Riviera Francesa, pegou o smartphone da esposa emprestado para usar o Uber. Mesmo após a sessão ter sido encerrada, ela continuou recebendo notificações relacionadas às viagens que ele fazia no aplicativo, segundo reportagem do Le Figaro.

Com o itinerário em mãos, a mulher teria desconfiado da fidelidade do cônjuge, o que causou o fim do casamento. O jornal local informou que haverá uma audiência preliminar sobre o caso no próximo mês.  

A Uber foi procurada, mas a empresa preferiu não se pronunciar. “A Uber não comenta publicamente sobre casos individuais, especialmente aqueles que dizem respeito a coisas como um processo de divórcio", disse um porta-voz.”

Leia mais

Página falsa do Uber circulando no Facebook dá golpe em usuários

Envie seu comentário

Comentários (0)

Proibição de venda de cerveja perto de estádios do PR é protocolada na Alep

O projeto de lei proíbe a venda de bebidas alcoólicas em um raio de 200 metros desses espaços

Deputado quer proibir venda de bebidas alcoólicas perto de estádios de futebol no Paraná (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Um projeto de lei que proíbe o consumo e a comercialização de bebidas alcoólicas nas proximidades de estádios de futebol, ginásios e quaisquer estabelecimentos destinados a competições esportivas foi protocolado na Assembléia Legislativa do Paraná (Alep), nesta quarata-feira (9). Com a leitura do projeto já feita em Plenário, ele começa agora a tramitar pelas comissões técnicas da Assembleia.

“Essa é uma medida que tem como objetivo proteger os cidadãos de bem, que gostam de assistir a um jogo de futebol e hoje não se sentem seguros para frequentar esses espaços. São muitos os torcedores ou vândalos que permanecem bebendo na região dos estádios e que causam todo tipo de problema”, justifica o deputado Missionário Ricardo Arruda (DEM), o autor do projeto.

O projeto proíbe a venda de bebidas alcoólicas em um raio de 200 metros desses espaços de lazer no período de duas horas antes do início de qualquer evento esportivo. os estádios a venda já é proibida desde 2009.

Multa

Os estabelecimentos que descumprirem a determinação ficariam sujeitos ao pagamento de multa no valor de 100 UPF/PR (Unidade Padrão Fiscal) e, em caso de reincidência, o infrator terá que pagar o dobro desse valor e ainda terá o alvará cassado. O valor de cada Unidade Padrão Fiscal, neste mês de fevereiro, corresponde a R$ 95,25. No caso dos vendedores ambulantes, o que é comum em dias de eventos esportivos, a mercadoria será apreendida. O projeto ainda determina que, os valores arrecadados com as multas serão revertidos para o Fundo Estadual de Políticas sobre Drogas – FESD.

Justificativa 

O projeto foi fundamentado com base na Lei 10.671/2003 – o Estatuto do Torcedor, que determina em seu artigo 13-A as condições de acesso e permanência do torcedor nos locais de práticas esportivas. O inciso II deste artigo é claro ao afirmar que, entre as condições, está a de “não portar objetos, bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência”.  

O deputado Missionário Ricardo Arruda ressalta ainda que, após medidas adotadas pelos clubes paranaenses, entre o ano de 2008 (último ano com venda autorizada) e 2009 (primeiro ano com a proibição), os índices de fatos ilícitos ocorridos dentro dos estádios de futebol foram reduzidos em mais de 60%. “É a preocupação com a integridade física dos frequentadores de competições esportivas que me levam a apresentar esse projeto. Não basta a proibição dentro dos estádios, pois, sabidamente, durante os eventos, é grande o número de pessoas que permanecem bebendo em bares ao redor desses locais, o que facilita a ação daqueles torcedores mais exaltados e embriagados”, afirma Arruda.

Leia mais

Atlético-PR bate Millonarios nos pênaltis em partida de volta na Colômbia

Com muito sufoco, Paraná Clube garante vaga na Copa do Brasil

Envie seu comentário

Comentários (0)