Curitiba

Confira os pontos para descarte de lixo eletrônico em Maringá

ecopontos-lixo-eletronico-coleta-secom.jpg

As chamadas sucatas eletrônicas não podem ser descartadas no lixo comum. Em relação a isso, a Secretaria de Meio Ambiente de Maringá, em parceria com a Cooperativa Coopercanção, instalou pontos de coleta de lixos especiais.

Os ecopontos recebem televisores, celulares, impressoras e outros equipamentos eletrônicos. Todo o material recolhido é separado e repassado para as cooperativas de reciclagem.

A prefeitura informa que não são recolhidos cartuchos, pilhas e lâmpadas fluorescentes. Esses materiais devem ser devolvidos ao revendedor.

Confiras os ecopontos instalados em Maringá:

SESI – Rua Antonio Carniel, 499 – Zona 05;

SESC/PR – Rua Professor Lauro Eduardo Werneck, 531 – Zona 07;

Faculdade Cidade Verde – Avenida Horácio Raccanelo Filho, 5950 – Novo Centro;

Terminal Urbano – Avenida Tamandaré, 630 – Centro;

Terminal Rodoviário – Avenida Tuiuti, 180 – Zona 08;

Super Mufatto – Avenida Cerro Azul, 2075 – Jardim Novo Horizonte;

Pró-Resíduos – Câmpus Universitário da UEM;

Tiro de Guerra de Maringá – Avenida Mandacaru, 730, Vila Santa Isabel;

4º Batalhão de Polícia Militar – Rua Mitsuzo Taguchi, nº 99, Vila Nova;

Câmara Municipal de Maringá – Avenida Papa João XXIII, 239 – Zona 02;

Casa da Amizade Rotary – Avenida Cerro Azul, 199 – Zona 02;

Paço Municipal – Avenida XV de Novembro, 701 – Centro;

Supermercado Cidade Canção – Avenida Brasil, nº 4724;

Supermercado Cidade Canção – Avenida Brasil, nº 7225;

Cooperativa Coopercanção – Rua Pioneiro Gertrud Heck Fritzem, n° 5769, Conjunto Santa Felicidade.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Greve dos bancários fecha 759 agências no Paraná

A greve dos bancários, que teve início no último dia 19, ocasionou o fechamento de 10.024 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados em todo o país, até a última quarta-feira (25). A informação é do Comando Nacional dos Bancários (CNB), que revela que em alguns locais houve paralisação, inclusive,  de setores estratégicos como call centers. No Paraná, segundo o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, já foram fechadas 759 agências, sendo 355 na capital.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), braço sindical dos banqueiros, não tem se manifestado sobre a paralisação e nem em relação ao posicionamento dos patrões sobre a possível retomada das negociações.

A proposta da Fenaban, de reajuste 6,1%, que repõe apenas a inflação dos últimos 12 meses, foi apresentada no dia 5 de setembro e rejeitada pelos bancários em assembleias no dia 12, em todo o país. Os trabalhadores reivindicam 11,93%, soma da inflação mais 5% de ganho real, além de benefícios sociais.

“Os bancos estão há 20 dias calados, intransigentes, sem negociar com os bancários, desrespeitando a categoria e a sociedade. Vamos fortalecer ainda mais o movimento, ampliar ainda mais as paralisações, para forçar a reabertura das negociações visando a conquistar uma proposta decente , com aumento real de salário”, disse Carlos Cordeiro, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e coordenador do CNB, que representa 95% dos 490 mil bancários do país.

Envie seu comentário

Comentários (0)

Famílias de policiais presos por tortura de suspeitos protestam na capital

protesto.jpg

Nesta quarta-feira (25), às 16h30, os familiares dos policiais presos por torturar suspeitos no caso Tayná fizeram uma passeata no centro de Curitiba.

Junto a policiais civis, eles criticaram o GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate Ao Crime Organizado), por ter prendido os policiais e, segundo eles, deixarem os bandidos livres.

O ato também contou com a presença de pessoas ligadas à família da menina assassinada em Colombo no final do mês de junho.

Envie seu comentário

Comentários (0)